Motivos mais comuns da separação entre casais após terem filhos

· 10 de agosto de 2017

Dizem que os filhos unem ou separam os casais, e na realidade é isso mesmo que ocorre. Hoje em dia os casais não duram tanto tempo como em épocas anteriores, e ainda que os motivos das separações possam ser muitos e bastante variados, também é verdade que ser pai marca o antes e o depois na vida dos casais. Atualmente os casais também começam uma relação sem papéis que as unam em matrimônio, e se rompem em muitas ocasiões quando aparecem os filhos. 

Conceber os filhos pode ser fácil, mas após isso e quando uma família é formanda tudo muda, nada tem a ver com a vida de um casal sem filhos. As coisas mudam para melhor, mas devemos estar preparados porque não é o mesmo uma vida sem filhos, e outra com filhos. Temos de cuidar deles, educá-los, e certificar-nos que tudo corre bem. Não é o mesmo ver os outros casais que têm e criam seus filhos, e fazê-lo nós mesmos.

Surgem desafios… e não é fácil. Podem levar à separação do casal

Durante a gravidez

Ter filhos colocará o casal à prova não só como pais, mas também como duas pessoas que compartilham um vínculo emocional. Durante a gravidez já se produzem mudanças que não só envolvem a mulher. Ainda que seja certo que existam mudanças físicas e emocionais evidentes na mulher, o papel do homem também é muito importante durante todo o processo da gravidez.

Precisa ser compreendido pelo homem  o novo estado físico e emocional de sua parceira. Entender o processo tão grande que está fazendo para criar uma vida dentro de seu corpo. Entender por que às vezes pode se sentir muito cansada, com mudanças de humor, ou simplesmente com um estado emocional atípico à sua personalidade. O amor deve ser incondicional a todo o momento.

Durante o parto

O parto também é um momento importante quando um casal está se convertendo em pais. O papel do pai durante o parto é primordial. Acompanhar a mulher em todo o processo, tanto a nível físico como emocional, é imprescindível para trabalhar uma boa união e começar assim um vínculo emocional familiar necessário desde o primeiro minuto.

Depois do nascimento

Mas o mais complicado não é a gravidez e o parto, o mais difícil vem depois, quando o bebê já está em casa e as rotinas mudam, a vida dá um giro de 180º e é quando aparece o cansaço, o sono e o esgotamento extremo. As tarefas devem ser repartidas para que tudo funcione, porque se não, as coisas simplesmente não saem. E começam as discussões. 

Não importa quem trabalha fora ou em casa, o que importa é como se dividem as tarefas em diferentes momentos do dia para que tudo funcione bem. Ambos devem fazer sua parte, porque se algum dos progenitores não assume sua responsabilidade como pai/mãe,  é quando a estabilidade do casal começa a estremecer perigosamente.

O esgotamento é igual para os dois, e o bebé também é responsabilidade de ambos. Um bebê necessita de pais que se queiram, que se respeitem e que zelem por ele a cada minuto.

Um bebê ou uma criança de qualquer idade não necessita de pais que briguem, ou que percam a paciência pelo cansaço ou por não saber se comunicar corretamente. Além de ser pais, também são um casal.

As noites mal dormidas são para ambos. Não se deve buscar culpados pelo cansaço, nem tampouco reprovações… Deve-se buscar o equilíbrio na divisão das tarefas e nos cuidados com o bebê. Porque, caso contrário, somente se encontrará um caminho acidentado que pode fazer com que um casal que se converteu em pais, se separe. E que deixem de ser um casal para se tornarem somente pais.

Buscar soluções para não chegar à separação do casal

Se você sente que sua relação de casal começa a balançar depois de ter se tornado pai é importante que busque soluções para melhorar seu vínculo.

Lembre-se que ser pai é coisa para dois, que é a coisa mais maravilhosa do mundo e que além disso, deverá desenvolver uma boa comunicação entre vocês, buscar ajuda se for preciso, ter tempo de casal para desfrutar da intimidade e, além disso, se conectar emocionalmente diariamente, se abraçando e dando o carinho que os manterá unidos.