Não me cobre como um treinador, me incentive como um admirador: palavras de seu filho

· 22 de março de 2017

Me incentive em qualquer atividade escolar ou extra escolar. Não me cobre como um treinador, simplesmente se converta em meu admirador. Ainda que as suas intenções sejam as melhores para mim eu me sinto pressionada e você acaba por me anular.

Não quero que você se converta em meu preparador, porque muitas vezes sinto uma pressão insuportável vinda de você. Uma obrigação que não faz mais que me bloquear e me paralisar. Eu só preciso que você me apoie: me incentive, me levante cada vez que eu tropece e festeje minhas pequenas vitórias.

Para minha segurança e autoestima, me incentive

Tenha cuidado com as palavras que vai usar, porque o que está em jogo não é um simples resultado, mas sim minha personalidade. Me incentive com palavras positivas. Não me aborreça com frases que somente me causarão frustração.

Para minha segurança e autoestima, me incentive

Não me cobre exigindo vitórias quando o que eu procuro é só me divertir enquanto me formo. Tampouco me faça sentir diminuído, nem muito menos me compare. Eu sou eu, com virtudes e defeitos, com talentos ou sem eles. Por favor, não crie um mal-estar desnecessário enquanto tento me integrar.

Novamente, me incentive como se fosse um fã. Destaque cada um dos meus acertos e realizações, por menores que sejam. Alimente minha autoestima e segurança. Carregue minha mochila com elementos de motivação, procure potenciar minhas capacidades.

Simplesmente lhe peço, mãe ou pai, que me acompanhem e apoiem sem depositar em mim seus desejos e frustrações. Pois não sou mais que uma criança em pleno processo de formação e desenvolvimento. Tenham em conta o que me pedem, de acordo com minhas aptidões e habilidades.

Me incentivem sem me magoar ou deixar angustiado

Claro que eu entendo que você quer o melhor para mim e que somente sonha em me ver brilhar. Da mesma maneira, eu também só quero lhe ver feliz e ser parte desse grande acontecimento da vida. Entretanto, quando você adota a fria e cruel postura de um treinador, mata minha alma e meu coração.

Não é para menos, porque tudo o que preciso é de um admirador que fique babando quando fala de mim. Que saiba em consequência, reconhecer e destacar meu esforço e dedicação. Obviamente não preciso que me critiquem ou me façam sentir um inútil ou um incompetente.

Sem dúvidas, não quero dizer que você deve me enganar ou faltar com a verdade. Não quero me ver mergulhado numa mentira, nem perder a autocrítica. Somente quero ser uma criança plena e feliz, convivendo e me divertindo, enquanto aprendo jogando.

Como podem perceber, não planejo ser o melhor, mas sim ser o que sou: nem mais nem menos que um simples pessoa, normal, alegre e feliz. Essa criança que chegou para colocar cor nos seus dias mais cinzas. O ser que encheu a suas manhãs de razões para seguir em frente.

Me incentivem sem me magoar

Invista em mim, me incentive!

Me faça sentir bem com tudo aquilo que valentemente enfrento. Não deprecie nenhuma atividade que eu goste, nas quais eu me sinto bem ou me divertem. Me dê liberdade de escolher, e também de agir.

Sendo assim, invista e incentive. E entenda que não vou me converter em um Lionel Messi, Rafael Nadal, Nadia Comaneci ou Gabriela Sabatini, mas mesmo assim peço por favor que acredite em mim. Deixe acontecer, talvez eu não procure simplesmente ser uma medalha de ouro ou uma medalha de prata.

Por detrás da minha atividade extra escolar se escondem outras necessidades e também, porque não, outras tantas satisfações. Nem toda meta ou objetivo obedecem a uma tabela de posições, aos tantos convertidos ou ao resultado de um encontro esportivo.

Acredite em mim. A possibilidade de interagir com parceiros, de aprender sobre um tema, de me introduzir no mundo das regras e me divertir tendo total apoio será muito mais produtivo. Por isso, volto a lhe pedir uma vez mais e para sempre: não me exija como um treinador, me incentive como um admirador.