Não saia de casa sem se despedir do seu filho

01 Outubro, 2018
Nunca faça isso pensando que vai ser o melhor para o seu filho. Você não sabe o quanto pode estar errada.

Nunca saia de casa sem se despedir do seu filho. Você tem consciência das consequências que essa decisão errada pode acarretar?

Sem dúvida alguma, sair de casa é um dos momentos mais difíceis que você vai precisar enfrentar todos os dias. Não importa se vai sair para fazer compras, ir à academia, estudar, trabalhar ou participar de alguma reunião.

Esse momento em que você precisa se desgrudar do seu pequeno dói, e muito.

No entanto, um dos erros mais grosseiros que as mães – e os pais – podem cometer é não se despedir. Isso marca a criança, não só naquele momento, mas em longo prazo. Pois produz uma ferida emocional mais profunda do que você pode imaginar.

Então, seja forte e faça o melhor para ambos todas as vezes que você precisar sair de casa. Despeça-se da criança, não importa o quão difícil for esse momento.

Também não importa o quanto o pequeno vai chorar. A única diferença é o fato de ver o pequeno na hora de sair de casa, pois a criança vai chorar o mesmo tanto, ou talvez mais, se você não se despedir.

A importância de se despedir do seu filho

se despedir

Quando você sai de casa sem se despedir do seu filho, lamentavelmente você não evita a dor dele. E também não evita as lágrimas.

Mesmo quando você sai e não vê mais o que está acontecendo com o seu pequeno, você continua sentindo como se a dor fosse sua também. Por isso, seu coração dói em dobro. Como você pode ver, é uma medida difícil de ser tomada.

Por outro lado, você deve considerar outro detalhe de grande importância. Quando o pequeno sabe que você vai sair, o choro é de tristeza.

Em contrapartida, quando ele não compreende o que aconteceu (o porquê você saiu sem se despedir), chora de desespero e de angústia. Certamente, duas sensações mais difíceis de administrar e amenizar.

Outro dos motivos pelos quais você deve se despedir do seu filho tem a ver com ganhar a confiança do pequeno.

Se, de repente, você desaparece sem nenhuma explicação, vai criar um sentimento de desconfiança. A criança poderá achar que você é uma pessoa em quem ela não pode confiar.

Esqueça a técnica da distração e dos truques de mágica. Os especialistas insistem que esse métodos são prejudiciais.  Sem dúvida, essa técnica gera um grande sentimento de confusão nas crianças.

Por isso, elas vão começar a bombardear as pessoas ao redor com perguntas, sem conseguir saber com certeza se a mamãe vai voltar ou não.

Lembre-se de que para as crianças, a separação da mãe não é uma preocupação pequena. Você é o mundo delas, a pessoa favorita, o tudo. Não menospreze as preocupações das crianças porque assim você não faz mais que provocar um trauma da cabecinha delas.

Despedir-se do seu filho é importante porque você vai ajudá-lo a assimilar o processo de separação.

Como se despedir do seu filho da melhor forma?

se despedir

Aproxime-se da criança e dê um beijo e um abraço. Mantendo um sorriso despreocupado, explique que a mamãe vai sair por um momento e reforce o sentimento de segurança da criança afirmando que você vai voltar.

A verdade é que você não vai conseguir evitar o choro do pequeno. É normal e é de se esperar que a criança demonstre seus sentimentos.

Certamente, esse ritual de despedida deve ser tranquilo e não precisa durar muito. Deseje um dia maravilhoso para o seu filho e diga para ele brincar muito.

Deixe de lado o “vou sentir saudades” – que os dois certamente vão sentir – e qualquer tipo de lamentações que somente deixam esse momento mais difícil.

Se a criança se comportar muito mal nesse momento, não volte atrás porque cada vez que você o fizer será pior no futuro. Simplesmente, transmita calma e diga que você vai ligar durante o dia.

É claro que se você fizer essa promessa, não deve quebrá-la por nada nesse mundo. Ligue assim que tiver um tempinho livre e diga ao seu filho que você o ama.

Dessa forma, você não vai evitar que o pequeno sinta saudades, mas vai fazer com que se sinta seguro, tranquilo e sereno.

Com esse simples ritual de despedida, a criança vai começar a assimilar esses momentos como algo passageiro. E vai associar ao fato de que você vai voltar dentro de algumas horas.

Faça isso da melhor maneira para você. Reduza o sofrimento e o desespero do seu filho. Reduza sua angústia ao saber que está agindo corretamente.

Pois, assim, você sai de casa com a cabeça tranquila, já que não precisou recorrer a estratégias para enganar seu filho.

  • Bowlby, J. (1986). Vínculos afectivos: formación, desarrollo y pérdida. Madrid: Morata.
  • Bowlby, J. (1995). Teoría del apego. Lebovici, Weil-HalpernF.
  • Garrido-Rojas, L. (2006). Apego, emoción y regulación emocional. Implicaciones para la salud. Revista latinoamericana de psicología, 38(3), 493-507. https://www.redalyc.org/pdf/805/80538304.pdf
  • Marrone, M., Diamond, N., Juri, L., & Bleichmar, H. (2001). La teoría del apego: un enfoque actual. Madrid: Psimática.
  • Moneta, M. (2003). El Apego. Aspectos clínicos y psicobiológicos de la díada madre-hijo. Santiago: Cuatro Vientos.