Como é a vida de uma criança após a separação dos pais

16 de julho de 2017

Todas as crianças desde o momento que nascem, crescem com a ideia de que terá a sua família para sempre. No entanto, pode ser que os pais, devido a diversas e variadas razões, decidam se separar. A criança não está preparada para isso, ela acha que os seus pais ficarão juntos para sempre. Neste artigo veremos como é a vida de uma criança após a separação dos pais.

A decisão de um dos pais de se separar é muito bem pensada, sobretudo se tiver filhos no meio. Os pais além de sofrerem com o rompimento do casamento, têm medo de como essa nova situação poderá afetar os seus filhos. 

A seguir veremos como é a vida de uma criança após a separação dos seus pais. Continue lendo o artigo.

O que fazer antes da separação?

  • Entrar em um acordo sobre o que vai ser dito à criança e falar com ela. Evitar divergir as informações, pois poderá causar confusão na criança.
  • Nessa conversa, ambos os pais devem estar presentes.
  • É preciso deixar claro que ela não tem culpa do que está acontecendo.
  • Você deve dizer que ela é amada por ambos os pais, que isso não mudou, mas que o papai e a mamãe não se entendem mais e brigam muito.
  • É importante que elas saibam que a separação é algo triste e que elas podem falar sobre isso sempre que quiserem. É recomendável procurar um momento adequado para falar com elas para que expressem os seus sentimentos e pensamentos sobre a nova situação.
  • Ambos os pais devem concordar em não utilizar os filhos como uma forma de pressionar o outro sob nenhuma circunstância, e respeitar sempre um ao outro nas conversas.
  • Determinar os dias que a criança estará com cada pai.

Como a separação dos pais afeta os filhos?

As crianças costumam sentir tristeza durante essa situação, ansiedade e, inclusive, em algumas ocasiões, culpa

Às vezes as crianças podem achar que foi alguma coisa que elas fizeram que provou a separação dos seus pais. Também pode ser que a criança crie um bloqueio e não queira expressar suas emoçõessobretudo no início dessa nova situação.

Como a separação dos pais afeta a criança…

Através de problemas familiares associados à separação, com a idade e amadurecimento da criança, etc…

Crise nervosa ou depressiva

Quando a tensão na casa após o rompimento dos pais atingiu outros membros da família, e há um grande número de discussões e brigas violentas.

Negação

As crianças costumam se negar a admitir que os seus pais se separaram e insistem na ideia de que irão se reconciliar.

Problemas de sono

Sobretudo no início da separação isso costuma acontecer. Elas podem ter problemas para dormir ou podem sentir medo que seus pais as abandone.

Mais irritadiças

Elas se encontram mais irritadiças.

Comportamentos agressivos e sintomas psicossomáticos

Elas podem voltar a fazer xixi na roupa após um longo período sem fazê-lo. Dores de cabeça ou de barriga são frequentes. Essas são maneiras que elas têm para expressarem o seu mal-estar diante da separação dos seus pais.

Choro frequente

Elas costumam chorar com frequência. Por isso é importante mostrar para elas o nosso apoio, tranquilizá-las e acompanhá-las para facilitar que expressem a dor que sentem.

Chantagem emocional

Em algumas situações elas poderão fazer esse tipo de chantagem para que um de seus pais a façam sua vontade: é muito importante não cair nesse tipo de chantagem.

Problemas na escola

Elas podem diminuir o rendimento escolar devido à situação que está vivendo dentro de casa.

Como podemos ajudar nossos filhos diante de uma separação?

  • Devemos deixar que as crianças manifestem os seus sentimentos de frustração, de raiva, de tristeza e oferecer todo o nosso carinho. É importante não julgarmos nossos filhos nesse momento.
  • Caso seja necessário procure a ajuda de um profissional, já que a criança poderá sentir mais liberdade em falar, e em expressar as suas emoções e os seus pensamentos a alguém de fora da família, alguém que não esteja presenciando o que está acontecendo dentro de sua casa.
  • Os pais devem explicar e falar com a criança para que a situação seja menos dolorosa possível.
  • A criança não deve presenciar gritaria, insultos nem discussões violentas. Se essas situações ocorrerem, ela não deve estar presente.
  • Proteger a criança da tensão causada pela separação.
  • Não desprestigiar nunca o ex-cônjuge, já que isso poderá destruir a imagem paterna ou materna que são muito importantes para a criança.
  • Seu filho deve ter o próprio espaço tanto dentro da casa em que for morar, como na casa do pai que tenha saído de casa.
  • As crianças querem ver seus pais felizes, mesmo que seja com uma nova pessoa. A infelicidade dos pais provoca tristeza na criança.
  • Manter um vínculo afetivo com os avós, tios, primos de ambos os lados.
  • É preciso evitar o excesso de permissividade e não encher a criança de presentes. Você deve sempre entrar em acordo com o outro progenitor da criança.
  • Apesar da separação dos pais não devemos modificar a rotina diária da criança.

É uma situação complicada, mas se for trazer coisas boas para ambos os pais será menos dolorosa e melhor para todos os envolvidos. Neste artigo vimos que devemos fazer para que a criança sofra o menos possível diante da separação dos pais.