A personalidade das crianças influencia na hora de comer

· 12 de novembro de 2017

Birras e caprichos infantis na hora de comer são imagens conhecidas nas maiorias dos lares. Na verdade, muitas vezes a mesa descamba numa grande batalha campal. Não querer provar determinado alimento ou saborear outro não apenas está ligado com um costume ou gosto individual, mas também com a personalidade das crianças.

Está comprovado que a personalidade das crianças influencia na hora de comer. Vejamos em qual sentido.

Cada criança possui características e traços particulares que a diferencia do resto, ou seja, outorgam uma personalidade.

O fato de que relutem a aceitar a comida ou que se comportem de determinada maneira diante de um prato é algo bastante normal em certo momento do seu crescimento.

No entanto, essas atitudes não acontecem apenas porque são crianças. Mas têm relação com as características que a definem: com a personalidade das crianças. O lado bom de saber disso reside na possibilidade de ajudá-las a tomar decisões e de saber como enfrentar essas situações.

Como lidar com as crianças na mesa

 

A personalidade da criança na hora de comer

A criança é exposta aos alimentos de diferentes maneiras durante o seu crescimento. Se no começo da sua vida o alimento básico é o leite, isso muda e é importante que inclua novos sabores e hábitos alimentares à sua vida.

A relação que a criança estabelece com os alimentos é o que denominamos comportamento alimentar. E tem a ver com várias questões: com a maneira que ela experimenta a relação com a comida no seu círculo familiar, com a disponibilidade de alimentos e o status social, com seus gostos e com as tradições. Por isso, não é um comportamento isolado ou que acontece sem motivo.

Tipos de personalidade das crianças

Vejamos os diferentes tipos de personalidade e caráter:

  • A criança que se adapta a várias situações e às mudanças que acontecem. É uma pessoa feliz, que tem hábitos regulares e podem ser previstos. Possui facilidade para se relacionar com os outros e seu nível de atenção é bom.
  • A criança é muito ativa e distraída. Retrai-se diante de situações de mudanças e muitas vezes dá vazão ao mal humor. É mais difícil gerar hábitos regulares e as birras ao dormir e ao comer são comuns. Dizemos que estamos diante de uma criança “difícil”.
  • Por último, a criança que tem um nível de atividade baixo e custa a se adaptar às situações novas e às mudanças. São pessoas sociáveis e sempre buscam a aceitação dos pais.

Qual é a influência entre personalidade e alimentação?

Existem estudos que provam que tanto a personalidade quanto as emoções influenciam na hora de comer.

A raiva, geralmente nas crianças difíceis, influencia para que na mesa sejam mais exigentes na hora de provar alimentos.

A tristeza ou ansiedade causam a perda de apetite. Por outro lado, a alegria e tranquilidade próprias das crianças “fáceis” fazem que elas se adaptem melhor a diversidade de comidas.

Como alimentar corretamente o seu filho

Geralmente os problemas de falta de apetite estão relacionados às experiências associadas com as interações sociais e familiares. Algum problema vivido na sua relação com os pais ou no seu meio, influenciará na fome.

Como isso tem a ver com o lado emocional, o grau de sensibilidade da criança está vinculado a sua personalidade. Ou seja, uma coisa leva a outra.

Negar-se a provar a comida, por sua vez, está associado a situações de superproteção e personalidades dominantes. A respeito desse último traço, com certeza os pais possuem experiência.

As crianças que rejeitam a comida, são identificadas segundo alguns traços de personalidade:

  • Aquelas que se negam a comer por conta da textura ou cor do alimento, as crianças sensoriais.
  • Aquelas que possuem traços perfeccionistas e na hora de comer têm exigências extras. É o caso de não misturar um alimento com outros.

E o que fazer agora?

O bom de conhecer essa relação é poder identificar os comportamentos das crianças sabendo que não se devem apenas ao fato de serem crianças. A personalidade influencia na hora de comer. A idade também desempenha o seu papel, já que faz com que sua relação com a comida seja relaxada ou exagerada.

A solução depende da interação entre a personalidade das crianças e a comida. Pode ser que a opção seja acompanhar a criança de outra maneira durante o seu crescimento. Ou também mudar alguns hábitos alimentares. Em qualquer caso, a paciência é indispensável!