Estilos educativos parentais e sua influência na personalidade

22 de junho de 2019
Sabemos que existem diferentes estilos educativos parentais. E cada um deles afeta, de maneiras diferentes, a personalidade dos nossos filhos.

A grande influência dos pais no modo de ser das crianças sempre foi conhecida. Do ponto de vista das ciências sociais, a família é considerada o principal agente socializador, indicando assim a sua grande responsabilidade no crescimento psicossocial do indivíduo.

Os estilos educativos parentais representam a maneira como os pais agem em relação aos seus filhos em situações cotidianas, na tomada de decisões ou na resolução de conflitos. No entanto, até que ponto a forma de educar os nossos filhos pode influenciar o desenvolvimento da sua personalidade?

Disciplina e afeto

A forma como os pais educam não é apenas uma ferramenta para estabelecer diretrizes desejáveis para o comportamento da criança.

A criança, por sua vez, vai adquirindo uma série de habilidades e características pessoais. Mas, a partir do ponto de vista da psicologia do desenvolvimento do ciclo vital, entende-se que há duas dimensões quando se trata de educar os nossos filhos: a disciplina-exigência e a afetividade-receptividade.

  • Afeto: refere-se à aceitação, ou seja, às expressões dos pais em relação aos filhos para que se sintam à vontade na sua presença.
  • Disciplina: também pode ser definida como controle. Está presente nos comportamentos dos pais em relação ao filho e tem como objetivo alcançar um comportamento desejável.

Classificação dos estilos parentais

A psicóloga clínica Diana Baumrind (1971) foi pioneira ao inferir que os estilos educativos parentais podem ser classificados de acordo com a maneira como as dimensões do afeto e da disciplina são combinadas. Existem quatro estilos parentais dependendo dessas duas dimensões:

  • Autoritário. Caracteriza-se pelo uso predominante da disciplina. É usado pelos pais com altas expectativas em relação ao cumprimento de normas e têm como base a comunicação unidirecional.
  • Permissivo. Seria o estilo oposto ao anterior. Esses pais baseiam o seu estilo educativo no afeto. Eles permitem que a criança tome as próprias decisões, mas exercem pouco controle sobre ela.
Classificação dos estilos parentais

  • Negligente. Os chamados pais não envolvidos. É considerado o pior dos estilos educativos, já que nenhuma das duas dimensões está presente.
  • Democrático. É considerado o estilo educativo ideal ou mais apropriado. As duas dimensões estão presentes: os pais se esforçam para ensinar o comportamento apropriado por meio de um conjunto de regras e com base na interação e afetividade.

“A educação não é algo que os pais fazem para seus filhos, mas algo que pais e filhos fazem juntos.”

-Rich Harris-

Consequências na personalidade da criança

Sem dúvida, o modo de educar exerce uma grande influência na personalidade dos nossos filhos. É um fator determinante para o seu desempenho acadêmico, sua efetividade nas relações sociais, sua segurança emocional ou até mesmo o seu possível sucesso profissional no futuro.

Maccoby e Martin (1983), em Socialization in the context of the family (Socialização no contexto da família, em tradução livre), estabelecem uma relação de cada um dos estilos educativos parentais com uma série de consequências pessoais:

  • Crianças e adolescentes educados sob o estilo autoritário apresentam alto desempenho acadêmico. No entanto, também têm baixa autoestima, autonomia e competência social.
  • O estilo permissivo gera altos níveis de autoestima e confiança, mas há uma tendência a ser egocêntrico, desobediente e com baixo rendimento escolar.
  • A falta de autocontrole e a agressividade são algumas das consequências geradas pelo estilo negligente. Além disso, há uma maior predisposição para sofrer de distúrbios psicológicos.
  • Os pais que usam o estilo democrático geram uma atmosfera familiar liderada pelo respeito mútuo e pela cooperação. Isso desenvolve um autoconceito realista e positivo na criança. Ao mesmo tempo, surge uma alta motivação para o sucesso, o que se traduz em um bom desempenho escolar.
Consequências na personalidade da criança

Por fim, embora essa proposta teórica sobre os diferentes estilos educativos parentais deva ser considerada dentro das tendências globais de comportamento, isto é, podendo variar dependendo da realidade de cada família, a eficácia do estilo democrático é óbvia.

Em resumo: explicar razoavelmente as normas e decisões para os nossos filhos e mostrar sensibilidade às suas necessidades dentro de um ambiente comunicativo afetivo vai contribuir para ajudá-los a construir uma personalidade positiva, realista e saudável.

  • Maccoby, E.E. y Martin, J.A. (1983). Socialization in the context of the family. In E.M. Hetherington (Ed.). Handbook of Child Pyschology. Vol 4. Socialization, personality and Social development. (pp. 1-101). New York: Willey.
  • Torío, S., Peña, J.V. y Rodríguez, M.C. (2008). Estilos educativos parentales. Revisión bibliográfica y reformulación teórica. Universidad de Oviedo, Vol 20, (pp. 151-178). España.