O fenômeno Pokémon continua vivo

13 Agosto, 2020
Mais de duas décadas se passaram desde que o Nintendo Game Boy deu as boas-vindas a Pokémon, uma de suas franquias de maior sucesso. Por que ele continua sendo popular até hoje?

Já se passaram mais de vinte anos do convite para descobrir as maravilhas desse videogame, jogar as ‘pokébolas’ e lutar incansavelmente para evoluir como treinador. A revolução do fenômeno Pokémon continua crescendo, com importantes conquistas a seu favor.

Essa é, nada mais nada menos, do que a segunda franquia de maior sucesso na história, ficando atrás apenas de Mario Bros. Estamos falando do até agora insubstituível fenômeno Pokémon que, apesar do tempo e dos grandes rivais, ainda continua vivo como sempre.

Suas vendas são medidas em bilhões de dólares, e o número de videogames da franquia é descomunal. Sua base de fãs é uma das mais espetaculares do setor, que foi e será passada por gerações. Em suma, o sucesso desse jogo é indiscutível.

Falar sobre o fenômeno Pokémon significa lembrar de seu criador, Satoshi Tajiri, que talvez seja uma das personalidades mais enigmáticas do mundo dos videogames. Afinal, suas aparições públicas são escassas, assim como as entrevistas que dá à imprensa, já que ele também não permite que sejam tiradas fotos dele.

As origens do fenômeno Pokémon

Conhecido como Senhor Inseto na escola, Tajiri adorava explorar os arredores rurais da cidade para pegar insetos. Ele era o ‘garoto estranho’ da turma, tinha problemas de sociabilidade e alguns até mesmo pensavam que ele tivesse Asperger. No entanto, o que a maioria ignorava era que ele tinha uma mente brilhante.

Então, conforme os anos foram passando, as crianças pararam de brincar nas ruas para passar o tempo em fliperamas e, por isso, ele teve uma grande ideia: “levar a diversão da sua infância para um videogame”E foi assim que surgiu Pokémon, graças também a Ken Sugimori, que é o designer da imagem das criaturas que conhecemos atualmente.

A estreia de Pokémon não ocorreu nas telas, pois suas ilustrações foram reveladas pela primeira vez em Game Freak, uma publicação de truques para videogames criada por Tajiri juntamente com Sugimori. Essa publicação chegou a vender mais de 10.000 cópias por edição, o que permitiu a contratação de funcionários para manter o projeto em constante evolução.

A Game Freak continuou a crescer e se tornou uma empresa que começava a ver outros rumos na criação de jogos eletrônicos. Depois de Quinty – seu primeiro sucesso em 1989 – eles começaram um novo projeto: Pocket Monsters, que contava com as ideias de Tajiri e os desenhos de Sugimori, além de conselhos do criador de Mario Bros, Shigeru Miyamoto.

O fenômeno Pokémon continua vivo

O começo do sucesso e o fenômeno Pokémon

No mercado japonês, esse projeto alcançou a venda de um milhão de cópias durante o primeiro ano. Seu nome foi abreviado para o que conhecemos atualmente: Pokémon, um jogo que se tornou um sucesso absoluto também nos Estados Unidos.

Mas Tajiri não parou por aí! Ele teve a brilhante ideia de criar um personagem oculto no jogo que só poderia ser obtido através de trocas e que foi batizado como Mew, um tipo de gato criado por último para essa primeira edição e que lhe deu maior popularidade.

Ao espalhar a palavra sobre esse novo personagem nas sombras, rumores e mitos foram criados em torno do jogo e o interesse dos jogadores foi mantido vivo. A revista CoroCoro Comics lançou um concurso no qual os vencedores foram os primeiros a obter o personagem Mew em seus consoles. Com isso, o fenômeno Pokémon começava.

Enorme catálogo de videogames

Sem dúvida, Pokémon é um sucesso mundial. Uma das razões pelas quais alcançou esse lugar de honra e permanece nele é seu variado catálogo de videogames. Eles têm um enredo espetacular, que é desenvolvido ao assumir a missão de deixar a cidade natal para se tornar um mestre treinador e aspirar a vencer a liga, capturando todas as criaturas.

Os lançamentos foram surgindo por gerações e com elas chegaram novas espécies, movimentos, histórias, habilidades e também grandes melhorias na qualidade gráfica. Confira, a seguir, as principais características de cada uma delas:

Primeira geração do fenômeno Pokémon

  • 151 espécies.
  • Console Game Boy: seus videogames foram o início de tudo, introduziu os conceitos de progressão de rpg e batalhas por turnos.

Segunda geração

  • 251 espécies.
  • Console Game Boy Color.
  • Contou com a inovação da transição dia – noite e um sistema de reprodução.

“Pokémon é a segunda franquia de maior sucesso na história, ficando atrás apenas de Mario Bros”.

Terceira geração

  • 386 espécies.
  • Console Game Boy Advance.
  • Poderosa evolução visual.
  • Surgem os concursos Pokémon e as batalhas dois contra dois.

Quarta geração

  • 493 espécies.
  • Console Nintendo DS.
  • A grande novidade: o mundo é mostrado em 3D.
  • A funcionalidade tátil é adicionada e os jogos online são aprimorados.

Quinta geração

  • 649 espécies.
  • Console Nintendo DS.
  • São introduzidos mais Pokémons e líderes de academia.

Sexta geração

  • 721 espécies.
  • Console Nintendo 3DS.
  • Chegam as Mega evoluções e o novo tipo Fada.
  • Batalhas de horda e aéreas.
O fenômeno Pokémon continua vivo

Evolução além dos videogames

Os videogames são o que tornou possível o fenômeno Pokémon, mas, sem dúvida, vai muito além deles. Pokémon também tem suas aventuras em anime, que ultrapassam os 900 episódios, aos quais se somam um bom número de filmes.

Assim, fica claro que Pokémon não é apenas um videogame. Ao longo dos anos, tem sido protagonista de filmes, mangás, brinquedos, quadrinhos, cartas e, acima de tudo, de um sentimento comum: “lutar e vencer”.

Esse é um fenômeno que tem sido cultivado por um grande número de colecionadores, que apreciam cada um de seus itens ao máximo, uma vez que os levam de volta à infância. Além disso, atualmente, continua a chamar a atenção das novas gerações, garantindo, assim, seu sucesso eterno.