Mulher com hemangioma é exemplo de empoderamento e amor-próprio

Essa e a história de Luciana Dorini, que usa seu hemangioma como exemplo para ser uma mulher bem-resolvida e cheia de amor-próprio!
Mulher com hemangioma é exemplo de empoderamento e amor-próprio

Última atualização: 28 abril, 2022

No artigo de hoje, mostraremos a inspiradora história de Luciana Kele Dorini, uma professora universitária, palestrante, contadora, escritora e blogueira de 42 anos. Além de todas essas atividades, ela ainda encontrou tempo para escrever um livro contanto sua história de vida e sobre como ela lida com o hemangioma desde pequena.

Hemangiomas são tumores vasculares benignos, provocados por um crescimento anormal dos vasos sanguíneos, ou seja, trata-se de uma malformação arteriovenosa. Isso pode acontecer em qualquer parte do corpo. No caso de Luciana, ele está presente no rosto.

A condição provocou uma série de problemas de saúde, desde a infância de Luciana. Ela precisou passar por 20 cirurgias ao longo de sua vida, mas nunca se deixou abalar pelos problemas e se sente uma mulher empoderada e com amor-próprio para dar e vender.

Ela decidiu contar a própria história para inspirar outras mulheres a cuidarem de sua autoestima, e para isso começou a escrever em um blog chamado “Eu tenho um Hemangioma e Daí?!?”, ela começou a dar palestras e recentemente lançou seu livro “Entre Ondas de Emoção.”

Em uma entrevista concedida recentemente ao portal “Sou Catarina”, Luciana comenta sobre o seu diagnóstico e sobre como lida com o preconceito e as perguntas inconvenientes — e muitas vezes maldosas — sobre sua condição:

“Não chamaria [minha condição] de distúrbio, acho essa expressão forte demais para uma face tão delicada como a minha… digo, como todas as faces femininas que são cobertas de delicadeza… Chamaria de uma diferença estética, ocasionada por uma malformação arteriovenosa (MAV), mais conhecida, popularmente, como hemangioma”.

“No meu caso, [o local é] irrigado por várias artérias, o que sempre gerou uma vascularização e circulação muito maiores no local da lesão, e por consequência disso inúmeras hemorragias. Dessa forma, precisei passar por várias cirurgias emergenciais para estancar sangramentos enormes e também fiz algumas para prevenir futuros riscos, ao todo foram 20 procedimentos cirúrgicos”.

Luciana está vivendo o auge de sua vida profissional e pessoal. Além de todas as atividades que já descrevemos, ela vem fazendo sucesso nas redes sociais, onde é considerada um exemplo de mulher independente e bem-resolvida.

Quando perguntada sobre se o hemangioma afetou sua autoestima em algum momento, ela respondeu o seguinte:

“Tenham certeza, a Lu Dorini não é personagem criada não [é bem resolvida mesmo]. A Lu Dorini, sua autoestima e sua felicidade, são reais… Falo isso porque algumas pessoas já me confrontaram, pois duvidam que alguém possa ser feliz com um ‘problema’ como o meu”.

“Para ser feliz não é preciso ser Barbie, para ser feliz é preciso se amar, tal como se é, e eu sempre me amei. Eu nunca tive problema com a minha autoestima. Pelo contrário! Minha autoestima sempre foi muito bem trabalhada e alimentada. Sempre foi o carro chefe para a solução de todos os meus problemas, sejam eles ligados à minha condição física ou não”.

Ela conta que viveu diversas situações de preconceito, mas desde pequena aprendeu a lidar com os comentários e olhares.

Luciana contou sobre suas experiências em detalhes no seu livro “Entre Ondas de Emoção”, publicado neste ano.

“O livro conta toda a minha vida, nua e crua. Todas as minhas sensações, todos os meus altos e baixos, e por isso o nome. Tenho certeza de que cada leitor vai rir, vai chorar, e o mais importante, vai saber que é possível conquistar, quando realmente acreditamos em nós mesmos. Se você ainda não leu, eu super recomendo… (risos)”

O livro está disponível em meio físico e digital. Além de poder ser encontrado nas livrarias da região sudoeste do Paraná, onde Luciana mora atualmente.

Luciana comenta que seu objetivo é ajudar outras pessoas com hemangiomas ou algum problema similar ao dela.

“Porém isso tomou uma outra proporção, e hoje eu tenho certeza que encontrei o propósito da minha vida: auxiliar as pessoas a se amarem mais, lutarem e vencerem seus obstáculos dia após dia, tanto nas redes sociais como nas palestras e mentorias on-line, de autoestima e florescimento pessoal”.

A escritora também ofereceu conselhos para nos ajudar a continuar com nossas atividades diárias sem nos deixar abater por situações de preconceito ou discriminação.

“A primeira dica é: “Se AME…” porque quem se ama, não precisa se aceitar e não precisa que os outros a aceitem. Porque quem se ama não se julga e tampouco julga os outros. Porque quem se ama, não se compara e, assim, não se importa com os outros. Porque quem se ama entende que a principal pessoa do mundo é ela mesma, e por isso se respeita, se valoriza, e vive, sem se deixar abalar”.

This might interest you...
4 doenças raras que podem acometer crianças
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
4 doenças raras que podem acometer crianças

A maioria das doenças raras em crianças costuma ser congênita, e seu tratamento, do ponto de vista médico, é complicado. Saiba tudo sobre esse tema...