Malformações craniofaciais em bebês

21 de abril de 2019
Infelizmente, as malformações craniofaciais em bebês são muito comuns. Descubra no artigo a seguir tudo o que você precisa saber sobre elas.

As malformações craniofaciais em bebês são deformações no crescimento da cabeça e dos ossos faciais. Essas anormalidades estão presentes no nascimento. Elas podem variar de leves a graves e uma operação cirúrgica pode ser necessária para corrigi-las.

Conscientes de sua importância e da curiosidade que esse assunto pode despertar nas futuras mamães, neste artigo vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre o assunto.

Certamente, as malformações craniofaciais em bebês estão entre os defeitos congênitos mais comuns. Os mais frequentes são o lábio leporino ou a fenda palatina, que incluem a malformação do lábio, nariz, gengivas e boca.

De fato, outras crianças nascem com condições craniofaciais complexas em mandíbulas, pálpebras, orelhas e crânio. Além de uma aparência alterada, tais malformações interferem na fala, alimentação, audição, visão e respiração. Tudo isso afeta o dia a dia das crianças.

De qualquer forma, você deve saber que os sintomas das malformações craniofaciais variam muito, dependendo do tipo de anormalidade craniofacial que ocorrer. Eles podem variar desde problemas muito leves até problemas graves relacionados a dificuldades na visão, audição ou de aprendizagem.

Por consequência, os estudos confirmam que as malformações craniofaciais estão entre os defeitos congênitos mais comuns. Embora a maioria dos casos seja isolada e esporádica, essas anormalidades estão associadas a uma ampla gama de síndromes genéticas. Fazer um diagnóstico adequado pode orientar o seu gerenciamento e assessoramento.

Fatores que causam as malformações craniofaciais em bebês

Muitas vezes, não é determinada uma causa única. De fato, considera-se que uma combinação de fatores genéticos e de fatores ambientais, tais como a exposição a substâncias químicas nocivas, ou uma deficiência de ácido fólico, possam desempenhar um papel importante no desenvolvimento desse tipo de malformações.

Fatores que causam as malformações craniofaciais em bebês

1. Fatores genéticos

A criança pode ter recebido um gene específico ou uma combinação de genes de um ou ambos os pais, ou os genes podem ter sofrido uma mutação no momento da concepção.

2. Fatores ambientais

Atualmente, não há dados que mostrem uma correlação direta entre a exposição a certos medicamentos ou substâncias químicas e as malformações craniofaciais. No entanto, o médico pode perguntar aos pais sobre qualquer exposição pré-natal a essas substâncias.

3. Deficiência de ácido fólico

O ácido fólico é uma vitamina do grupo B encontrada nos vegetais de folhas verdes, no suco de laranja e nos produtos com grãos fortificados.

Os especialistas acreditam que as mulheres que não consomem ácido fólico suficiente durante a gravidez podem ter um risco aumentado de ter um bebê com certas anomalias congênitas, como por exemplo o lábio leporino ou a fenda palatina.

Quais são os tipos mais comuns de malformações craniofaciais?

Alguns dos tipos mais comuns de malformações craniofaciais incluem as seguintes:

  • Lábio leporino. Malformação na qual o lábio não é completamente formado.
  • Fenda palatina. Abertura ou fenda envolvendo ambos os lados do palato. Pode se estender desde a parte frontal da boca até a garganta.
  • Plagiocefalia deformacional. Forma assimétrica da cabeça por pressão repetida em uma mesma área.
  • Microssomia hemifacial. Os tecidos de um lado do rosto ficam subdesenvolvidos. Isso afeta, principalmente, as áreas da orelha, boca e mandíbula.
  • Craniossinostose. As suturas no crânio de um bebê se fecham cedo demais. Isso causa problemas com o crescimento normal do cérebro e do crânio.
  • Malformação vascular. É uma marca de nascimento ou de crescimento que é composta de vasos sanguíneos. Causa problemas funcionais ou estéticos.
  • Hemangioma. Vaso sanguíneo na pele com crescimento anormal que pode estar presente no nascimento ou aparecer nos primeiros meses após o nascimento.
tipos mais comuns de malformações craniofaciais

Tratamentos disponíveis para as malformações craniofaciais em bebês

As malformações craniofaciais são defeitos congênitos da face ou da cabeça, embora essas condições também possam afetar outras partes do corpo. Há tratamentos disponíveis para muitas malformações craniofaciais, e eles variam bastante de acordo com a natureza da condição. De fato, o tratamento depende do tipo de problema.

Além disso, algumas anormalidades menores não requerem tratamento médico, enquanto outras, como o lábio leporino e a fenda palatina, podem ser tratadas cirurgicamente.

No entanto, algumas malformações craniofaciais mais graves podem causar danos permanentes mas, apesar disso, existem tratamentos disponíveis que oferecem cuidados de apoio à criança e à família.

Em suma, como você pode ver, não há um fator único que cause as malformações craniofaciais em bebês. Por outro lado, existem muitos elementos que podem contribuir para o seu desenvolvimento, tais como os fatores genéticos, ambientais ou a deficiência de ácido fólico.

  • Trainor, P. A. (2010, December). Craniofacial birth defects: The role of neural crest cells in the etiology and pathogenesis of Treacher Collins syndrome and the potential for prevention. American Journal of Medical Genetics, Part A. https://doi.org/10.1002/ajmg.a.33454
  • Twigg, S. R. F., & Wilkie, A. O. M. (2015, October 15). New insights into craniofacial malformations. Human Molecular Genetics. Oxford University Press. https://doi.org/10.1093/hmg/ddv228
  • Wilkie, A. O. M., & Morriss-Kay, G. M. (2001). Genetics of craniofacial development and malformation. Nature Reviews Genetics. https://doi.org/10.1038/35076601