Mioclonias do sono em bebês

· 21 de maio de 2017

Durante os três primeiros meses de vida os recém-nascidos costumam se movimentar bastante enquanto dormem. Eles mexem as pernas, esticam os braços rapidamente ou mexem a cabeça. Esses breves espasmos conhecidos como mioclonias do sono do bebê são naturais e não costumam duram mais de 20 segundos. Em outras palavras, não são motivos para preocupações.

Os especialistas ainda não descobriram a causa exata desses movimentos agitados. Mas garantem que são produzidos pelo sistema nervoso central durante a fase REM (Rapid Eye Movement, em inglês) do sono. Essa fase é uma das mais profundas do descanso.

Alguns especialistas acreditam que as vibrações que os bebês sentem durante os passeios ou quando são movimentados fortalecem o aparecimento dos movimentos involuntários. Por consequência, quando for possível evite essas vibrações.

As mioclonias são produzidas pelo sistema nervoso central e aparecem durante a fase REM do sono.

É importante saber que esse comportamento ocorre na maioria dos bebês e desaparecem à medida que eles vão amadurecendo. Se você fica muito angustiada quando ele aparenta estar inquieto pode pegar o bebê no colo e ninar calmamente até perceber que ele está mais tranquilo.

Nós, mamães, sabemos que uma dose de amor nunca é demais.

Apresenta efeitos secundários?

mioclonias

A resposta é não. Mesmo que as mioclonias do sono dos bebês seja um transtorno do sono, elas são benignas. Pouco a pouco, o pequenino vai superar essa fase sem nenhum tipo de dano à saúde ou ao desenvolvimento psicomotor.

Geralmente, esses movimentos agitados costumam ser confundidos com outras patologias, como a epilepsia (que aparece a partir dos seis meses), a síndrome de movimentos rítmicos do sono, ou a de movimentos periódicos das pernas. Por essa razão é recomendável gravar nosso bebê durante os cochilos e depois mostrar as gravações ao pediatra para receber as devidas orientações.

Um erro que pode acontecer nesses casos é, após explicar a situação ao médico, receber a indicação de um tratamento que não é necessário. Dessa forma, é importante observar com tranquilidade o comportamento do pequeno e, assim, descrever com exatidão o que realmente está acontecendo.

Existe outro transtorno muito parecido, que se chama mioclonias do lactente que ocorre a partir dos três primeiros meses de vida e duram até os dois anos. Diferente do outro transtorno, neste os movimentos acontecem quando o bebê está acordado e afeta somente os membros superiores do seu corpinho.

Um erro que pode acontecer nesses casos é, ao explicar a situação ao médico, receber a indicação de um tratamento que não é necessário.

Recomendações para que nosso pequenino tenha lindos sonhos: adeus mioclonias

mioclonias do bebê

Fazer com que os bebês sonhem com os anjos é uma tarefa simples. É preciso somente criar algumas condições propícias para isso. Proporcionar esse momentos é benéfico porque é durante o descanso que os bebês se fortalecem para crescer saudáveis e fortes.

Os recém-nascidos devem dormir pelo menos 16 horas por dia. Quando completam três meses, o período de descanso diminui para 15 horas. Com um ano eles podem dormir até 14 horas. Atingir essa meta os protegerá de sofrer qualquer doença como a depressão infantil, a obesidade ou o sobrepeso.

Para conseguir um bom descanso é preciso criar hábitos relacionados à higiene do sono. Estas são algumas dicas:

1.- O berço é o lugar ideal para os pequeninos da casa. Muitos pais preferem dormir com eles e deixá-los dormir em suas camas para que se sintam mais seguros. Mas o berço é o mais recomendado.

2.- Manter um ambiente relaxante antes da hora de ir dormir.

3.- Evitar qualquer elemento que sirva de distração ao bebê. Como deixar a luz acesa, colocar música alta ou falar com tom de voz alto.

4.- Estabelecer horários para as sonecas diárias.

5.- Trocar a fralda sempre que for necessário, já que o bebê pode estar se sentindo incomodado ou também para evitar vazamentos.

6.- Ajudar o bebê a mudar de posição enquanto ele ainda não consegue se virar por conta própria. Os especialistas não recomendam colocar o bebê de barriga para baixo porque esse é um  dos fatores de morte súbita, devido à possível inalação do dióxido de carbono que nós mesmo exalamos.

É natural que o pequeninos da casa mexam suas extremidades rapidamente em todos os momentos. Isso acontece porque eles ficaram muito tempo encolhidinhos no ventre da mamãe. Nesse novo ambiente eles estão se descobrindo e conhecendo o mundo que os cerca. Pouco a pouco eles vão começar a entender todas as coisas que acontecem e vão aceitar tranquilamente que estão no novo lar.