Filosofia para crianças

· 16 de março de 2018
A filosofia para crianças não exige que elas se sentem para ler e analisar textos de Sócrates ou Platão. Este modelo planeja o uso de materiais de acordo com a idade para introduzir um tipo de pensamento diferente, que questione e reflita sobre a vida cotidiana.

Apesar de ser uma das matérias mais odiadas durante a vida escolar de grande parte dos adolescentes, a filosofia também desperta paixões inimagináveis em muita gente.

Aqueles que gostam de analisar as questões essenciais da existência humana poderiam passar horas falando dela. Porém, podemos gerar um sentimento similar por meio da filosofia para crianças? Neste artigo, vamos nos aprofundar neste aspecto.

A filosofia é uma doutrina responsável por procurar explicação para perguntas básicas e elementais que o homem se faz sobre sua própria existência. Essa área do conhecimento se baseia no raciocínio para determinar princípios gerais sobre a realidade e o propósito da vida do homem na Terra.

Por ser um campo muito abstrato e que requer análise e reflexão profundas para encontrar, às vezes, uma resposta que não chega a solucionar nenhum problema, costuma ser odiada por muitos adolescentes.

Porém, existe uma forma de aplicá-la que pode despertar interesse nos pequenos. A filosofia para crianças abre as portas para um mundo que as crianças nunca imaginaram.

A filosofia é a ciência que complica as coisas que todo mundo sabe.

– Juan Benet –

Filosofia para crianças: em que consiste?

Visto que as crianças ainda não desenvolveram (pelo menos não plenamente) seu pensamento abstrato, não podemos esperar delas raciocínios profundos ou reflexivos. Mas, em contrapartida, podemos ver que muitas coisas despertam curiosidade nos pequenos. E isso também tem a ver com a filosofia.

Em que sentido são similares? No sentido de que os filósofos procuram a explicação de cada acontecimento na vida. Do mesmo modo, as crianças querem saber o que acontece, o porquê e o que vai acontecer depois. Como vemos, a essência do modo de pensar é quase a mesma.

Estes são alguns temas que despertam interesse nas crianças:

  • Como surgiu a vida?
  • O que é a morte e para onde vão as pessoas que morrem?
  • Quem é Deus?
  • Como saber se uma ação é ruim ou boa?
  • Quais são os valores importantes na vida?

Benefícios da filosofia para crianças

A filosofia para crianças pode trazer grandes benefícios. Primeiro, no âmbito cognitivo, já que as crianças vão desenvolver um pensamento crítico que as levará a entender melhor tudo o que acontece ao seu redor.

Mas também no emocional, já que isso aumentará sua confiança e sua satisfação para conhecer o que está ao redor.

Então, estes benefícios são:

  • Surgimento de um pensamento crítico e analítico.
  • Interpretação de ações e processos das pessoas.
  • Comparação de atos bons e ruins para escolher os melhores.
  • Reflexão sobre as ações próprias para melhorá-las ou não repeti-las.
  • Compreensão dos sentimentos dos outros.
  • Geração de empatia e capacidade de se colocar no lugar do outro.
  • Incentivo da criatividade e da inteligência lateral, ou seja, do pensamento “fora da caixa”.

Não posso ensinar nada a ninguém. Só posso os fazer pensar.

– Sócrates –

Como colocar em prática a filosofia para crianças?

Os âmbitos em que estes saberes podem ser transmitidos às crianças são em casa e na escolaExiste muito material escrito por profissionais que ajudam a introduzir as crianças neste campo.

O objetivo é semear nelas ideias essenciais como as citadas anteriormente através de histórias e contos nos quais protagonistas também são crianças. Depois de ler e analisar as histórias, com certeza a criança terá as mesmas preocupações que seus personagens.

Além disso, estes livros costumam vir acompanhados de manuais para professores e pais. Assim, diante de cada história, eles saberão qual é o aprendizado que devem destacar. Isso vai depender do conteúdo: como os irmãos nascem, para onde vão os avós quando morrem, quem é Deus, por que é importante ser uma boa pessoa e como conseguir fazer isso.

O melhor aspecto deste modelo educativo é que rompe com o paradigma mais frequente da transmissão inquestionável de conhecimentos. Pelo contrário, incita as crianças a duvidar de tudo o que veem.

Origem da filosofia para crianças

Philosophy for Children foi um programa criado pelo psicólogo norte americano Matthew Lipman na década de 60. Para capacitar os professores que desejem aplicar este método, Lipman fundou o IAPC, Instituto para o Desenvolvimento da Filosofia para Crianças (sigla em inglês).

Lipman e seus colaboradores tinham como objetivo central transformar a educação em uma experiência globalizadora, não unicamente limitada ao âmbito escolar. Sua finalidade não deveria ser só comunicar realidades já prontas, mas também ajudar as crianças a se questionarem e a procurar suas próprias respostas.

Como observamos, a filosofia para crianças pode produzir um modo de pensar totalmente diferente do proporcionado pela educação atual. Por isso se trata de um método inovador que pouco a pouco está sendo considerado por mais instituições educativas. O ensinamento personalizado e o diálogo são fatores centrais para que este tipo de aprendizagem possa se concretizar.