Meu lugar preferido é com você

24 de dezembro de 2018
Não existe sabor mais doce do que os seus beijos, não há som mais mágico do que sua risada, meu querido filho.

Qual é o meu lugar preferido? Com você! Desde que você nasceu, não existe nenhum lugar mais tranquilo do que esse que você forma no meu corpo.

Desde que sou sua mãe meu lugar favorito é com você. Porque a minha felicidade é essa e muito mais. Para mim, a vida se compõe de todos esses detalhes ao seu lado, bons, memoráveis, infinitos, preciosos. Todos têm um lugar no meu coração.

Hoje, vamos refletir um pouco sobre os espaços emocionais, também conhecidos como “lugares emocionais”. Trata-se, nada mais nada menos, do que daquilo que chamamos de nosso “lugar favorito”, que tem tanta importância para nossa vida.

Os espaços emocionais ocupam um lugar privilegiado em nosso coração. A maternidade nos oferece a possibilidade de aumentar esse espaço e expandir nossa capacidade afetiva sem limites como nunca antes tínhamos imaginado.

Com isso, certamente podemos experimentar muitas maneiras de ser felizes.

Muitos afirmam que esquecemos como ser felizes. Mas, graças a Deus, quem tem a honra de se tornar mãe sabe que não esquecemos.

Ser mãe traz muita felicidade à nossa vida e o agradecimento por isso é impossível de ser explicado com palavras. Mas você sabe do que eu estou falando.

O ingrediente mágico não poderia ser mais simples: ter ao nosso lado as pessoas que amamos. A felicidade consiste em saber o que e quem é importante em nossas vidas.

Saber lembrar que o melhor lugar do mundo é a pele dos nossos filhos, carne da nossa carne. Também são as carícias e a satisfação de estar bem com nós mesmos.

“A felicidade humana geralmente não é alcançada com grandes golpes de sorte, que podem ocorrer poucas vezes, mas sim com pequenas coisas que ocorrem todos os dias.”

-Benjamin Franklin-

A felicidade é uma opção, não uma meta

Provavelmente no seu dia a dia você já se encontrou mais de uma vez com essas amigas ou companheiro/as de trabalho que dizem estar cansadas de tudo, que as crianças dão muito trabalho, que cada vez são mais exigentes, intransigentes e que não têm tempo para relaxar ou aproveitar um instante de paz e silêncio.

Cada vez que você se encontrar nessas situações ou no meio dessas conversas vale a pena ter em mente uma reflexão simples:

Podemos escolher pertencer a equipe da queixa, de quem se lamenta de não poder dormir, de quem é obcecada porque o seu bebê não é como outros que são mais adiantados. Por exemplo, podemos ser quem se queixa porque nosso filho ainda não aprendeu a ler ou porque é muito dependente.

Ou podemos escolher ser felizes, construir com o que temos e focar em melhorar as coisas para poder viver numa situação melhor.

Diante da adversidade, o melhor é apreciar o que temos. Devemos entender que a criação não é fácil, mas já que decidimos criar vida e trazê-la ao mundo, isso implica um pequeno esforço da nossa parte.

No fim, a felicidade é 80% questão de atitude e 20% de saber como mantê-la, de saber olhar as coisas com o coração.

Você, meu tudo

meu lugar

As pessoas ocupam lugares na vida dos outros e não falamos de espaços físicos, mas emocionais. Para entender melhor, basta utilizar um simples exemplo.

É muito provável que você conte com algum familiar com quem tem uma boa relação. Talvez seja um primo, um tio ou inclusive alguém mais próximo.

Se esse vínculo for doloso ou traumático, o espaço emocional que ocupará na sua vida sem dúvida será negativo. Pode ser inclusive que você tenha optado por “desinfetar” essa figura no seu coração, apagá-la.

No entanto, aqueles que nos enriquecem, que cuidam de nós, nos amam, nos impulsionam e nos fornecem felicidade, ocupam, sem dúvida, espaços gigantescos em nossos corações e nossas mentes.

Obrigado, meu amor, por ocupar todo o meu ser

Algo curioso que acontece apenas com os filhos é que eles chegam ao mundo com todo o espaço garantido.

Quase sem saber como, ocupam cada lugar em nós, preenchem cada pedacinho de nossa mente e cada recôncavo de nosso coração. E dia a dia esse espaço cresce e cresce. É uma experiência única.

Outras pessoas, ao contrário, como podem ser nossos parceiros ou nossas amigas, ganharam esses espaços emocionais pouco a pouco graças a suas atitudes, bons atos e a essa conexão mágica que acontece poucas vezes na vida.

Esse tipo de conexão também é produto das circunstâncias e de como surgem as coisas. No entanto, nossos filhos conquistaram cada terreno de nossos afetos de forma imediata. Simplesmente por existir.

Você é minha felicidade e sempre será

meu lugar

A felicidade é uma questão de atitude, já sabemos disso. Sabemos também que para ser feliz não precisamos de grandes coisas.

Frequentemente, basta um dia a dia no qual a harmonia, a calma e a cumplicidade com os outros nos proporcionam esse bem estar inigualável.

Para ser feliz, devemos aprender a tolerar e a entender as decepções, as tristezas e esses desafios que muitas vezes a vida coloca para nós.

Com isso, queremos dizer algo muito simples: as famílias felizes são aquelas que juntas sabem enfrentar as adversidades e esses momentos que em algumas ocasiões quebram o nosso equilíbrio.

Quando superamos as dificuldades, por exemplo, quando conseguimos voltar para casa com nosso bebê prematuro, nos sentimos felizes.

Sentimos que deixamos para trás uma dificuldade e que agora tudo vai melhorar, para o bem de todos. Sentimos que essa alegria tão grande nos invade porque fomos fortes e que era necessário aprender com esse processo.

Se você me perguntar qual é o meu lugar favorito, direi que é aquele em que estamos juntos, em que podemos crescer e caminhar de mãos dadas. Isso, meu amor, é a felicidade.