Meu filho tem medo de tudo: o que eu devo fazer?

Os medos, embora possam ser evolutivos e passar à medida que a criança cresce, também podem ser irracionais e causar um desconforto significativo. Portanto, é importante saber o que fazer nesse tipo de situação.
Meu filho tem medo de tudo: o que eu devo fazer?

Última atualização: 24 Junho, 2021

O seu filho tem medo de tudo e você não sabe o que fazer a respeito? É normal e muito comum que as crianças sintam medo. É até positivo, pois o medo as protege de possíveis perigos, desde que não sejam irracionais. Existem medos que são comuns a todas as crianças e que ocorrem de forma evolutiva dependendo da idade e, aos poucos, são superados quando os pequenos recebem ajuda.

Nesse sentido, a preocupação deveria surgir quando os medos duram muito tempo e, além disso, provocam um estado de ansiedade excessiva.

Nas linhas a seguir, vamos contar como você pode ajudar o seu filho a superar esses medos e como incentivá-lo a dizer o que sente e a conversar sobre suas emoções. Os pais costumam tentar acalmar os filhos quando eles estão com medo, minimizando essa sensação.

O que acontece é que, para os pequenos, o que sentem como ameaça e medo é real. Por isso, devemos ajudá-los a administrar aqueles medos que, no fim, são uma emoção que os prepara para se defender de situações ou coisas perigosas ou desconhecidas.

Por que seu filho está com medo?

 

Menina coberta com o lençol porque tem medo de ter pesadelos.

É muito comum que as crianças tenham medos diferentes, dependendo do estágio de desenvolvimento em que se encontram. Normalmente, como mencionamos, os medos são evolutivos e mudam conforme suas características cognitivas, emocionais e sociais se alteram. Esses medos geralmente desaparecem à medida que as crianças crescem.

Dependendo de suas características e experiências, há crianças que vivenciam esses medos de maneiras diferentes ou podem nunca sentir um medo que ocorre com frequência em crianças da mesma idade.

Por exemplo, uma criança que já foi atacada por um cachorro não reagirá da mesma forma que outra que teve experiências positivas com esses animais. A primeiro terá medo e pode até sentir ansiedade na presença de um cachorro, enquanto a outra não vai se alterar.

Outra questão é que alguns pais recorrem a instilar medo nos filhos para protegê-los de situações perigosas (estranhos, animais, trânsito, tomadas, etc.), mas às vezes também o utilizam para controlar o comportamento dos pequenos. Essa prática educativa ocorre com frequência, e uma criança pode chegar a obedecer no momento do medo, mas em longo prazo vai apresentar problemas mais sérios. Portanto, atenção!

O que fazer se seu filho tiver medo?

Quando uma criança está assustada e tem medo com muita frequência, estas são as recomendações que podem ser seguidas:

  • Saiba o que a assusta e converse com ela para que se sinta compreendida e ouvida. Explique que às vezes é normal ter medo, mas outras vezes esses medos não têm uma base real.
  • Sempre demonstre compreensão e apoio. A criança tem que sentir que os pais podem ajudá-la a superar esse medo.
  • Transmita calma e segurança mantendo um tom de voz relaxado.
  • Ensine-a a superar esses momentos de ansiedade, usando técnicas de relaxamento, técnicas de respiração, ouvindo música ou fazendo qualquer atividade que a mantenha ocupada.
  • Explique racionalmente o motivo pelo qual ela está fora de perigo e mostre que seu medo não responde a nenhuma situação real, se for o caso.
  • Enfrente os medos da criança junto com ela. Se o medo for de cães, é aconselhável não atravessar a rua caso encontre algum no seu caminho. Procure agir com naturalidade, assim seu filho vai perceber que esse medo não tem motivo, porque os cachorros não saem mordendo as pessoas na rua.
  • Incentive a criança a enfrentar seus medos aos poucos com sua ajuda. Quando ela tiver comportamentos corajosos, faça elogios.
  • Seja o exemplo. Os pais têm que ser um modelo de melhoria aos pequenos. Se eles próprios tiverem medo de alguma coisa, devem enfrentar a situação, da mesma forma que pedem para o filho.
  • Tenha o humor presente. O melhor remédio contra o medo é transformar os aspectos que causam medo nas crianças em outras características mais engraçadas.

O que você não deve fazer?

É inevitável que as crianças sintam medo de certas coisas, mas se puderem contar com a paciência e a ajuda dos pais, esse medo vai desaparecer aos poucos. É importante que o pequeno sinta confiança e saiba que seus pais ou as pessoas que estão com ele o ajudarão. A seguir, contamos o que você não deve fazer se seu filho estiver com medo:

Criança chorando porque tem medo de tudo.

  • Não ignore nem subestime os medos da criança. Se você fizer isso, seu filho sentirá que há desinteresse por ele, além de falta de atenção e carinho.
  • Não conte histórias de fantasmas, bruxas ou outros seres fantásticos, especialmente antes de dormir.
  • Não ria dos seus medos, nem envergonhe seus filhos ou zombe deles. Se frases como “Outras crianças da sua idade não têm esse medo” ou “Você não tem vergonha de ter medo disso?” forem usadas, isso não reduzirá o medo. Pelo contrário, fará com que a criança não conte mais seus medos para você.
  • Não evite as coisas que a criança teme, porque ela pode superar o medo nesse momento, mas não o superará definitivamente.
  • Não dê mais importância do que o necessário. Se seu filho tiver medo de um cachorro e você se colocar na frente para mostrar que vai defendê-lo, seu filho entenderá que os cães são realmente perigosos e que você não o ajudará a superar esse medo.
  • Não use a cama como meio de resolver o medo do escuro, por exemplo.
  • Não a force a enfrentar seu medo sozinha. Se uma criança tem medo do escuro, não a force a entrar na sala sozinha se ela não quiser. Sua ansiedade aumentará e esse medo se tornará mais resistente.

Ajude se seu filho estiver com medo

Os medos são normais e evolutivos nos pequenos e tendem a passar à medida que eles crescem. Se o seu filho tem medo e você considera que isso o incapacita, causa ansiedade excessiva e tem um impacto significativo na vida dele, além de seguir essas dicas, é importante buscar ajuda profissional. Assim, você poderá receber orientações para tentar resolver esse medo irracional.

O medo é uma emoção que desencadeia um mecanismo de defesa natural contra os perigos que enfrentamos. Isso é positivo em certas situações para não colocar a vida em perigo. O problema surge quando esse medo não tem base real e causa desconforto significativo na pessoa que o sente.

It might interest you...
Educação dos filhos: medos das mães de primeira viagem
Sou MamãeLeia em Sou Mamãe
Educação dos filhos: medos das mães de primeira viagem

Vamos falar sobre alguns dos principais medos que muitas mães de primeira viagem compartilham quanto à educação do seu pequeno.