Ninguém cria bons filhos gritando

· 30 de abril de 2018
Usar gritos para a educação de nossos filhos não nos levará a nada como pais. A seguir, listamos e detalhamos as causas dessa afirmação e de que forma esse comportamento deve ser substituído.

Já aconteceu com todos nós. Por algum motivo, perdemos o controle por causa de um mau comportamento de nossos filhos. Diante disso, a primeira reação é gritar com eles. No entanto, essa não é a melhor opção para criar bons filhos; a seguir veremos o porquê.

A questão é que somos humanos e imperfeitos; produto dessas reações, é que muitas vezes caímos em desequilíbrios emocionais. Portanto, nos equivocamos e até cometemos erros como pais.

Em alguns casos, consequências não intencionais são alcançadas por qualquer um. É possível que os gritos constantes sejam o produto da má educação recebida pelos próprios pais ou, em alguns casos, porque essa foi a maneira com qual foram criados.

É possível criar bons filhos com gritos?

A resposta é não. Há casos em que os pais não têm nenhum tipo de escrúpulos ao gritar com os filhos. Muitos o fazem em locais públicos, sem se importar com as consequências que isso pode causar para os menores.

É possível que os gritos dos pais para seus filhos se devam a um mau momento que tiveram no dia. Ou talvez, infelizmente, porque é o sistema de criação que colocam em prática habitualmente com seus filhos.

Há casos que também são herdados de nossos pais, já que foi a maneira com a qual fomos educados. Nossos pais agiram com mão pesada conosco e isso é algo que ficou marcado para o resto das nossas vidas. Essa frustração, então, é transferida para os pequenos de hoje em dia.

Consequências para crianças que são reprimidas com gritos

Atualmente, os profissionais indicam que não é necessário chegar ao ponto de gritar para exercer autoridade sobre as crianças. Pedagogos e psicólogos concordam que, para que uma criança tenha um comportamento adequado, não é necessário humilhar, ofender, gritar e muito menos usar a violência.

Estas são as consequências de gritar com os pequenos:

  • Faz com que se acostumem com isso. Chegará um momento em que o hábito não terá nenhum efeito. Assim, o pai passará da autoridade para o dogmatismo.
  • Os gritos constantes levarão a criança a perder sua autoestima. Ela não se sentirá amada por seus pais; o que pode se conseguir com esses métodos antiquados é que a criança se torne rebelde e os desafie permanentemente.
  • Geralmente, os filhos são o reflexo dos pais. Um comportamento agressivo terá um impacto sobre eles e eles provavelmente irão adotá-lo quando crescerem.
  • A criança irá crescer com um estresse de tal magnitude que seu desenvolvimento sofrerá algumas consequências.

Razões para parar de gritar com nossos filhos

  • Tanta gritaria transforma nossos filhos em surdos. Ou seja, tudo o que queremos lhes dizer ou transmitir usando gritos será inútil. Eles não receberão bem as informações e todas as mensagens serão automaticamente descartadas.
  • Eles nunca vão te ouvir com atenção e muito menos irão querer aprender com os seus conselhos. Só são obtidas melhorias com lições que são interativas para eles.
  • Nós somos o reflexo para nossos filhos. O comportamento deles irá variar de acordo com o nosso comportamento. Se gritarmos porque perdemos o controle, estaremos lhes ensinando a lidar com a ira e a raiva através da agressão.
  • Se o que fazemos é exercitar o autocontrole, certamente os ajudaremos a agir com calma. Eles aprenderão a dar respostas mais adequadas.
  • Gritar com as crianças fará com que elas sintam medo e, mais tarde, impotência e raiva. Nós geramos isso, talvez inconscientemente, ao buscarmos, por meio de gritos, que elas obedeçam.
  • Esta não é a maneira correta de educar. Sabemos que o respeito se ganha respeitando. A obediência se conquista com paciência; as aprendizagens levam tempo e esforço.
  • Aumentando a voz, só conseguiremos afastá-las. Perdemos autoridade, respeito e comunicação. Nós só ganhamos distância e frieza nos relacionamentos.

Recomendações

A recomendação lógica e verdadeira é que você comece pensar em seu hábito de gritar. Para criar bons filhos, você precisa mudar sua atitude e escolher outro caminho; as experiências irão te mostrar qual é o melhor e mais eficaz método para educar os filhos.

“Não evite as dificuldades da vida para seus filhos, ensina-os a superá-las”
-Louis Pasteur-

O conselho mais saudável para criar bons filhos é parar de gritar com eles. Quando estamos com raiva de algo que eles não têm culpa, temos que ter autocontrole. Temos que erradicar os gritos do nosso modo de reagir.

Exercer o controle para parar de gritar não é uma tarefa fácil. Dominar nossas emoções; especialmente a ira e a raiva ao perceber desobediência em nossos filhos será um desafio.

Temos que aprender a parar quando estivermos gritando. É questão de analisar nós mesmos e aprender a nos controlar quando começa um processo de raiva. Se nos propusermos isto, certamente iremos conseguir. Para criar bons filhos, é necessário exercer um bom domínio sobre nós mesmos.