Necessidades específicas de apoio educacional: o que são?

22 de agosto de 2019
A escola inclusiva deve fornecer uma educação equitativa. Ela deve responder às necessidades de todos os alunos. Abaixo, explicaremos quais são as necessidades específicas de apoio educacional.

A inclusão escolar é um processo de melhoria e inovação, uma vez que visa a minimizar ou eliminar as barreiras que limitam os alunos com necessidades específicas de apoio educacional. Essas crianças, por vários motivos, podem se sentir diferentes e incompreendidas. E é justamente esse sentimento que, como sociedade e como pais, temos que evitar.

Portanto, é necessário exigir que as escolas abram suas mentes e atendam igualmente a qualquer tipo de corpo discente, para que todos possam permanecer presentes dentro do sistema educacional comum. Assim, a diversidade será entendida como uma oportunidade de enriquecimento.

“Não se trata de ter o direito de ser igual, mas de ter o mesmo direito de ser diferente”.

-Anônimo-

O que são as necessidades específicas de apoio educacional?

O conceito de necessidades específicas de apoio educacional refere-se ao grupo de estudantes que necessitam de apoio e atenção especial na escola. Ou seja, refere-se ao fato de se encaixar em determinadas condições e apresentar alguma dificuldade.

apoio escolar

Dentro desse grupo existe uma grande variedade de estudantes. Para uma criança ser considerada um estudante com necessidades específicas de apoio educacional, ela deve pertencer a uma das cinco categorias seguintes:

  1. Necessidades educativas especiais. São os alunos que têm algum tipo de deficiência ou distúrbio. Nesta categoria estão as crianças com:
    • Transtornos sérios do desenvolvimento.
    • Deficiência intelectual.
    • Distúrbios de comunicação.
    • Incapacidade motora.
    • Transtorno do espectro autista.
    • Deficiência auditiva.
    • Transtornos comportamentais graves.
    • Deficiência visual.
    • Transtorno do déficit de atenção, com ou sem hiperatividade.
    • Doenças raras e crônicas.
  2. Dificuldades específicas de aprendizagem. Crianças com alterações na aquisição e no desenvolvimento de processos cognitivos básicos. Esses processos envolvem a escrita, a leitura, a aritmética e a fala. Isto é, são as crianças que podem ter:
    • Disgrafia.
    • Dislexia.
    • Discalculia.
    • Dificuldades na linguagem oral.
  3. Altas habilidades intelectuais. Alunos que estão acima da média em uma ou mais capacidades intelectuais. Dependendo do caso, pode-se falar sobre crianças talentosas ou superdotadas.
  4. Incorporação tardia ao sistema educacional. Corresponde a estudantes migrantes, que devem se adaptar à nova situação escolar.
  5. Condições de histórico pessoal ou escolarSão crianças que não estão no nível de seus pares, por razões além do controle da pessoa. Pode ser por:
    • Razões de saúde.
    • Pertencimento a certos grupos sociais ou minorias étnicas.
    • Viver em situações socioculturais desfavoráveis.
    • Possuir uma escolaridade desajustada.

Pessoas envolvidas nas necessidades específicas de apoio educacional

Para atender aos alunos com necessidades específicas de apoio educacional, deve existir cooperação entre:

  • O Colégio. Tutor, professor de Pedagogia Terapêutica (PT), de Audição e Linguagem (AL), conselheiros, etc.
  • A família.
  • Outros profissionais especializados, como psicólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, etc.

Portanto, o envolvimento de todas essas pessoas facilita a difícil tarefa do sistema educacional de oferecer cuidados e apoio adequados a essas crianças. Assim, a igualdade de oportunidades é garantida a todos os alunos para que possam alcançar o máximo desenvolvimento na aprendizagem.

deficiência intelectual

De fato, sem a existência dessa colaboração, nenhum agente vinculado a uma escola poderia desempenhar adequadamente suas funções. Isso se deve ao fato de que, graças às diferentes contribuições, é coletada uma ampla gama de informações a fim de realizar uma boa intervenção pedagógica.

Nesse sentido, cabe destacar a seguinte frase:

“Individualmente, somos uma gota. Juntos somos um oceano.”

– Ryunosuke Satoro –

Ou seja, podemos alcançar grandes feitos, como inclusão educacional, com base no esforço e na dedicação de cada um de nós. Essa é a essência do trabalho em equipe!

Benefícios da diversidade em sala de aula

Claramente, a educação inclusiva é benéfica para pessoas com necessidades específicas de apoio educacional. Mas também o é para o resto dos colegas.

Com esse modelo de escola, os alunos crescem dentro de um ambiente de diversidade em que o respeito é promovido e em que eles aprendem a socializar e a lidar com outras crianças com diferentes habilidades.

Portanto, uma sala de aula inclusiva deve ter uma estrutura cooperativa de aprendizagem, distanciada da estrutura individualista e competitiva da escola tradicional.

Em suma, devemos organizar as aulas de forma a encorajar e transmitir valores de camaradagem, convivência e aceitação.

“Se ensinarmos as crianças a aceitar a diversidade como algo normal, não será necessário falar sobre inclusão, mas sobre coexistência.”

– Daniel Comín –

  • Booth, T. y Ainscow, M. (2015). Guía para la educación inclusiva: desarrollando el aprendizaje y la participación en los centros escolares. Madrid: OEI.
  • Calle, R. C. (2010). La atención educativa integral a los alumnos con necesidades específicas de apoyo educativo: actitudes, valores y normas. Hekademos: revista educativa digital, (7), 23-42.
  • Echeita, G. (2006). Educación para la inclusión o educación sin exclusiones. Madrid: Narcea Ediciones.