Nascer por cesárea pode ser prejudicial à saúde?

1 de julho de 2018
Nascer por cesárea é cada vez mais comum. Mas muitos especialistas continuam acreditando que na maioria dos casos é uma prática desnecessária. Além disso, pode ser permanentemente prejudicial à saúde da criança.

Sabe-se que os bebês que chegaram ao mundo dessa maneira são mais propensos a contrair algumas doenças específicas ao longo da vida. As alterações de tipo imunológicas são as mais comuns.

Para sustentar a teoria de que pessoas nascidas por cesárea apresentam mais problemas de saúde, os pesquisadores descobriram que nesses casos ocorrem alterações genéticas. Essa alteração faz com que o DNA dos glóbulos brancos se modifique, aparentemente devido ao processo traumático do nascimento.

Nesse sentido, sabemos que podem existir controvérsias quando se compara o possível trauma de nascimento entre o parto via vaginal e a cesárea. É totalmente compreensível que a maioria das pessoas pense que não pode haver nada mais violento do que um parto natural. Mas existe uma razão pela qual um processo cirúrgico poderia ser mais traumático.

Mesmo que não esteja clara a razão subjacente, nossa teoria sustenta que nascer sob condições naturais alteradas pode produzir uma marca genética nas células do sistema imunológico, que pode se tornar significativa ao longo da vida.

-Mikael Norman-

nascer por cesárea

Por que nascer por cesárea pode ser prejudicial?

Geralmente, os obstetras estão de acordo sobre o fato de o parto normal ser preferível em todos os sentidos. Mas nem sempre há razões suficientes para convencer a mãe a preferir o parto normal à cesárea. O ponto é que para os especialistas há certa inclinação a um dos processos, mas não há elementos contrários ao outro.

Ou seja, a maioria dos problemas de saúde que podem acontecer no nascimento por cesárea não são especialidade do obstetra. Alguns estudos revelaram que podem ocorrer anomalias cerebrais e neurológicas, que estão vinculadas à maturidade e ao desenvolvimento dos neurônios.

As consequências de tais alterações é a propensão a contrair doenças como a asma ou a diabetes e outras do tipo imunológicas. As constantes alergias e o desenvolvimento da leucemia são, em longo prazo, os riscos que um bebê nascido por cesárea apresenta, diferentemente daqueles nascidos por parto normal.

De acordo com os estudos, as principais alterações genéticas se tornam mais evidentes quando se trata de uma cesárea programada. Nesse sentido, é comum que esse tipo de intervenção seja realizada antes das quarenta semanas. Isso não parece ser um problema, mas sem dúvidas altera o desenvolvimento normal da gravidez.

De acordo com os estudos, a modificação dos glóbulos brancos que acontece ao nascer por cesárea não ocorre no nascimento por vias naturais. Entretanto, para argumentar em favor dessa teoria, os especialistas realizaram uma pesquisa que incluiu colher amostras para determinar os níveis de metilação do DNA no cordão umbilical de bebês nascidos por meio de intervenção cirúrgica.

Os resultados indicaram que o grau de metilação era mais alto nesses bebês, em comparação com aqueles que nasceram naturalmente. Esse elemento está relacionado à expressão genética e à predisposição, que se combinam com outros fatores do ambiente no qual um indivíduo se desenvolve, para causar determinados problemas de saúde.

nascer por cesárea

O estresse de nascer por cesárea

Os especialistas ainda não sabem exatamente por que a metilação é mais alta quando o bebê nasce por cesárea. Mas de acordo com pesquisas com animais se sabe que acontece a mesma coisa nos estudos com seres humanos. Consequentemente, eles acreditam que se trata do estresse causado durante uma cesárea programada. O bebê não está pronto para vir ao mundo naquele momento, o que significa uma mudança violenta na situação.

Consequentemente, nascer sob altos níveis de estresse provoca uma modificação no nível de metilação. Esse processo é realizado para regular os mecanismos do organismo que ativam os genes que protegem o bebê dos fatores externos do ambiente. Isso implica que a desativação desse mecanismo afeta o sistema imunológico, deixando o bebê propenso a doenças comuns.

Por sua vez, o estresse causado pelo parto normal é diferente do nascimento por cesárea. No primeiro caso, o bebê começa a se adaptar paulatinamente à mudança e está biologicamente pronto para nascer. No outro, o processo cirúrgico por si só pode causar estresse na mãe, o que se reflete no bebê. Esse sentimento se agrava com uma abrupta interrupção da vida do bebê no útero.

Mesmo que ainda restem muitos detalhes a descobrir, cada vez mais aumenta a quantidade de estudos a esse respeito, cujos resultados mantêm a teoria de que nascer por cesárea pode ser prejudicial à saúde do indivíduo durante toda a vida.

Recomendados para você