Eu não sou uma mãe perfeita, mas dou o meu melhor

Não sou uma mãe perfeita nem pretendo ser, pois todos os dias da minha vida dou o meu melhor. Acontece a mesma coisa com você?
Eu não sou uma mãe perfeita, mas dou o meu melhor

Última atualização: 23 março, 2022

A sociedade exige que sejamos mães e criemos nossos filhos como se não tivéssemos outro emprego, mas ao mesmo tempo exigem que trabalhemos e sejamos produtivas como se não tivéssemos filhos. Contudo, não levo isso em conta para ser mãe, porque na realidade não sou uma mãe perfeita, mas dou o meu melhor.

Ser mãe não é fácil, e se lhe dissessem o contrário, estariam mentindo para você. Sou uma mãe que aprende com os erros, e meus filhos são meus grandes professores. A perfeição não existe e nunca existirá, sei que cometo erros, que nem sempre tomo as decisões certas, mas sempre estou pensando no melhor para meus filhos e para meu núcleo familiar.

Desde que me tornei mãe…

Eu me tornei mãe antes de ter meu primeiro filho nos braços, exatamente quando descobri que estava grávida. É nesse momento em que você começa a tomar decisões para o bem dos seus filhos.

Você cuida da sua saúde e de todos os aspectos da sua vida para que uma nova vida se desenvolva bem dentro de você. As preocupações começam, mas sua única prioridade é que o ser que você está gestando nasça saudável e que você possa criá-lo com todo seu amor incondicional.

Comecei a cuidar de mim para cuidar dos meus filhos, enchi meu coração de amor para oferecê-lo aos meus pequenos, minha existência faz sentido graças aos seus sorrisos e vendo como eles crescem e como descobrem o mundo enquanto me dão a coisa mais valiosa da minha vida: o amor incondicional deles.

Ser mãe mudou completamente minha vida. Aprendi a aproveitar cada pequeno detalhe da vida, a dormir bem à noite e a não me desesperar quando meus filhos precisam de mim. Mas, acima de tudo, aprendi que não sou perfeita e que não há problema em não ser.

Honestamente, eu não quero ser perfeita

Além disso, a verdade é que eu não quero ser perfeita, porque no meu dia a dia tento dar o meu melhor. É verdade que tem dias que eu perco a calma, que tenho que respirar fundo e contar até 10, 100 ou 1000… Mas a maternidade é assim.

Não saber o que comer e improvisar macarrão com tomate, correr para a escola porque estamos atrasados, não entender como outras mães ou famílias fazem isso porque me faltam várias horas todos os dias…

Também me senti culpada por muitas coisas. Por exemplo, eu me culpo em muitas ocasiões por:

  • Perder a paciência.
  • Delegar tarefas porque não consigo lidar com tudo.
  • Dar respostas ruins quando o estresse ou a ansiedade me vencem.
  • Nem sempre ser tão amorosa quanto eu gostaria de ser.
  • Quando não há comida na geladeira porque não tive tempo de ir às compras.

A culpa me diz que não sou perfeita

Tudo isso me faz sentir mal, mas estou ciente de que não existem emoções boas ou ruins, na verdade todas as emoções são importantes e necessárias para saber do que precisamos em cada momento. Mas essa culpa é o que me faz sentir a imperfeição em cada poro da minha pele materna.

Mas é preciso sentir todas as emoções, expressá-las e gerenciá-las. Sentir-se mal só piora as coisas. Por isso, é melhor aceitar essa imperfeição e estar ciente de que é em parte o que me torna perfeita e única para meus filhos e família.

É claro que não quero perder a paciência, nem responder mal, nem esquecer as coisas na hora das compras… mas tenho que aceitar que não sou perfeita, que sou humana e que errar é absolutamente normal. Não quero ser uma mãe perfeita, só quero dar o meu melhor todos os dias da minha vida.

Tenho defeitos, mas também muitas virtudes. Por isso, eu não deveria me recriminar ou me sentir tão culpada. Porque todos os dias luto pelos meus filhos, porque não lhes falta nada, tento ser uma mãe melhor todos os dias, tento ser mais paciente… e não tem dia que não os preencha beijos e abraços, não importa quanta ansiedade ou estresse eu sinta.

Meus erros são meu aprendizado

Meus erros servem de aprendizado. Se cometo um erro, peço desculpas e tento novamente. Busco fazer meus filhos verem que não sou uma mãe perfeita, que também não estou tentando ser assim e tudo bem. Errar é normal e ser responsável por nossas ações é necessário em qualquer idade e em qualquer estágio de nossas vidas.

Aprendi a perdoar, me perdoar e pedir perdão sempre que necessário. A culpa nunca vai me ajudar… é destrutiva! Não quero mais me sentir culpada porque não tenho tempo, porque não faço uma refeição mais saudável ou porque não ajudo o meu filho o suficiente com a lição de casa e quero que ele seja mais autônomo.

Todos os dias eu administro o melhor que posso, não sendo perfeita, mas dando o meu melhor todos os dias. Minha missão não é ser perfeita, é que meus filhos cresçam independentes, felizes, com autoestima, com boa inteligência emocional e sem aquela pressão horrível sobre eles para serem perfeitos. Porque repito: a perfeição não existe. Vamos viver a vida e apreciá-la.

This might interest you...
É bom que seus filhos vejam você como uma mãe imperfeita
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
É bom que seus filhos vejam você como uma mãe imperfeita

Toda mãe se sente culpada por cometer erros na criação dos filhos. No entanto, é positivo que seu filho a veja como uma mãe imperfeita.