Exercícios para desenvolver a psicomotricidade fina de seu filho

6 de outubro de 2018
A psicomotricidade fina propicia ao bebê as habilidades que servirão para seu desenvolvimento e independência.

É conhecida como psicomotricidade fina a sequência de movimentos coordenados com um elevado nível de precisão. 

À medida que uma criança alcança seu objetivo e o domina, ela avança a uma nova etapa e torna suas outras habilidades mais complexas.

Digamos, por exemplo, que um bebê não nasce com a capacidade de esticar os bracinhos para segurar os objetos.

Se nos primeiros dias de sua vida conseguir fazer isso sozinho, será por instinto porque seu cérebro não está preparado para conscientizar e detalhar que quer realizar essa ação.

Contudo, com o passar dos meses, a criança vai conseguindo pegar os brinquedos que a mamãe coloca ao seu lado.

Mesmo que, às vezes, os brinquedos caiam e o bebê não consiga brincar direito com eles, pelo menos ele dá esse primeiro passo no desenvolvimento de sua psicomotricidade.

Após haver iniciado desde esse ponto de partida, o bebê é capaz de segurar bem os bonecos e vira-os para ver o que está atrás.

Toda vez que domine e segure o brinquedo, acontecerá a importantíssima e graciosa habilidade de pegar os objetos, posicionando seus dedos indicador e polegar em forma de pinças.

psicomotricidade fina

Como você deve ter notado, a psicomotricidade fina engloba uma quantidade de habilidades que a criança aprende a dominar uma atrás da outra e à medida que cresce.

E como também você deve ter notado, essas peripécias podem ser estimuladas com a ajuda da mamãe.

Levando isso em consideração, a seguir oferecemos a você alguns exercícios para desenvolver a psicomotricidade fina de seu filho.

Desenvolva a psicomotricidade fina de seu filho de 1 ano

Com um ano, não são poucas as coisas que se pode fazer, muito pelo contrário.

Para desenvolver a psicomotricidade fina nesta etapa, a mamãe pode ajudar a criança a bater palmas enquanto cantam ou escutam uma canção e outras brincadeiras tradicionais.

Também deverá ensinar os movimentos coordenados realizados, digamos, na ginástica matutina: levantar e abaixar ambos os braços, abrir e fechar os dedos das mãos ou de uma mão só por vez, etc.

Com um ano, o bebê deverá aprender tudo isso, o que servirá muito para o fortalecimento de suas mãos e dedos.

Essas atividades ajudam a encaixar e desencaixar objetos ou introduzir e tirá-los de dentro de determinados recipientes.

Desenvolva a psicomotricidade fina de seu filho de 2 anos

Para uma criança de 2 anos, devemos dar pincéis, giz de cera ou lápis coloridos para que faça traços de forma livre.

Certamente, isso também ajudará a despertar sua imaginação: “Olhe mamãe, pintei uma barata!”

Outra importante atividade consiste em moldar com massa de modelar ou argila, brincar na praia, construir castelos ou a fazer riscos na areia molhada.

psicomotricidade fina

As palmas já não serão executadas de qualquer forma, mas seguindo o ritmo da música dentro do possível.

A criança vai praticar o abrir e fechar das tampas de garrafas e folhear um livro, prestando atenção para não rasgar as folhas.

Desenvolva a psicomotricidade fina de seu filho de 3 anos

Se seu filho tem 3 aninhos, já está preparado para avançar com outras atividades mais complexas.

A primeira que propomos consiste em oferecer a ele dois objetos iguais (recomendamos cubos ou objetos de plástico).

A criança deverá andar sem que ambos os objetos caiam e você deve cuidar para que os mesmos fiquem soltos sobre suas mãos, ou seja, que ele não os esteja segurando com os dedos.

Esse exercício ajuda a conhecer sobre o equilíbrio e a fortalecer o controle das mãos.

A segunda atividade oferece à criança a possibilidade de conhecer o mundo animal enquanto desenvolve suas habilidades da psicomotricidade

Nesta oportunidade, você deve pedir a ele para reproduzir o movimento de alguns animais somente com as mãos ou que simule suas características.

Por exemplo: se querem imitar um touro bravo, você o ajudará a levantar um braço para frente colocando a mão em forma de chifres (dedos mindinho e indicador esticados) e investir como se realmente se tratasse de um touro bravo.

Se quiserem transformar as mãos em um pato, você o ajudará a juntar todos dedos esticados e abrir e fechar o polegar como se o pato estivesse falando.

Com 3 anos, a criança aprenderá a abrir os dedos de uma das mãos enquanto fecha os da outra.

Assim, aos poucos desenvolverá sua coordenação viso-manual.