Ensine os seus filhos a normalizar o atendimento psicológico

Existem muitas razões que podem levar uma criança a necessitar de atendimento psicológico. Por isso, é importante normalizá-lo e explicar como pode ajudá-la.
Ensine os seus filhos a normalizar o atendimento psicológico

Última atualização: 15 Dezembro, 2020

Cada vez mais adultos deixam de ver a terapia psicológica como algo para “loucos” com patologias graves e compreendem que ela pode ajudar pessoas saudáveis em inúmeras ocasiões. No entanto, ainda existe um certo estigma, que é transmitido às crianças.

Se quisermos que as novas gerações possam desfrutar de uma boa saúde mental e acessar os recursos necessários sem culpa ou preconceito, devemos ensiná-las a normalizar o atendimento psicológico.

São muitas as condições que podem levar uma criança ou um jovem a necessitar de ajuda profissional. Problemas de comportamento, ansiedade, dificuldades de aprendizagem, luto complicado

Anteriormente, esses jovens carregavam a incompreensão e os julgamentos de seus colegas e amigos. Por isso, é importante mostrar às crianças que, assim como vamos ao médico quando estamos com algum problema físico, também podemos ir ao psicólogo quando a vida fica complicada.

Ensine os seus filhos a normalizar o atendimento psicológico

Por que ensinar as crianças a normalizar o atendimento psicológico?

As crianças são uma folha em branco: são cheias de inocência e desprovidas de preconceito. Somos nós, os adultos, que transmitimos a ideia de que algo seja bom ou ruim, aceitável ou inaceitável. Por isso, a infância é o momento ideal para educar em valores como respeito, empatia ou compreensão, e normalizar o atendimento psicológico é uma tarefa importante por diversos motivos.

Para entender os outros

Às vezes, quando estamos bem, temos dificuldade para nos colocar no lugar de quem está sofrendo. Quando algo é simples para nós, temos dificuldade para entender que essa mesma coisa seja complicada para outra pessoa.

Particularmente, quando falamos em saúde mental e emocional, são frequentes as críticas a quem pede ajuda. A sociedade não nos questiona quando estamos com febre ou dor de estômago, mas nos culpa se sofrermos de ansiedade ou depressão.

É muito provável que, ao longo de sua trajetória acadêmica, as crianças tenham colegas na turma que vão ao psicólogo por diversos motivos. Se tivermos conseguido transmitir que isso é algo tão natural e válido quanto ir ao médico, as crianças serão mais compreensivas e gentis. Elas serão capazes de sentir empatia pela situação da outra criança e apoiá-la durante o processo.

Para pedir ajuda quando precisarem

Por outro lado, também é possível que, em algum momento, nossos filhos encontrem dificuldades psicológicas e emocionais que não consigam enfrentar sozinhos. Nesse momento, a ideia que tiverem sobre a terapia psicológica será realmente crucial, pois isso vai determinar se eles vão se empoderar e pedir ajuda ou se, pelo contrário, vão permanecer sofrendo e se sentindo, além de tudo, culpados por se sentirem mal.

Normalizar o atendimento psicológico permitirá que eles saibam que existe um recurso para os momentos em que precisarem enfrentar a ansiedade ou a tristeza. Isso vai lembrá-los de que existem pessoas formadas e dispostas a ajudá-los, assim como a ensiná-los o que precisarem para seguir em frente, porque eles não têm a obrigação de saber tudo e nenhuma emoção é vergonhosa.

Em suma, nossos filhos serão capazes de compreender a importância da saúde mental e o seu direito a receber apoio quando necessário.

Como ensinar as crianças a normalizar o atendimento psicológico?

A seguir, vamos mostrar algumas diretrizes que podem nos ajudar a ensinar as crianças a normalizar o atendimento psicológico:

  • É importante educar em inteligência emocional desde os primeiros anos, para que as emoções sejam discutidas em casa abertamente e as crianças sejam ensinadas a reconhecê-las e expressá-las. Dessa forma, elas saberão detectar mais facilmente quando algo não estiver bem com elas e também saberão como nos transmitir esse sentimento.
  • Explicar o que é o trabalho de um psicólogo e responder às suas perguntas a respeito. Devemos mostrar que o psicólogo é uma pessoa que nos ensina a administrar as nossas emoções, que nos dá recursos, ferramentas e exercícios para nos sentirmos melhor.
  • Dar o exemplo: essa sempre será a maneira mais eficaz de transmitir uma mensagem para uma criança. Lembre-se também de cuidar da sua própria saúde mental e, se você já consultou um psicólogo em alguma ocasião, compartilhe a sua experiência com o seu filho.

Normalizar o atendimento psicológico desde os primeiros anos vai ajudar as crianças não apenas durante a infância, uma vez que o que é estabelecido nessa fase é mantido até a idade adulta. Assim, uma atitude positiva a esse respeito tornará mais fácil a decisão de pedir ajuda em qualquer momento da vida e de ser um apoio e suporte para as outras pessoas ao seu redor.

Pode interessar a você...
O jogo como técnica de avaliação e diagnóstico
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
O jogo como técnica de avaliação e diagnóstico

A mente infantil funciona e se expressa de maneira diferente da mente de um adulto. O jogo como técnica de avaliação é uma das práticas mais utiliz...