Porque não quero que meu filho compartilhe seus brinquedos

03 Outubro, 2017

Não quero que meu filho compartilhe seus brinquedos. Tudo bem que todo mundo nos ensinou desde pequenos que o certo é compartilhar. Que é uma maneira de fazer amigos e socializar, e que além disso, permite às crianças experimentar diferentes brinquedos. Em muitas escolas e creches existem inclusive regras a respeito, impostas pelas associações de pais. Porém, essas regras que tem como objetivo melhorar o ambiente nas escolas e creches às vezes podem ser um pouco injustas.

O que acontece quando essas normas são levadas ao extremo?  O que devemos fazer quando atinge o direito de nosso filho pelo benefício de outra criança? Compartilhar é algo bom ou ruim?

Existem pais que não sabem distinguir a diferença entre compartilhar e exigir. Acreditam que seus filhos têm direito a tudo, muitas vezes passando por cima das necessidades de outras crianças. Não explicam para eles que o mundo vai dar lhes dar muitas respostas negativas durante sua vida, e que ninguém vai passar as mãos em  suas cabeças.

Quando compartilhar é perigoso

Existem alguns casos extremos em que compartilhar pode resultar em comportamentos desagradáveis. Isso ocorre porque na maioria das vezes os pais se comunicam muito mal com a criança. Ou se ensina que os filhos tem de ser submissos diante de qualquer um, ou os educam para exigir qualquer coisa que desejem.

Crianças submissas

menino brincando sozinho com seu brinquedo

São crianças que foram ensinadas a colocar as necessidades dos outros à frente das suas próprias. Acreditam que, se comportando assim, as outras crianças irão querer ser seus amigos. Lamentavelmente, na maioria das vezes, emprestam seus brinquedos ainda que estejam brincando com eles e se divertindo.

Em casa foram ensinados que devem compartilhar tudo, sem especificar que o que ele quer também é importante. Não é justo que tenha que renunciar à alguma coisa que lhe pertence e gosta para dar para outra criança, só porque esta teve vontade.

No mundo dos adultos uma pessoa assim seria rotulada de submissa e covarde. Perderia muitas oportunidades em sua vida laboral, sentimental e acadêmica. Além disso, seria alguém frustrado e insatisfeito com sua trajetória e permitiria que os outros pisassem nele.

Devemos ensinar as crianças a não renunciarem ao que querem por causa de uma regra. Tem o mesmo direito que os demais a se negar a fazer algo, e a que seus pedidos sejam escutados. Compartilhar é bom, porém saber dizer NÃO também é.

Crianças malcriadas

Essas crianças foram educadas para saber se defender a si mesmos e suas necessidades. É correto que saibam fazer valer suas opiniões, porém nunca passando por cima dos outros. Devem saber que não podem tirar as coisas de outras crianças, e muito menos bater nelas ou insultar.

Infelizmente muitos pais incentivam esse comportamento. Para eles, que outra criança não queira emprestar o brinquedo a seu filho é um problema educativo externo. Pensam somente em si mesmos e que se o seu filho compartilha ou não, fica em segundo plano.

Se esse tipo de comportamento continua sendo permitido, a criança estará indo para um mau caminho.  As pessoas ao seu redor não vão estar sempre ao seu lado para satisfazer suas necessidades e ela vai acabar se convertendo em uma pessoa egoísta e narcisistaEsse tipo de gente é muito desagradável e costuma acabar sozinha e com problemas em todos os âmbitos de sua vida.

Para evitar chegar a esse ponto os próprios pais devem mudar sua conduta. Seu filho não é o centro do universo e tem de aprender a aceitar um NÃO como resposta. Caso se note esse tipo de comportamento em casa, também deve ser cortado pela raiz. Se as coisas são bem explicadas às crianças elas não têm porque acabar se convertendo em um adulto mal-educado.

duas crianças brigando por um brinquedo

Em tempos de mudanças aqueles que estão abertos para o aprendizado tomarão conta do futuro, enquanto que, aqueles que pensam que sabem tudo, estarão bem preparados para um mundo que já não existe

-Eric Hoffer-

É errado que meu filho compartilhe seus brinquedos?

Não, não esta errado que seu filho compartilhe. Como mencionamos antes, compartilhar é uma coisa saudável e boa, que encoraja a amizade e a cumplicidade. O problema aparece quando não se leva em conta as necessidades da própria criança ou das outras pessoas. Não se deve maltratar a ninguém para conseguir um objetivo. A criança deve aprender que compartilhar é bonito, porém, que nem sempre se deve fazer isso diante de uma situação qualquer.