Como explicar as fases da meiose para as crianças

21 de outubro de 2019
A meiose é um processo de geração de células com a metade dos cromossomos da célula-tronco. Isso ocorre nos ciclos biológicos em que há um processo de reprodução sexuada.

Meiose é um termo de origem grega que significa diminuição. É um dos processos de reprodução celular, juntamente com a mitose, mas, diferentemente dela, são obtidas quatro células-filhas haploides a partir de uma célula diploide como resultado da divisão.

Mas o que tudo isso significa e quais as implicações dessa redução? Ao longo deste artigo, que fala sobre como explicar as fases da meiose para as crianças, vamos responder a essas e outras perguntas de uma forma alegre e divertida.

Antecedentes das fases da meiose explicados às crianças

Para poder entender bem o processo da meiose, é necessário compreender o seu objetivo: obter gametas, que são as células reprodutivas dos organismos de reprodução sexuada.

Visto que para esse objetivo, ou seja, a reprodução, são necessários um gameta feminino e um masculino, cada um deles deve ter metade dos cromossomos de qualquer outra célula do corpo.

Portanto, a meiose nos conta a história de um par de cromossomos siameses (chamados de bivalentes pelos cientistas) presentes em uma célula diploide.

Cada célula diploide possui 46 cromossomos com duas cromátides e, por causa de uma reformulação estrutural chamada gametogênese, elas são separadas em células haploides distintas, com 23 cromossomos de uma cromátide em cada uma.

explicar as fases da meiose

Fases da Meiose explicadas para as crianças

A meiose ocorre em duas fases de redução consecutivas: Meiose I e Meiose II. Antes da primeira divisão meiótica, é necessário que o material genético seja duplicado. Dessa forma, serão obtidos os nossos cromossomos siameses.

Na espécie humana, os cromossomos têm forma de X. Se dividirmos o X ao meio longitudinalmente, cada parte será chamada de cromátide e o ponto de junção será o centrômero. Durante as fases da meiose, as cromátides se sobrepõem para gerar um gameta.

Fases da Meiose I ou Mitose reducional

Prófase I

  • É o período mais longo e mais complexo. Caracteriza-se pela formação de bivalentes, que são o emparelhamento de cromossomos homólogos.
  • Os bivalentes, ou siameses, trocam fragmentos de DNA enquanto estão unidos pelo centrômero. Essas áreas de recombinação são chamadas de quiasmas.
  • Os cromossomos são condensados e separados do envoltório nuclear.
  • Essas alterações ocorrem durante 5 etapas: Leptóteno, Zigóteno, Paquíteno, Diplóteno e Diacinese.

Prometáfase I e Metáfase I

O envoltório nuclear e algumas outras organelas desaparecem. Enquanto isso, nossos siameses continuam se condensando e se dirigindo para o centro da célula, direcionados pelos microtúbulos do fuso mitótico para formar a placa metafásica.

Anáfase I

Uma organela chamada centrossoma, localizada em ambos os polos da célula, começa a coletar os microtúbulos do fuso, de maneira a romper os bivalentes, ou seja, os siameses. Cada um irá para um polo celular, indistintamente.

Telófase I

Essa fase raramente ocorre. Depois dela, a membrana nuclear se formaria novamente e obteríamos duas células-filhas haploides, com 23 cromossomos cada, mas com duas cromátides por cromossomo.

Antecedentes das fases da meiose explicados às crianças

Fases da Meiose II explicadas para as crianças

Na verdade, esse estágio é uma mitose normal, na qual não houve duplicação do material genético anteriormente, uma vez que o objetivo da meiose é obter gametas e na qual, além disso, não há troca de material genético entre os cromossomos irmãos.

Também acontece em 4 fases: Prófase II, Metáfase II, Anáfase II, e aqui sempre ocorre a Telófase, na qual os cromossomos se desespiralizam, ou seja, a membrana nuclear é formada. O processo culmina com a Citocinese, que é a divisão física da célula.

Como resultado, são obtidas 4 células-filhas haploides, que possuem 23 cromossomos, e cada cromossomo é formado por uma única cromátide ou, em outras palavras, cada cromossomo se parece com meio X. Por que esse processo é tão importante?

Importância genética da meiose

Já dissemos que o seu principal objetivo é a formação de gametas. No entanto, durante a gametogênese, os cromossomos, tanto paternos quanto maternos, são distribuídos aleatoriamente entre as células-filhas.

Essa separação é de vital importância para o processo de reprodução sexuada. Isso porque, se não fosse dessa forma, a mãe teria 46 cromossomos e o filho 92.

Embora a meiose seja realmente importante por causa da variabilidade genética que traz para as espécies, precisamente no momento exato em que os siameses trocam fragmentos aleatórios de DNA, eles fazem com que não haja dois gametas iguais. E essa variabilidade genética é um dos componentes mais importantes para a evolução das espécies.

“Dei o nome de seleção natural ou de persistência do mais apto à conservação das diferenças e das variações individuais favoráveis e à eliminação das variações nocivas.”

-Charles Darwin-

  • Pérez Porto, J. (2019). Definición de meiosis. [artículo en web]. Recuperado de: www.definicion.de
  • Alberts, Bruce. (2010). Biología molecular de la célula. Editorial: Omega