Como escolher a melhor fórmula infantil?

23 Julho, 2020
Os supermercados oferecem uma grande variedade de fórmulas infantis. Escolher entre uma ou outra pode levar horas. O que devemos considerar?

A chegada de um novo membro à família certamente traz consigo alegria, dúvidas e desafios. Os recém-nascidos precisam se alimentar com poucas horas de intervalo, seja com leite materno ou com fórmula infantil. Mas como essas fórmulas se diferenciam umas da outras?

Recomendações oficiais

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a amamentação exclusiva e em livre demanda durante os primeiros seis meses. Após esse período, recomenda-se a introdução gradual de outros alimentos juntamente com a amamentação, que deve ser mantida até os dois anos ou mais.

Dados oficiais sobre o leite materno e as fórmulas infantis

Um estudo do Journal of the American Dietetic Association analisou as mudanças de atitude em relação à alimentação dos recém-nascidos entre 1999 e 2003. Os dados obtidos mostraram que 25% dos entrevistados consideram a fórmula infantil tão boa quanto o leite materno. Esse resultado representa um aumento em comparação aos 14% registrados no mesmo estudo em 1999.

Em países como a Espanha, por exemplo, e de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística desse país, o aleitamento materno predomina sobre o aleitamento artificial ou misto durante os três primeiros meses de vida. A tendência muda aos seis meses, quando apenas 24,72% mantêm a amamentação natural.

A partir desse momento, o aleitamento artificial ganha popularidade, representando 61% e o aleitamento misto fica com 14%. Possivelmente, essa mudança se deve à incorporação das mulheres no mercado de trabalho.

escolher a melhor fórmula infantil

Características do leite materno

Trata-se de um fluido vivo que muda e se adapta às necessidades do bebê. O leite dos primeiros dias é conhecido como colostro e tem uma cor amarelada. Esse leite contém tudo o que é necessário para os primeiros dias.

Em seguida, o líquido se torna mais branco, passa a ser produzido em maior quantidade e apresenta uma textura mais leve. Esse leite é conhecido como leite maduro.

O leite materno contém tudo o que é necessário para o crescimento do recém-nascido. Além de fornecer macronutrientes e micronutrientes, também contém outros compostos que promovem o desenvolvimento do sistema imunológico do recém-nascido.

Durante o período de amamentação, a mãe pode comer de tudo (exceto álcool) e deve considerar que suas necessidades calóricas continuam maiores, de modo que não é hora de fazer restrições calóricas.

Um dos maiores medos geralmente relatado pelas lactantes que precisam tomar medicamentos é o de que essas drogas possam afetar a qualidade do leite. Portanto, para ajudar nessa questão, existe um site onde é possível verificar se o medicamento é compatível com a amamentação.

Características da fórmula infantil

A fórmula infantil contém tudo o que é necessário para o crescimento e o desenvolvimento do recém-nascido. Em relação à sua composição, não há uma composição padrão, pois cada marca tem a sua.

Em geral, têm um maior teor de proteínas do que o leite materno e geralmente contêm uma maior proporção de micronutrientes, tais como vitaminas e minerais. Isso acontece porque, apesar de terem mais nutrientes, eles são menos biodisponíveis para o corpo humano do que os do leite materno.

Por outro lado, uma das desvantagens do aleitamento artificial é que os bebês às vezes comem mais do que precisam. A razão por trás dessa afirmação é o fato de que o esforço necessário para se alimentar usando mamadeira é menor do que o de sugar o peito da mãe. Mesmo assim, cada bebê cresce no seu próprio ritmo, que deve ser respeitado.

O que levar em consideração ao escolher entre uma fórmula infantil e outra?

O leite materno e a fórmula infantil se diferenciam, acima de tudo, pela quantidade e pelo tipo de proteínas que oferecem e pela maneira como o carboidrato é fornecido, conforme pode ser visto na tabela.

Tabela: como escolher melhor fórmula infantil
Tabela 1. Comparação entre leite humano, leite de vaca e fórmula infantil. SEGHNP-AEP

Ao escolher uma fórmula infantil, há três coisas a serem analisadas:

  1. A quantidade de proteína e a relação entre caseína e seroproteína, as duas principais proteínas do leite.
  2. A forma como os carboidratos são fornecidos. A lactose predomina no leite materno e, portanto, o mesmo deve ser procurado na fórmula. Além disso, é necessário evitar xaropes ou maltodextrina na composição do leite artificial.
  3. Fontes de gordura. O óleo de palma está presente no leite materno e, apesar de ser uma escolha pouco sustentável, é seguro nutricionalmente.

Independentemente do método de aleitamento escolhido, ele deve respeitar os seguintes pilares:

  • Ambos devem ser exclusivos até os seis meses e em livre demanda.
  • O ritmo deve ser definido pelo bebê.
  • Não devemos nos surpreender se às vezes os bebês tomarem menos leite e, acima de tudo, não devemos forçá-los a comer.
  • Cada bebê segue seu próprio ritmo de crescimento.
  • Organización Mundial de la Salud. www.who.int
  • Li R et al. (2007). Changes in public attitudes toward breastfeeding in the United States, 1999-2003. Journal of the American Dietetic Association, 107(1), 122-127. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17197280
  • Reglamento (UE) Nº 609/2013 del Parlamento Europeo y del Consejo relativo a los alimentos destinados a los lactantes y niños de corta edad.
  • Almarza AL et al. (2010). Alimentación del lactante sano. Protocolos diagnóstico-terapéuticos de Gastroenterología, Hepatología y Nutrición Pediátrica SEGHNP-AEP, 311-320.