Meu filho inventa desculpas para não ir à escola

26 de março de 2019
Para os pais, é muito difícil lidar quando a criança não quer ir à escola. Embora para muitas crianças seja agradável e estimulante, para outras, traz medo e pânico. Isso pode levar a criança a inventar desculpas para não ir à escola.

O fato de inventar desculpas ou simplesmente se recusar em ir à escola com frequência pode esconder motivos reais mais sérios e preocupantes em uma criança, a ponto de rejeitar uma atividade ou obrigação. Em seguida, descubra se o seu filho está inventando desculpas para não ir à escola e as possíveis razões para isso.

Algumas desculpas mais frequentes para não ir à escola

Pouco antes de ir para a escola, a criança pode apresentar dor de estômago, dor de cabeça ou dor de garganta. Essa dor vai melhorar assim que você permitir que ela fique em casa, mas vai aparecer de novo no dia seguinte.

Além disso, a criança pode mostrar seu descontentamento chorando ou fazendo birra. As crianças mais velhas, por sua vez, podem apresentar um comportamento desafiador ou até agressivo em relação aos pais, recusa em se levantar ou se preparar para ir à escola, ou então fugir da escola ou de casa e apresentar episódios de mau humor.

Por que algumas crianças inventam desculpas?

As desculpas para não ir à escola aula podem ter origem interna ou externa. Em seguida, analisaremos as causas de cada um desses tipos.

Desculpas de origem interna

Em primeiro lugar, pode ser que a criança sinta ansiedade ou um medo paralisante de deixar a segurança de seus pais e da casa.

Por exemplo, a criança pode pensar que algo de ruim vai acontecer se não estiver com os pais em casa. Ou então, que vai se perder e os pais não vão conseguir encontrá-la. Ela pode até acreditar que os pais podem morrer.

Da mesma forma, as desculpas também podem acontecer devido a situações familiares. Em casos de divórcio, abuso ou violência doméstica, as crianças podem desenvolver um medo muito grande a ponto de não querer sair de casa. Eles querem evitar que os pais briguem e arranjam desculpas para receber atenção.

Em outros casos, existem crianças que evitam ir à escola porque têm um problema de aprendizagem que não foi devidamente diagnosticado.

As crianças mais velhas, por outro lado, podem querer ficar em casa simplesmente porque acha mais agradável do que ir à escola. Elas querem dormir até tarde, ficar na internet, assistir televisão, brincar com videogames ou fazer qualquer outra atividade.

As crianças inventam desculpas para não ir à escola quando se sentem desmotivadas.

Desculpas de origem externa

Em relação aos motivos externos, cabe destacar os fatores sociais. Nesses casos, as crianças têm medo de enfrentar situações como entrar no ônibus, escrever na lousa ou falar na frente de seus professores e colegas. Como elas têm com medo de fracassar, usam desculpas para evitar essa situação.

Outra causa são os problemas interpessoais. Em crianças pequenas, pode acontecer de elas se considerarem feias ou insuficientes, ou ainda pensarem que nenhum colega quer brincar com elas.

Além disso, é possível que sofram ameaças ou que sejam humilhadas na escola. Esse motivo é o mais comum entre os adolescentes. O bullying é um assunto sério no qual pais e professores devem se envolver para interromper o mais rápido possível.

Ademais, existem as mudanças físicas. Na fase da adolescência, os jovens ficam mais preocupados com a aparência física, como estar acima ou abaixo do peso. Isso os leva a ter baixa autoestima.

No caso das meninas, começar a se desenvolver mais cedo ou de forma mais aparente pode ser motivo de angústia. Além dessas inseguranças, existem os problemas hormonais próprios da idade. Nessa nova etapa, ainda, deixam de ser as crianças mais velhas e experientes e passam a ser adolescentes mais jovens e inexperientes.

As crianças mais velhas preferem ficar em casa porque é uma experiência mais agradável do que ir às aulas.

Quando as desculpas podem ser apresentadas

Na verdade, as desculpas para não ir à aula são bastante comuns e podem ocorrer a qualquer momento. No entanto, ocorrem com maior frequência em crianças entre 5 e 7 anos, e entre 10 e 13 anos. De fato, estima-se que até 25% das crianças em idade escolar em algum momento vão inventar desculpas para evitar ir à escola.

Em crianças menores, essa situação pode acontecer depois do feriado, das férias ou depois de alguma doença. Isso pode acontecer porque ela acabou se acostumando com o apego da família. Também é possível acontecer após a morte de um parente, mudança de escola ou de casa, entre outros motivos.

9 conselhos práticos para os pais

Antes de pensar que a desculpa do seu filho é simplesmente esfarrapada, pense sobre as possibilidades abaixo:

  • Tente descobrir a origem de suas desculpas.
  • Considere que os sintomas mais comuns das desculpas, como febre, dor de cabeça, dor de estômago, náusea e/ou vômito, não são a causa real. Por isso, observe a intensidade e a frequência desses supostos sintomas.
  • Seja paciente e não se desespere.
  • Não se apresse ou reaja negativamente, nem diga que os seus medos são infundados. Não force a criança a ir para a aula sem primeiro conhecer os motivos.
  • Lembre-se de que os medos constantes podem desencadear no futuro transtornos de ansiedade, fobias ou ataques de pânico.
  • Tenha em mente que a escola causa muita ansiedade nas crianças, pois não é o ambiente protegido do lar. Isso pode ser um dos motivos das desculpas para não ir à aula.
  • Lide com a situação sem repreender a criança e sem menosprezar os sentimentos dela. Assim, você pode evitar que o problema se agrave.
  • Fale com os professores do seu filho, colegas de sala e irmãos para lidar com a situação da melhor maneira.
  • Um psicólogo ou outro profissional pode oferecer sugestões práticas de acordo com cada caso em particular. Não se esqueça de que você não está sozinha.
As desculpas para não ir à escola pode estar relacionado a fatores sociais.

Problemas que podem causar desculpas frequentes

Quando a criança persiste em inventar desculpas para não ir à escola, torna-se uma situação preocupante. Nesses casos, é aconselhável que você procure o apoio de um profissional de saúde mental. Lembre-se de que isso será muito importante durante toda a fase de crescimento da criança.

Deixar de ir à escola e ver amigos por medo e ansiedade pode ocasionar graves problemas escolares e sociais. A longo prazo, também poderia levar ao abandono completo dos estudos, comportamento violento e até mesmo afetar a pessoa economicamente devido à dificuldade de manter um emprego.

O isolamento social e os problemas com relacionamentos também são possíveis consequências. Quando a criança crescer e se tornar adulta, essa situação pode causar ansiedade, depressão, transtornos de pânico e de personalidade.

Embora dar desculpas para não ir à escola seja muito comum em crianças em idade escolar, é preciso ser paciente e tentar encontrar a origem do problema. Assim, ao superar a situação, o pequeno poderá desfrutar a sua experiência escolar ao máximo. E você também ficará mais tranquila!