Ensine ao seu filho o que fazer quando ele se perder ou se afastar de você

18 Agosto, 2018
No supermercado, na feira, no parque, na igreja, no transporte público, na praia. Em qualquer desses espaços abertos, nossos filhos pequenos podem se perder.

Neste artigo, ajudaremos você a reduzir esses episódios de angústia e vamos mostrar o que as crianças devem saber se se perderem e não encontrarem o papai e mamãe.

O risco de nossos filhos se afastarem de nós em um local público sempre é latente. Não se trata de sermos pais irresponsáveis ou que não estamos tomando conta de nossas sementinhas.

Essas coisas acontecem, sobretudo, em espaços abertos onde há muita circulação de pessoas. Por isso, devemos nos antecipar a um acontecimento como esse e preparar nossos filhos.

O primeiro elemento que caracteriza uma criança é a inocência. Elas não têm consciência do perigo que podem encontrar na rua, a qualquer momento. Principalmente, quando não contam com a proteção imediata do papai e da mamãe.

Diante dessa lamentável realidade, é imprescindível colocar na cabeça de nossos filhos uma dose de desconfiança e lhes oferecer uma série de ferramentas que os ajudarão a se defender se um dia ficarem sozinhos no meio de uma multidão.

O que uma criança de três a seis anos pode fazer se se perder?

As crianças dessas idades costumam ser muito irrequietas e distraídas. Um segundo é suficiente para que percam de vistam seus pais.

Além disso, devemos levar em consideração que ao se tratar de crianças mais vulneráveis, elas podem ser vítimas do pânico. Nesse caso, o nervosismo não vai permitir agir de maneira correta. Menos ainda de seguir orientações para ir a algum lugar.

Dessa forma, “Fique onde você está”, sempre será a melhor instrução para as crianças

Por isso, não é uma boa ideia dizer às crianças para se encontrar com você em um determinado lugar caso se percam.

Essa instrução pode deixá-las ainda mais nervosas. Porque, ao se sentirem desprotegidas, a pressão por saber que devem fazer algo para encontrar seus pais, pode deixá-las agoniados.

Então, o que nós, pais, podemos fazer? A resposta é simples. A primeira coisa que devemos fazer é sempre conversar com as crianças e garantir que se acabarem se afastando de nós, papai e mamãe irão até o lugar onde elas estiverem.

“Não se mexa porque a mamãe e o papai vão buscar você” ou “fique onde está até nós chegarmos até você”. Essas instruções são mais fáceis para as crianças se lembrar do que pedir para se deslocarem até um lugar estratégico. Mesmo que à primeira vista possa parecer mais fácil para nós.

Devemos ser claros ao pedir às crianças para não acompanhar nenhum desconhecido. Elas podem aceitar ajuda e dizer seus nomes. Mas nunca aceitar que uma pessoa as leve para outro lugar.

A necessidade de andar de mãos dadas com as crianças em locais públicos pode minimizar as possibilidades de que elas se percam.

Outra recomendação é pendurar no pescoço ou no braço da criança alguma fita com os dados e o número de contato dos pais. Esse acessório pode permitir que outra pessoa entre em contato conosco.

Crianças de sete a dez anos

se perder

Para as crianças dessas idades, é mais fácil seguir instruções. Dessa forma, você pode pedir-lhes com toda a confiança que façam o que você disser quando estiverem perdidas.

  • Uma excelente ideia é estabelecer um assobio familiar. Pode ser uma espécie de código entre pais e filhos para serem ouvidos quando não estiverem perto o suficiente.
  • Nesse caso, devemos dizer aos nossos filhos que quando escutarem o assobio do papai, eles tem que tentar responder aumentando o tom da voz e não se mexer até que o papai e a mamãe cheguem ao encontro deles.
  • Ensine a identificar o uniforme de seguranças, policiais ou bombeiros. Isso pode servir para quando as crianças se perderem dentro de um shopping, por exemplo. Em um parque ou uma feira, as crianças também podem pedir ajuda a qualquer um desses funcionários.
  • Retornar ao último lugar onde estavam com seus pais. Essa técnica é muito eficaz. Algo tão simples quanto pedir ao seu filho que permaneça no último lugar em que estavam juntos pode facilitar significativamente a busca pela criança.
  • De qualquer maneira devemos ser cuidadosos ao falar desses temas com nossos filhos, já que se exagerarmos, é possível que estejamos colocando na cabeça deles muita insegurança. Nesses casos, é melhor dar-lhes a garantia de que o papai e a mamãe farão de tudo para protegê-los e encontrá-los caso se separem momentaneamente.

O melhor remédio sempre será a prevenção. Assim, tendo em mente essa premissa, devemos manter nossos filhos sempre sob a nossa vista. Além disso, sempre devemos pedir a eles que se mantenham atentos e andem perto de nós.

  • Vallet, M. (2007). Educar a niños y niñas de 0 a 6 años. WK Educación.
  • Enguita, M. F. (2007). Educar es cosa de todos: escuela, familia y comunidad. La relación familia-escuela, 13.