Laceração perineal durante o parto

4 de março de 2019
As lacerações perineais são muito comuns durante o parto. A seguir, vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

Quase todas as mulheres experimentam uma sensação dolorosa durante e após o parto, embora isso não requeira nenhum tratamento médico.

No entanto, embora a vagina se dilate durante o trabalho de parto, a pressão do bebê que se move pela pelve pode tensionar a pele e os músculos subjacentes até que ocorra uma laceração perineal. Nesse caso, será necessário reparar a laceração.

A laceração perineal é muito comum durante o parto. As mulheres com maior risco de sofrer com elas são as mães de primeira viagem, as mães que têm filhos com muito peso ao nascer ou aquelas que tiveram um trabalho de parto prolongado.

Dependendo da gravidade da laceração, podem ser prescritos pontos ou receitas de pomadas. A seguir, vamos descobrir quais tipos de laceração perineal existem.

Tipos de laceração perineal durante o parto

Existem vários tipos de laceração perineal. Vamos te contar quais são eles:

  • Laceração de primeiro grau. Há uma pequena laceração no períneo, que afeta apenas a pele. Normalmente não requer pontos.
  • Laceração de segundo grau. Lesão adicional no períneo, através da pele e dos músculos do assoalho pélvico. Alguns pontos são necessários.
  • Laceração de terceiro grau. Afeta ainda mais os músculos do assoalho pélvico que se estendem em direção ao esfíncter anal.
  • Laceração de quarto grau. Ocorre quando a laceração se estende completamente desde a vagina até o reto, de modo que o períneo inteiro é rompido. Requer sutura em uma sala de cirurgia.

Como você pode evitar a laceração perineal durante o parto?

Embora não sejam infalíveis, existem algumas sugestões aplicáveis para evitar esse tipo de lesão. Vamos te contar como você pode evitar a laceração perineal durante o parto. Tome nota!

 laceração perineal

1. Prepare o seu corpo

Durante os nove meses de gestação, é necessário preparar o corpo para o trabalho de parto. Por exemplo, é importante incluir algum tipo de atividade física na sua rotina diária durante o curso da gravidez.

Entre outras coisas, a atividade física melhora a circulação, o que, por sua vez, melhora a elasticidade da pele. Além disso, promove o fluxo sanguíneo para o períneo e a vagina.

Adicionalmente, recomendamos que você mantenha uma boa nutrição e hidratação para cuidar da saúde de sua pele e músculos. Inclua alimentos com ômega-3, proteínas magras e uma ampla variedade de vegetais para completar uma dieta saudável.

Além disso, a vitamina E, a vitamina C e o zinco proporcionam ao seu corpo a capacidade de se dilatar e se recuperar após o parto.

2. Massagem perineal

A preparação do períneo durante a gravidez reduz o risco de laceração nas mães que tem o seu primeiro parto vaginal. A massagem pode ajudar a mulher a se familiarizar com o seu próprio corpo e ter uma maior confiança na sua capacidade de dar à luz o bebê.

Se, por outro lado, você não se sentir confortável com a ideia da massagem perineal, fique sabendo que este não é um requisito indispensável.

3. A posição do nascimento importa

Sem dúvida, a posição em que você está enquanto empurra tem uma grande influência nas chances de uma laceração perineal. Por exemplo, se você se deitar com as pernas para cima ou fizer pressão sobre o cóccix e o períneo, o tamanho do assoalho pélvico é reduzido e, assim, a probabilidade de que ele se rompa aumenta.

Durante os nove meses de gestação, é necessário preparar o corpo para o trabalho de parto.

Além disso, considera-se que a melhor posição para dar à luz é aquela que você escolher de forma instintiva e na qual se sentir mais confortável.

Por isso, é necessário poder se movimentar livremente até encontrar uma posição que te ajude a lidar com as contrações. De qualquer forma, a posição menos estressante para o períneo é de quatro, apoiada sobre as mãos e os joelhos.

4. Exercícios para o assoalho pélvico

Os exercícios para o assoalho pélvico são usados para fortalecer os músculos da pelve. A ideia é que, após o nascimento, os músculos retornem à sua forma normal e que, assim, você tenha menos probabilidade de sofrer de incontinência.

Aprender a relaxar os músculos pélvicos também é importante, pois isso maximiza o espaço para o bebê descer. Com apenas alguns minutos por dia, você pode dar grandes passos nesse sentido.

Exercícios para o assoalho pélvico

5. Evite a episiotomia

Uma episiotomia é um corte cirúrgico feito na pele e no músculo da região perineal para aumentar a abertura vaginal. Entretanto, as episiotomias não protegem o períneo durante o nascimento e, na verdade, aumentam as chances de sofrer uma lesão.

O que acontece é que, uma vez feito o corte, a cabeça do bebê faz com que o músculo se rompa mais profundamente.

Em última análise, lembre-se de que a laceração perineal durante o parto é algo que, infelizmente, é comum em um grande número de mulheres.

Portanto, a melhor coisa que você pode fazer para se recuperar e reduzir a dor é evitar atividades que exijam esforço, tomar banhos de água quente para aliviar a dor ou então aplicar compressas com gelo para aliviar o inchaço.

  • Simic, M., Cnattingius, S., Petersson, G., Sandström, A., & Stephansson, O. (2017). Duration of second stage of labor and instrumental delivery as risk factors for severe perineal lacerations: Population-based study. BMC Pregnancy and Childbirth. https://doi.org/10.1186/s12884-017-1251-6
  • Vale de Castro Monteiro, M., Pereira, G. M. V., Aguiar, R. A. P., Azevedo, R. L., Correia-Junior, M. D., & Reis, Z. S. N. (2016). Risk factors for severe obstetric perineal lacerations. International Urogynecology Journal. https://doi.org/10.1007/s00192-015-2795-5