A importância de transmitir às crianças os valores da tolerância

· 31 de janeiro de 2018

A tolerância é uma atitude que torna as pessoas melhores. É essencial que as crianças a incorporem e a pratiquem desde cedo, para uma melhor relação com os demais e para o próprio crescimento individual.

As provocações, o bullying, a falta de respeito e outras manifestações negativas são próprias das crianças que não sabem tolerar. Felizmente, os pais têm em suas mãos a capacidade de formar melhores pessoas graças ao ensino de bons valores. Precisamente, a tolerância ocupa sem dúvida um lugar entre as qualidades mais necessárias no mundo atual.

A transmissão oral e o exemplo são os recursos principais com que as famílias contam para educar moralmente seus filhos. Na escola se faz o bastante, porém isso muitas vezes não é o suficiente: o trabalho continua em casa.

Vejamos então a importância de ensinar a tolerância e algumas ações que podemos colocar em prática para incentivá-la nas crianças.

Em primeiro lugar, o que exatamente é a tolerância?

A tolerância é a disposição de entender outros pontos de vista e realidades diferentes das nossas. Isso implica consideração, respeito, compromisso com os demais e uma postura social equilibrada.

Contudo, não devemos confundi-la com uma atitude débil. Simplesmente se trata de não condenar os demais e ser condescendente. A parte difícil de criar filhos tolerantes é conseguir que eles o sejam sem perder o compasso de sua própria identidade, desejos e interesses.

Assim, durante uma tarefa conjunta ou uma brincadeira, os amigos da criança não devem dizer a ela tudo o que tem de fazer. A melhor maneira de equiparar a balança é incorporar outro conceito: o da justiça.

“A tolerância é a disposição de entender outros pontos de vista e realidades diferentes das nossas”

Sejamos pais com uma educação justa

É normal que, dado nosso papel de pais, nossos filhos nos vejam como uma espécie de “juízes”. Isso porque os pais passam a vida dizendo aos filhos o que está certo e o que está errado. Além disso, premiamos as boas ações e castigamos as más.

Los pequeños educados para practicar la tolerancia tienen mejores relaciones sociales.

Por esse motivo, a primeira maneira de ensinar a tolerância é a partir do juízo próprio. Nesse sentido, devemos colocar em prática uma série de ações fundamentais:

  • Questionar as atitudes egoístas e grosseiras em seus primeiros ambientes sociais.
  • Reforçar sua personalidade e valentia frente às injustiças.

Esses momentos de reflexão no calor da conversa são adequados para ir formando um determinado critério na criança. Além disso, podemos responder as suas perguntas de uma forma lógica, explicativa e sem imposições.

A expressão oral é primordial para cultivar a tolerância nas crianças

Não é somente com as conversas e os possíveis casos que se configuram como um bom momento para falar deste tipo de temas. Uma excelente via de transmissão de valores são as narrativas infantis. Canções, contos e até as historias em quadrinhos também podem ajudar a formar o substrato moral da criança.

“Os momentos de reflexão no calor das conversas são adequados para ir formando determinado critério na criança”

Outro aspecto a que se deve prestar atenção são as perguntas que as crianças nos fazem. Coisas como “Por que esse homem tem cabelos compridos?”, ou “Por que essa criança tem outra cor de pele?”, são momentos perfeitos para educar.  Os pais devem ter cuidado com o que vão dizer no momento de dar as respostas.

Construir um discurso em apoio à diversidade sempre será bom na hora de tocar nesses temas. Por sua vez, questionar as provocações construirá futuros homens e mulheres respeitosos e com qualidade humana.

La tolerancia nos hace mejores personas.

Cuidado com os preconceitos

As crianças são reflexo dos pais e demais familiares. Por lógica, quando emitimos opiniões taxativas, absolutas e prejudiciais estamos ensinando. Ainda que muitas pessoas não acreditem, as crianças são verdadeiras esponjas e absorvem tudo.

Por isso, a primeira coisa que devemos fazer para educar crianças tolerantes é nós mesmos sermos tolerantes. Os progenitores devem ser um exemplo de respeito, empatia e bons tratos, sempre evitando o conflito desnecessário. As expressões odiosas e as briguinhas de casal devem ficar entre as quatro paredes do quarto.

Inclusive, quando brincamos, as crianças podem entender uma mensagem errada. Por isso devemos sempre explicar que existem diferentes pontos de vista e dedicar tempo a este tipo de aprendizado. Não é pouca coisa: estamos ensinando as crianças a viver em sociedade.

Atenção à maneira de repreender

Os pais que se mostram raivosos, inconformados e muito restritivos são geradores de crianças intolerantes. Por isso, o aprendizado começa com nosso autocontrole e a maneira como lidamos com cada acontecimento cotidiano.

Se nos mostrarmos descontrolados, a crianças vão se ressentir e ver isso como um comportamento normal. Para dizer a verdade, banir a intolerância é eliminar a violência da vida familiar. O principal ponto do saber tolerar é compreender nós mesmos a partir do nosso lado mais humano.