Ensine seu filho a dizer não às drogas

18 de julho de 2018
Esse tema pode parecer bastante batido, mas muitas vezes abordá-lo é apenas uma obrigação e acabamos falando dele sem nos aprofundar.

Da mesma forma, na escola são realizadas campanhas sobre evitar o consumo de drogas, mas a explicação fica em mãos inexperientes no assunto.

Ensinar os filhos sobre um assunto tão delicado, é uma formação que deve partir de casa. Mesmo que a criança ainda seja muito pequena, devemos instruí-la para que não se aproxime de desconhecidos e evite receber qualquer coisa que lhe deem na rua.

É importante que a criança saiba diferenciar quando se trata de drogas, mas é algo difícil de explicar. Por isso, vale a pena ensinar que elas não devem receber nada de estranhos. No entanto, chega uma etapa em que as crianças se tornam mais independentes; então começam a confiar e a perder o medo.

Por esse lado, é importante adequar a educação que damos às crianças de acordo com a sua idade. Também é recomendável ter mais atenção com crianças que costumam ter iniciativa, porque as vezes são as que avaliam os riscos com menos cuidado.

Conselhos para orientar os seus filhos sobre o uso de drogas

Drogas

Um aspecto chave para se ter em mente é que as drogas afetam tudo aquilo que está próximo; afeta tanto o consumidor quanto o traficante, só é preciso estar no momento e no lugar errado. Por isso, recomenda-se abordar todos os assuntos referentes ao uso de drogas, porque é uma ameaça constante e perigosa.

Por outro lado, às vezes os pais acreditam que têm tudo sob controle, que conhecem os seus filhos o suficiente para saber que não se meterão em problemas. Essa é a principal razão para os problemas chegarem sem serem esperados.

Ainda que não exista uma receita para estar 100% seguro de que estamos a salvo dessa situação, podemos começar por prestar atenção nesses conselhos:

1. Melhorar a comunicação

Falar com as crianças sobre seus estudos, suas emoções e seus interesses é tão importante quanto aconselhar sobre os perigos que existem na rua. Nunca é suficiente, porque devemos abordar constantemente muitas coisas. Por isso, também às vezes elas se esquecem rapidamente.

A comunicação é a chave do entendimento. É útil para melhorar a relação, conhecer a criança e atender os imprevistos a tempo.

2. Conhecer seu filho

É aconselhável conhecer os gostos, as amizades, os lugares frequentados e a forma de agir dos nossos filhos porque isso nos permite avaliar a situação. Por meio da observação, saberemos se ele está em risco ou se está indo pelo caminho certo.

Geralmente, é através das amizades que as pessoas se aproximam do círculo das drogas. É possível que mesmo sendo verdadeiros amigos e pessoas de confiança não estejam suficientemente preparados para se livrarem de situações complicadas.

3. Seja claro no que diz

Expressar claramente os perigos que as pessoas enfrentam pelo abuso de drogas permite que a criança reflita sobre a ideia. O problema das drogas não é somente de quem as consome. Visto que elas têm tantos inimigos, apenas por estar perto de um consumidor ou distribuidor o risco já eminente.

Drogas

O uso de substâncias proibidas acarreta riscos do tipo moral, legal, financeiro, emocional, físico, familiar, mental e muito mais. Nesse sentido, de acordo com a idade da criança, às vezes é preferível usar exemplos drásticos em vez de dar sermões intermináveis.

4. Promover a confiança em si mesmo

Uma criança emocionalmente saudável, equilibrada em seu contexto familiar e com bases morais sólidas é suficientemente sensata para compartilhar seus problemas e suas preocupações. Isso não evita os riscos da rua, mas facilita uma resposta adequada.

5. Dar o exemplo

Não adianta conversar sobre esse problema se não somos um bom exemplo. É importante afastar os filhos dos contextos negativos. Deve-se aconselhar a dizer não às drogas, mas será mais difícil que eles absorvam isso se tiverem contato diariamente com essas substâncias.

6. Vigiar o consumo de álcool

Consumir álcool com moderação não faz mal. Na verdade, se transformou num elemento para se relacionar socialmente, mas seu uso excessivo pode levar a problemas maiores. Evitar consumir álcool com frequência diante das crianças e mostrar que esse costume deve ser controlado é um bom começo.

É importante saber que, ao exagerar no consumo de álcool,a pessoa fica propensa a agir sem raciocinar. Um grande número de consumidores de substâncias ilegais começou a usá-las em estado de embriaguez.