Como a música pode ajudar os bebês a falar?

23 de novembro de 2017

Todo mundo sabe que a música traz benefícios para os bebês e que o ritmo potencializa sua capacidade intelectual. Se o seu bebê balança em sincronia com a música é provável que você esteja se perguntando como essa experiência irá beneficiar o seu cérebro e como irá afetar o seu desenvolvimento. A música pode ser muito mais importante para o seu bebê e basta um pouco de ritmo para entretê-lo. A música pode ajudar os bebês a falar.

Um estudo confirma que a música e capaz de ajudar os bebês a falarem

Um novo estudo realizado por cientistas da Universidade de Washington atestou que brincar com os bebês utilizando a música ajuda no processamento cerebral dos bebês de 9 meses a melhorar a fala e a compreender melhor os sons que devem pronunciar. Dessa forma, irá melhorar consideravelmente as habilidades linguísticas das crianças. Este é um estudo pioneiro nesse sentido.

O estudo é o primeiro a ser realizado com bebês tão pequenos e que sugere que a música faz com que as crianças aprendam um padrão rítmico (típico da música) e que melhora a capacidade de detectar e de fazer prognósticos acerca dos padrões rítmicos da fala. Essa é uma grande descoberta, pois além da música desenvolver o cérebro também potencializa a fala nas crianças.

O mundo complexo dos sons

Um estudo confirma que a música e capaz de ajudar os bebês a falarem

Os bebês experimentam um mundo complexo quando começam a descobrir os sons, as luzes e as sensações. Todos esses estímulos variam constantemente e podem fazer com que eles se sintam desorientados e, muitas vezes, confusos. O trabalho do bebê é reconhecer os padrões de atividade e prever o que irá acontecer posteriormente.

A percepção de padrões é um aprendizado importante para a habilidade cognitiva e também melhora a capacidade precoce de aprimorar a aprendizagem no futuro. Todos esses componentes são essenciais para o desenvolvimento cognitivo do bebê. É muito fácil expor o seu filho a padrões de música. Os bebês irão se divertir com a música e o seu cérebro irá trabalhar em grande ritmo.

A linguagem tem padrões rítmicos

Assim como ocorre com a música, a linguagem tem fortes padrões rítmicos. Quando as pessoas pronunciam as sílabas, o ouvinte consegue definir um som da fala concreto e entende o que as outras pessoas estão dizendo com base em um padrão definido pela fala. É a capacidade de identificar as diferenças da fala, algo que sem dúvida irá ajudar os bebês a falarem com mais facilidade. 

Os pesquisadores desse estudo fizeram um experimento aleatório que foi controlado para ver se realmente a música era uma boa ferramenta para ajudar os bebês a falarem graças ao ritmo musical. O objetivo era comprovar como os ritmos da música afetavam de forma positiva os bebês de 9 meses que participavam do estudo.

Em que consistiu o estudo que diz que a música pode ajudar os bebês a falarem?

No decorrer de um mês, 39 bebês assistiram a 12 sessões de jogos com música que tinham a duração de 15 minutos no laboratório e estavam sempre acompanhados dos seus pais. Em grupos pequenos de 2 ou 3, os bebês ficavam sentados com os seus pais, que os guiavam através de atividades que os investigadores explicavam previamente aos progenitores.

Vinte bebês foram designados a um grupo de música e nessas sessões haviam gravações de música para que eles brincassem enquanto um pesquisador auxiliava os bebês e os seus pais a baterem com instrumentos rapidamente, e no compasso da música que os pesquisadores escolheram anteriormente para fazerem parte do estudo.

Todas as músicas estavam em compasso ternário (o mesmo usado na música para valsa). Os estudiosos escolherem essa notação por ser relativamente difícil para que os bebês aprendam. Os 19 bebês do grupo-controle assistiram as sessões de jogos que haviam música. Esses bebês brincaram com carrinhos de brinquedo, blocos, e outros objetos que requeriam movimentos coordenados com a música.

estudo que diz que a música pode ajudar os bebês a falar

Uma semana depois das sessões de jogos com ou sem música, as famílias voltaram ao laboratório para ver as respostas do cérebro dos bebês. Os pesquisadores utilizaram magnetoencefalografia para ver a localização precisa e o momento da atividade cerebral dos bebês. Dessa forma, eles puderam saber melhor como o experimento incidiu nos bebês.

Enquanto eles mediam o cérebro dos bebês, os pequenos escutavam uma série de fios musicais e de sons da fala. O ritmo era interrompido de vez em quando e o cérebro do bebê mostrava a resposta particular para indicar que realmente detectava a interrupção do ritmo tanto da música quanto da fala. Os cientistas se centraram no córtex auditivo e no córtex pré-frontal.

Os bebês no grupo de música tiveram respostas cerebrais mais significativas com relação à interrupção tanto da música quanto no ritmo da fala em comparação aos bebês que não tiveram música no experimento. Isso sugere que a participação nas sessões de jogos com música melhora a capacidade dos bebês de detectar padrões de sons.