A importância de ensinar a ter força de vontade

Ter força de vontade pode parecer uma condição inata à primeira vista, mesmo que realmente não seja assim. A força de vontade é a habilidade que permite ao indivíduo controlar seus impulsos. Diferente do que normalmente se acredita, é uma atitude que se aprende na infância. Por isso, é necessário que os pais sejam um bom exemplo para os seus filhos e que estejam ali para resolver dúvidas e mostrar diferentes alternativas.

Nem sempre a tomada de decisão coincide com o desejo. É ali onde a força de vontade entra em cena. Ter o critério para escolher corretamente e colocar de lado o inadequado, pode ser um dos aspectos mais difíceis de administrar na educação dos nossos filhos. No entanto, não é uma tarefa impossível.

Como ensinar a ter força de vontade?

A força de vontade não se trata apenas de dizer “não” ao indevido. Também é cumprir com as responsabilidades ainda que não tenha vontade. A seguir daremos alguns conselhos que te ajudarão a ensinar os seus filhos a ter força de vontade:

  1. Dê o exemplo. Se em algum momento você sentir vontade de comprar algo, mas precisa dar prioridade a outras questões, não caia na tentação consumista. Dessa forma evitará passar uma imagem equivocada ao seu filho.
    Da mesma forma, se você está seguindo determinado regime ou dieta, evite dar o mal exemplo.
  2. Seja constante. Lembre-se que você deve ser um modelo a ser seguido para que as crianças possam perceber como devem fazer as coisas e quais os benefícios da constância.
  3. Procure estabelecer uma boa disciplina. O sucesso da força de vontade deriva disso. Realizar a mesma atividade todos os dias, no mesmo horário, cria nas crianças o hábito necessário e ajuda a desenvolver a ideia de responsabilidade.
    – As crianças menos estruturadas ou mais dispersas sentem mais dificuldade para manter a disciplina. E com ela, a força de vontade.Como ensinar a força de vontade aos seus filhos
  4. Seguir o ritmo das crianças também é importante. Lembre-se de que para algumas crianças é mais simples seguir as instruções do que outras. Aprender a ter força de vontade não acontece da noite para o dia. 
  5. Peça que realize frequentemente atividades cuja a execução é simples. Por exemplo, arrumar a cama depois de se levantar, ajudar a colocar a mesa antes de comer, etc. Essas atividades podem variar para que as crianças não se aborreçam frequentemente.
    – Com o tempo elas entenderão que é preciso cumprir com a tarefa apesar das circunstâncias. É nessa hora que a força de vontade entra em ação.

A força de vontade nos adolescentes

Desenvolver a força de vontade durante a adolescência é muito importante. Essa habilidade criará o caráter para rejeitar ofertas inapropriadas, evitar ser vítima da pressão social, assim como a se comprometer com suas responsabilidades e evitar conflitos desnecessários.

Durante a adolescência, os jovens passam por fases de rebeldia. Também podem experimentar inconsistências com sua personalidade e interesse. Essa situação de instabilidade os torna mais vulneráveis à frustração. Geralmente um adolescente não é capaz de identificar do que gosta. Muito menos tem um critério muito claro sobre o que é bom ou ruim.

Como ensinar a força de vontade aos seus filhos

A força de vontade é uma prática que gera benefícios a longo prazo. Os adolescentes estão mais acostumados ao reconhecimento imediato. Isso torna a vontade pouco atrativa.

Táticas para ter força de vontade

Em primeiro lugar, o exemplo começa em casa. O discurso dos pais deve estar de acordo com as suas ações. A força de vontade deve ser praticada em todos os níveis e âmbitos.

A decisão de flexibilizar as ações deve ser uma decisão de mútuo acordo entre os pais. Os adolescentes necessitam de estrutura durante seu processo de crescimento. O jovem precisa saber que papai e mamãe são uma mesma equipe.

Constância e perseverança. Lembrar diariamente os deveres, pode ser um trabalho cansativo para os pais. Mas é necessário. É preciso destacar que os adolescentes confundem facilmente a vontade com aquilo que se “quer fazer”. E não com o que se “deve fazer”.

Ao dar a oportunidade de decidir, se colocará em risco a sua tarefa. É importante ser constante com as ações, para que pouco a pouco o jovem desenvolva seu critério.

Manter uma boa comunicação é imprescindível no caso dos adolescentes. Para gerar confiança num adolescente, é importante escutá-lo. Os pais devem propiciar espaços onde os jovens podem ter a liberdade de se expressar e escutar de uma forma amável e crítica tanto o bom quanto o que se deve melhorar.

A comunicação deve acontecer sem questionamentos ou críticas. Mas deixando claro o papel dos participantes. Os pais são sempre os que estabelecem as regras da casa. Sua opinião é importante. Para desenvolver seu próprio critério, o adolescente deve sentir que sua opinião é levada em consideração.

Dê a oportunidade de expor ideias e as avalie, dê segurança. É preciso evitar rejeitar ideais imediatamente. Ao contrário, analisar a decisão os ajudará a questionar seu próprio critério.

O autoritarismo nunca é uma boa opção. A proibição gera rejeição. Recomenda-se explicar as razões pelas quais a ideia do adolescente não é boa. Ter força de vontade beneficia os seres humanos para toda a vida, por isso a importância de inspirar nossos filhos desde cedo.

Recomendados para você