O choramingo das crianças: é real ou apenas manipulação?

· 10 de abril de 2018
Nem sempre se trata de birra sem motivo. O choramingo da criança pode ter uma origem importante, que deve ser considerada e solucionada.

O choramingo das crianças surge como uma forma de canalizar a frustração diante de uma carência ou impossibilidade para resolver um problema. Nas crianças, este recurso é utilizado como forma de expressão diante de situações de inconformidade.

Entretanto, o choramingo das crianças também pode se transformar em um método de manipulação.

Quando a reclamação não tem fundamento, é importante corrigir este comportamento nas crianças. Uma criança “resmungona” ou “chorona” é propensa a se transformar em um adulto vitimizado, ou seja, uma pessoa que se convence de que nada acontece a seu favor. Como consequência, a criança não será capaz de resolver seus próprios problemas.

O choramingo é uma conduta comum nas crianças a partir dos 5 anos de idade. Desde essa idade, a criança sempre utilizará esse recurso para fugir de sua responsabilidade. A diferença estará na forma como os pais canalizarão sua reclamação.

O choramingo justificado

Certamente, é difícil para as crianças transmitir suas emoções. Isto se deve, em princípio, ao fato de que carecem da maturidade e dos recursos comunicativos para fazê-lo. Então, é aí que surge o choramingo, para fazer com que saibam como ela se sente.

Um choramingo justificado é uma reclamação com fundamentos, ou seja, aquele cuja origem é real ou sólida. Por exemplo, um incômodo devido a um mal-estar físico ou ficar chateado devido ao bullying na escola, entre outros motivos válidos.

Como forma de expressão, choramingar lhes ajuda a transmitir uma inconformidade. Para os pais, se trata de um recurso poderoso para saber como seus filhos se sentem diante de uma situação. O choramingo bem canalizado pode criar o espaço para uma conversa entre pais e filhos.

O choro justificado

Choramingar como um método de manipulação

Nos casos mais comuns, o choramingo assume outro objetivo e se transforma numa maneira de a criança conseguir algo. Seu uso constante, acompanhado de birras e gritos, serve para coagir os pais a satisfazer seu capricho para conseguir o que querem.

Quando o choramingo se dá nestas circunstâncias, não tem os fundamentos que validem uma necessidade. Então se transforma em um recurso de manipulação, no qual muitos pais caem para evitar o conflito.

Por natureza, o choramingo acompanha as crianças desde os 5 anos. É uma maneira de enfrentar as mudanças, mas também de medir a sua força. A boa educação desde cedo evita que choramingar se torne um hábito que se estenda até a vida adulta.

“Nas crianças, choramingar é uma forma de expressão diante de situações de inconformidade. Entretanto, o choramingo também pode se transformar num método de manipulação”

Como lidar com a criança que choraminga em excesso?

Uma maneira efetiva de controlar o choramingo das crianças é observar a origem desse comportamento. Quando não existem motivos reais ou sólidos para chorar, o melhor é ignorar o que estiverem pedindo. Ainda que não exista uma receita mágica para eliminá-lo, algumas recomendações podem ajudar:

  • Atender a apenas uma reclamação. Quando a criança choraminga como forma de manipulação, ela pode ficar choramingando repetidamente. Em geral, a primeira reclamação é a que contém um mal-estar real.
  • Procurar a origem. Por que a criança está choramingando? Qual o motivo? Há motivos reais para chorar? Estas perguntas podem ajudar a ver o choramingo de uma maneira mais objetiva.
o excesso de choro nas crianças

  • Não ceder ao choramingo como manipulação. Quando se percebe a presença de uma tentativa de manipulação, é preciso evitar ceder ao pedido. Conforme a criança entenda que pode conseguir o que quer dessa forma, o choramingo aumentará em vez de diminuir.
  • Ignorar as birras ou reclamações. Se o choramingo vier acompanhado por birras, o mais recomendável é ignorar a situação. O indicado nesses casos é esperar que a criança se acalme para conversar sobre seu comportamento.

Os efeitos do choramingo nas pessoas

Alguns especialistas concordam que choramingar tem um efeito negativo sobre o cérebro das pessoas. Ficar constantemente exposto a queixas pode anestesiar seu funcionamento; basta um mínimo de 30 minutos para que o cérebro diminua suas funções.

Além disso, escutar queixas constantes pode ser a causa de depressões severas. Também pode acarretar efeitos como baixa autoestima, insegurança e incapacidade de superação. Por estes motivos, as pessoas que se queixam constantemente são consideradas pessoas tóxicas.

O mesmo acontece no caso dos pequenos. Choramingar pode causar condições que impedem o desenvolvimento pessoal e, mais tarde, o desenvolvimento profissional delas.