Indigestão em crianças: o que fazer?

03 Maio, 2019
A indigestão em crianças é muito frequente. Portanto, no artigo a seguir, contaremos tudo o que você precisa saber. 

As crianças estão suscetíveis a todos os tipos de doenças, então você tem que monitorar até os alimentos que são colocados na boca delas. Até mesmo a indigestão em crianças pode se tornar um problema recorrente se elas não seguirem uma nutrição adequada.

Portanto, neste artigo, vamos contar tudo o que você precisa saber para quando chegar a hora de ter que lidar com uma indigestão em crianças. Tome nota e saiba o que fazer!

É verdade que a indigestão pode ser muito irritante e debilitante para as crianças. Ela é caracterizada por uma sensação de queimação na parte de trás da garganta e um desconforto no peito e no estômago.

A indigestão em crianças ocorre quando elas consomem muita comida, comem muito depressa ou comem alimentos que não se encaixam em seus corpos.

Além disso, ela também pode vir acompanhada por inchaço, náuseas, azia e arrotos. No entanto, nem sempre é fácil identificar a causa desse problema. Algum tratamento domiciliar e medicamentos de venda livre podem muitas vezes controlar os sintomas.

De qualquer forma, entender a causa da indigestão em crianças pode ser a chave para oferecer o remédio certo ou o melhor tratamento.

E, se a indigestão for um problema frequente em seu filho, você deve tratar a criança de maneira eficaz com remédios caseiros seguros. Um suco de limão, laranja ou hortelã pode ajudar a acalmar o estômago e corrigir o problema.

Quais são as causas de indigestão em crianças?

Aqui estão algumas das causas de indigestão em crianças:

  • Medicamentos

A primeira das causas de indigestão em crianças que apresentamos é o consumo de alguns medicamentos. Embora seja verdade que alguns medicamentos podem ajudar, outros podem causar azia.

  • Doença do refluxo gastroesofágico

Essa segunda condição ocorre devido a repetidos casos de indigestão em crianças que causam inflamação e irritação do esôfago. Essa condição precisa de assistência médica.

problemas gástricos em crianças

  • Estresse

O estresse e a ansiedade podem causar um hábito de alimentação irregular e, igualmente, maus hábitos de sono. Você deve saber que a indigestão causada por estresse e ansiedade pode ser evitada ao lidar com a causa e garantir um ambiente livre de estresse para a criança.

  • Obesidade

A obesidade faz com que a criança tenha uma pressão adicional sobre o abdômen; o que irá causar um refluxo ácido no esôfago sempre que a criança for comer.

  • Hérnia

A última das causas de indigestão em crianças que apresentamos a você são as hérnias; uma condição na qual o estômago é empurrado contra o diafragma, o que bloqueia o esôfago. Isso pode provocar uma digestão ineficiente e um subsequente refluxo ácido.

O que você deve fazer para tratar uma indigestão em crianças?

Certamente, a maioria dos casos de indigestão em crianças não requer tratamento médico. No entanto, é sempre recomendável consultar o médico quando os sintomas persistirem por mais de algumas horas.

O especialista fará um diagnóstico pressionando a área ao redor do estômago para entender a localização da dor.

Uma vez que o diagnóstico é feito, o médico pode prescrever uma medicação ou recomendar exames adicionais; como raios X ou uma exploração do abdômen.

Dependendo do que o médico achar, o pequeno poderá ter que fazer mudanças em sua dieta ou tomar remédios.

menina com dor de barriga

Quando falamos de tratamento, você deve pensar em prevenção; além de ouvir os sinais do seu corpo. Então, se um alimento faz você se sentir mal, você deve parar de consumi-lo imediatamente.

Também recomendamos o uso de medicamentos apenas temporariamente; enquanto trabalha com seu médico para fazer as mudanças na dieta de seu filho que o ajudarão a resolver sua acidez estomacal para sempre.

Por fim, lembramos que a indigestão em crianças pode ser evitada se algumas restrições alimentares forem estabelecidas; tais como evitar alimentos muito gordurosos, mastigar bem os alimentos e limitar a quantidade de chocolate.

Como vimos neste artigo, a prevenção é muito melhor que o tratamento. Por isso, recomendamos reduzir a frequência com que seu filho come alguns alimentos pouco saudáveis.