A importância do contato físico na educação dos filhos

22 Novembro, 2020
O contato físico na vida das pessoas é fundamental, por isso vamos conhecer a importância dele na educação das crianças, pois ele influência a saúde, o desenvolvimento e o bem-estar tanto das crianças quanto dos adultos.

Um abraço, uma carícia ou dar as mãos podem acalmar a tristeza de alguém, ou ajudar a reduzir os efeitos do estresse. Portanto, os pais devem estar conscientes da importância do contato físico na educação dos filhos, especialmente quando eles são pequenos, uma vez que a interação corpo a corpo tem uma grande influência sobre a saúde e o desenvolvimento físico, emocional, mental e cognitivo das crianças.

O contato físico, saúde e bem-estar emocional

O contato físico entre as pessoas desencadeia uma série de mecanismos fisiológicos que ajudam a melhorar o humor e a saúde em geral. Um abraço em um momento de estresse ajuda a reduzir a produção de cortisol que o provoca.

Uma carícia na têmpora de um bebê pode ajudá-lo a adormecer, já que o contato físico aumenta os níveis de serotonina, uma substância relacionada à regulação do humor e do sono.

A importância do contato físico na educação dos filhos

Consequentemente, a importância do contato físico na educação dos filhos é justificada pelos inúmeros benefícios traz em muitos aspectos. Assim, o fato de as crianças crescerem em um ambiente onde o afeto é manifestado, entre outras formas, por meio da interação física, traz benefícios importantes como:

  • Melhorar as relações sociais e comunicativas.
  • Diminuir e administrar melhor os estados de ansiedade ou estresse.
  • Reduzir a percepção da dor.
  • Melhorar o humor em geral.
  • Reforçar a autoestima e a motivação.
  • Melhorar os processos de aprendizagem.

A interação física, um alimento para nossos filhos

Junto ao leite que bebem todos os dias, o contato físico das crianças com seus entes queridos também é um alimento essencial para que elas cresçam saudáveis. As carícias, os beijos, os abraços, a proximidade e a proteção corporal também devem ser o sustento diário das crianças. Portanto, a educação dos filhos deve ser acompanhada e reforçada por uma interação física saudável e constante.

A proximidade e a intimidade física com os filhos, desde cedo, permite o desenvolvimento de uma relação mais profunda com eles. Ao contrário do que muitos pensam, isso pode ajudar a fortalecer ainda mais a relação com os filhos, mesmo quando eles são adolescentes ou adultos.

Nesse sentido, a importância do contato físico tem sua razão de ser porque é uma forma de comunicação com os filhos. Em outras palavras, a interação física entre as pessoas, o contato corpo a corpo, ainda é uma forma de comunicação não verbal.

Através da interação física, os seres humanos também se expressam e interagem. Portanto, a interação física com os filhos é uma forma não verbal através da qual os pais também podem dialogar, negociar e educar as crianças.

“O contato físico parece ser tão essencial quanto a luz solar”.

-Diane Ackerman-

A importância do contato físico na educação dos filhos

O contato físico, como algo natural

É importante que adultos e pais estejam cientes de que a interação física com os filhos deve ocorrer naturalmente. Ou seja, os pais devem mostrar seu afeto pelas crianças através do contato e devem tentar fazer com que elas também o façam.

Entretanto, não podemos obrigar os pequenos, todos eles e nas mesmas situações, a serem expressivos através de demonstrações físicas. Cada criança e cada jovem tem sua própria personalidade e tempo para dar e receber afeto através do contato físico. E nem todas as crianças ou adultos se sentem à vontade com as demonstrações físicas de afeto excessivas.

São as próprias crianças, suas particularidades e necessidades, que devem estabelecer os limites e os tempos para o desenvolvimento do vínculo físico de afeto. Portanto, uma educação baseada no desenvolvimento natural do contato físico entre pais e filhos significa ensinar que o afeto físico é desinteressado e que dar afeto não implica esperar nada em troca.

Dessa forma, as crianças poderão compreender e interiorizar que o contato físico deve ser sempre o resultado da confiança e do consentimento mútuo. Isso é fundamental para que os pequenos desenvolvam a autodeterminação sobre seu próprio corpo e consigam diferenciar entre o contato físico que envolve afeto, contenção, entrega e amor daquele que tem outros fins e outras conotações.