Meu filho, se eu tivesse o poder de não deixar você não sentir dor…

· 25 de outubro de 2018
Meu filho, se eu pudesse passar a mão na sua testa e fazer a febre desaparecer em um segundo...

Meu filho, eu queria ter o poder de aliviar suas dores a qualquer momento, curar suas feridas, fazer desaparecer seus medos, curar todos os seus resfriados, suas cólicas…

No entanto, nós, mamães e papais, temos apenas o poder do amor. Com ele, nos contentamos em proteger e aliviar todos os seus medos e sofrimentos.

Temos certeza de que, como mãe, ou como pai, você já pensou sobre isso mais de uma vez.

Todos nós gostaríamos de poder ter ao nosso alcance essa capacidade de afastar dos nossos filhos qualquer dor e – por que não? – qualquer problema ou pequeno incômodo pelo qual possam passar em algum momento da vida.

Apesar de se dizer no dia a dia que as crianças precisam cair para aprender a se levantar de novo, nem todos os pais pensam assim.

Se fosse possível, prepararíamos o caminho para que nossos pequenos não tropeçassem nem escorregassem.

Certamente, vai chegar o dia em que eles vão precisar aprender com os próprios erros, nos quais a vida vai se encarregar de proporcionar valiosas oportunidades de aprendizado.

Por outro lado, poucas coisas são mais frustrantes e duras do que ver um filho sofrer com alguma doença.

Algumas vezes, basta ver aqueles momentos difíceis pelos quais nossos pequenos passam durante a dentição ou um simples resfriado para desejar transferir para nós os incômodos, as dores ou a febre.

No entanto, queiramos ou não, a criação também é isto: saber enfrentar esses momentos difíceis e entender que não está em nossas mãos o poder de colocar ao redor dos nossos filhos uma bolha de proteção, na qual não exista dor, quedas, vírus ou infecções.

Apesar disso, e aqui se encontra a verdadeira mágica, a mamãe e o papai também podem “curar” de outras maneiras.

Meu filho, se eu tivesse o poder de não deixar você não sentir dor…

o poder

Nós vemos nossos filhos tão pequenos e frágeis que ficamos um pouco assustados. Quando eles chegaram ao mundo, também nasce em nós uma necessidade de proteção absoluta.

Ouvi-los chorar deixa nosso coração em pedaços. Ficamos observando cada movimento, adoramos ouvi-los respirar e nos perguntamos a todo momento se estão bem, se estão com frio, com fome, medo…

Essa sensação é completamente natural e, inclusive, necessária. É assim que garantimos a sobrevivência dos nossos filhos.

É assim que nasce em nós esses “superpoderes” que vão nos manter alerta, apesar de tantas e tantas noites em claro.

É assim que antecipamos qualquer situação de perigo. E é assim que cresce em nós aquele “instinto” maternal ou paternal que nos surpreendeu e continua surpreendendo.

Os beijos da mamãe têm poderes

Esse dado, sem dúvida, é tão curioso quanto especial.

Segundo um estudo realizado na Universidade de Pittsburg, em 248 casos de crianças ao longo de quase 5 anos, todas as vezes que uma delas sofria um pequeno machucado, em uma queda, por exemplo, o beijo da mamãe era muito mais efetivo que um remédio.

Como se explica isso? É muito simples. Tanto os beijos, quanto os carinhos ou os abraços, proporcionam um efeito tranquilizante nas crianças.

Essa afeição, por sua vez, nos faz liberar oxitocina. Com a oxitocina, por consequência, é liberada a endorfina. Esses hormônios proporcionam bem-estar e, assim, fortalecem o sistema imunológico.

É claro que o beijo da mãe não vai curar nenhuma doença. No entanto, vai fazer com que a recuperação seja mais rápida.

É por esse motivo que em muitos hospitais os papais e as mamães podem ficar com seus filhos quando estes são internados em uma clínica.

Os pequenos sentem menos estresse, menos medo e, portanto, conseguem enfrentar mais tranquilamente as cirurgias e os pós-operatórios.

o poder

O papai oferece segurança, ele nos protege de tudo

Sigmund Freud disse uma vez que poucas coisas são tão valiosas para uma criança do que se sentir protegida por seu pai.

É claro que a mamãe também tem essa capacidade. Mas quando uma criança conta com os dois progenitores, ela sempre vai ter esse refúgio tão amável e confortável que é o abraço do papai.

Nele, ela se sente segura para crescer e conhecer o mundo. Nele, ela sente que nada de ruim pode acontecer.

Por isso, se você for pai, não hesite. Sempre que seu filho estiver com febre, sentir medo ou estiver com os joelhos ralados após uma queda na escola, pegue-o no colo e fique com ele bem pertinho de você por uns instantes.

Imediatamente, seu filho vai se sentir muito melhor porque o papai ou a mamãe também curam. Você também têm poderes.