Nascimento de gêmeos: aumento exponencial na taxa de natalidade

A realidade está mudando para os gêmeos, pois houve um aumento significativo na taxa de natalidade de indivíduos com gestação simultânea. Por isso, vamos explicar aqui as prováveis razões.
Nascimento de gêmeos: aumento exponencial na taxa de natalidade

Última atualização: 25 Abril, 2021

O nascimento de gêmeos é visto como uma espécie de milagre devido às baixas chances que tem de ocorrer. No entanto, esse cenário de gravidez vem mudando drasticamente as estatísticas nos últimos anos. Nesse sentido, chama a atenção saber que a taxa de natalidade desde 1980 tenha aumentado em um terço.

Isso tem levado vários pesquisadores ao redor do mundo a buscar as respostas para esse fenômeno. Em relação aos dados estatísticos, estima-se que chegam ao mundo 1,6 milhão de gêmeos por ano, número que se torna mais chamativo com a proporção de 1 para cada 42 nascimentos.

Os setores envolvidos nos estudos mostram que existe uma relação direta entre os tratamentos médicos para a concepção e o aumento de casos. Assim, conforme observado em Human Reproduction, desde a década de 1980 na Ásia, houve um aumento de 32% no nascimento de gêmeos. Da mesma forma, na América do Norte, o número sobe para 71%.

Base científica para o aumento no nascimentos de gêmeos

O nascimento de gêmeos é frequentemente muito esperado.

O estudo intitulado Twin Peaks: more twinning in humans than ever before (Twin Peaks: mais gêmeos em humanos que nunca) mostra como os autores Christiaan Monden, Gilles Pison e Jeroen Smits encontram as bases da explicação para o aumento do nascimento de gêmeos.

No entanto, antes de continuar com as informações, é importante esclarecer que 80% dos nascimentos de gêmeos no mundo se concentram entre a Ásia e a África.

A explicação que geralmente vem à mente quando se fala em um aumento de gêmeos é a proporcionalidade com o aumento da população. No entanto, existem razões com outro nível de complexidade e baseadas em componentes científicos.

Christiaan Monden afirmou o seguinte sobre esse fato, de acordo com registros da BBC: “A taxa de gêmeos na África é tão alta devido ao grande número de gêmeos dizigóticos (gêmeos nascidos de dois óvulos separados) nascidos lá. Muito provavelmente, isso se deve a diferenças genéticas entre a população africana. “

Métodos de fertilidade

Por outro lado, além do fator genético que categoriza cada continente, os métodos de fertilidade desempenham um papel essencial no aumento dos nascimentos de gêmeos. Isso teve maiores consequências em continentes como Oceania, América do Norte e Europa.

Alguns dos procedimentos de reprodução assistida mais usados na modernidade clínica para controlar a fecundidade são os seguintes:

  • Inseminação artificial.
  • Fertilização in vitro.
  • Microinjeção de espermatozoides.
  • Indução ovariana.

Sabe-se que as chances de ocorrer nascimentos de gêmeos nessas modalidades são muito maiores do que nas demais. Nessa linha, a referida pesquisa mostra que os aspectos que aceleram a utilização desses procedimentos são a infertilidade e a decisão de começar a ter filhos em idade avançada.

O que acontecerá no futuro com o nascimento de gêmeos?

O nascimento de gêmeos nem sempre é fácil.

Embora a curva mostre um aumento no nascimento de gêmeos nos últimos anos, acredita-se que a taxa possa diminuir. A razão é que o avanço dos procedimentos reprodutivos trabalhará para que apenas um bebê seja produzido em cada gravidez. Portanto, se as técnicas de fertilidade forem aperfeiçoadas, as estatísticas devem começar a encolher.

A importância de não deixar o nascimento de gêmeos atingir níveis alarmantes com o tempo está na redução de gestações de risco. A questão é que a gravidez múltipla para famílias de baixa renda causa um aumento vertiginoso da mortalidade.

Essa realidade foi mencionada por Jeroen Smits, que afirmou o seguinte: “Embora as taxas de natalidade de gêmeos em muitos países ocidentais ricos estejam agora se aproximando das da África Subsaariana, há uma grande diferença nas chances de sobrevivência.”

A citação anterior é o exemplo mais cruel do que acontece nos países africanos que não fazem fronteira com o Mar Mediterrâneo. Nesses territórios, cerca de 200 mil vidas de gêmeos são perdidas por ano.

Afinal, o nascimento de gêmeos é uma ótima notícia para as mães, desde que haja condições para minimizar os fatores de risco associados.

Pode interessar a você...
A história da mulher que teve três pares de gêmeos em 26 meses
Sou Mamãe
Leia em Sou Mamãe
A história da mulher que teve três pares de gêmeos em 26 meses

Conheça o caso de Danesha Couch, uma americana de 23 anos que engravidou de gêmeos três vezes seguidas. Isso mesmo! Ela tem três pares de gêmeos em...