Frozen, a força do amor entre irmãs

· 27 de janeiro de 2018
Desde a sua estréia mundial no ano de 2013, frozen conseguiu captar a atenção de todo o público e se fazer ouvir através da popular canção

Frozen é um filme da Disney que rompeu com muitos dos esquemas dos contos de fadas. Esse filme conta a história de duas irmãs e não se concentra unicamente em um amor romântico, exalta principalmente o amor fraternal.

O que mais chama a atenção neste longa animado é que o amor fraternal prevalece diante das adversidades. Por outro lado, as princesas não correspondem aos papéis típicos dos contos de fadas.

Frozen é inspirado na história de A Rainha da neve escrita por Hans Christian Andersen, o mesmo autor de A Pequena Sereia.

No mito, uma rainha má do gelo sequestra um menino, que será resgatado por uma amiga sua, Gerda. A menina tem que passar por intermináveis perigos para salvar seu amigo, mesmo ajudada por um conjunto de personagens.

Devido ao seu cenário obscuro e à pouca receptividade da audiência, a ideia original foi descartada. Ainda assim, no filme de 2013 podemos encontrar ainda muitas características similares A Rainha da neve.

Frozen: o reino de gelo

Frozen nos conta a história de Elsa e Ana, as princesas do reino de Arendelle. Elsa tem o poder de congelar tudo o que toca e, depois de ferir Ana acidentalmente na infância, decide se isolar. Ana não lembra do incidente e acredita que sua irmã não a ama.

Depois da morte de seus pais, Elsa assume o trono. Ana decide se casar com um suposto príncipe (Hans) que acaba de conhecer, mas Elsa não aprova a união. Em uma explosão de medo, seus poderes saem do controle e ela fica exposta diante da sociedade presente. O Duque de Wesselton, tio do príncipe, a acusa de ser um monstro e ela foge.

Um irmão é um amigo dado pela natureza.

– Jean Baptiste Legouvé –

Ana se arma de valor e vai em busca da irmã. No caminho contará com a ajuda de um jovem coletor de gelo, Kristoff e sua rena Sven. Juntos viverão uma infinidade de aventuras e conhecerão o boneco de neve Olaf. Quando, por fim, encontram Elsa, ela volta a machucar sua irmã acidentalmente.

Kristoff a levará de volta para casa com o príncipe, sem saber que Hans na verdade é o vilão da história. A única forma de Ana se recuperar é recebendo um ato de amor de alguém, e o príncipe Hans se nega a ajudar. Quando a farsa é descoberta, Elsa enfrenta Hans.

Quando Elsa estiver a ponto de ser assassinada por Hans, Ana reaparecerá e se colocará entre ambos. Exatamente nesse instante, ela se transformará em uma escultura de gelo. Elsa se dará conta do grande ato de amor de sua irmã e a abraçará, e é esse ato que romperá a maldição.

Lições vitais de Frozen

A mensagem por trás da trama principal de Frozen é que o amor fraternal é mágico, único e especial. Uma irmã pode dar uma lição de vida através de algumas formas:

  1. Uma irmã nos lembra de que o amor romântico não é tudo na vida.
  2. Não há porque idealizar o amor romântico e nem correr atrás dele. Tudo chega em seu devido momento.
  3. As irmãs existem para se amar, se apoiar e superar as adversidades.

Quando Ana se transforma em gelo não é um beijo de amor romântico que a salva, e sim uma lágrima de sua irmã.

Dentro da temática amorosa também se encontra Kristoff. Ele representa o amor realcom seus defeitos e suas sombras. Ainda que possamos apreciar a atração existente entre ele e Ana, ela se nega a reconhecer e aceitar seus sentimentos. Kristoff e sua aparência não correspondem à sua percepção do que é o amor.

Da mesma forma, é enfatizado o valor do sacrifício e a necessidade de autocontrole, lições que Elsa custa aprender. Ela talvez seja o personagem mais solitário do filme e o que mais desfruta da solidão.

Apesar de sua necessidade de independência, no fim mudará seu ponto de vista. Descobrirá que é possível manter sua autonomia sem ter que se isolar do mundo. Basta que exista uma boa comunicação com os demais e que eles respeitem nossos gostos.

Quem realmente nos ama saberá apreciar nossa forma de ser. E se se trata de um irmão ou irmã, não só apreciará nossas particularidades mas também as admirará.