O medo do fracasso nas crianças

· 4 de abril de 2018
O medo do fracasso é um sentimento que devemos ajudar nossos filhos a superar para que possam ser felizes todos os dias.

Quando as crianças sentem medo do fracasso o potencial delas diminui e, frequentemente, isso causa um sentimento de inquietação emocional. Elas se sentem fracas, vulneráveis, desmotivadas, pouco capazes e, assim, param de tentar progredir.

A palavra “fracasso” causa muito medo nos adultos. Isso costuma acontecer como consequência de uma educação na qual os erros foram castigados e interpretados com uma conotação completamente negativa.

Quando os erros são considerados como motivo de ridicularização, desprezo ou rejeição, dificulta-se a visão de oportunidades e, portanto, isso afeta o crescimento e o aproveitamento de oportunidades no dia a dia.

A incapacidade de lutar pelo que se deseja diminui a qualidade de vida e não proporciona bem-estar algum. A seguir, vamos falar um pouco mais sobre esse assunto.

Se você acha que seu filho sente medo do fracasso, o ideal é que você o ajude a superar esse medo com as técnicas que vamos apresentar a seguir.

Características do medo do fracasso nas crianças

  • Estresse.
  • Ansiedade.
  • Depressão.
  • Isolamento.
  • Baixa autoestima.
  • Baixa tolerância às críticas (inclusive as construtivas).
  • Defesas deficientes (porque o sistema imunológico se deprime).
  • Medo de expressar suas ideias e emoções, assim como um grande medo no momento de agir.

O medo do fracasso nas crianças é fácil de ser percebido. Em geral, essas crianças têm medo de serem julgadas ou rejeitadas por qualquer coisa que fizerem. Portanto, costumam ser muito cautelosas e tendem a evitar se relacionar com outras pessoas.

O medo do fracasso

Paralelamente, elas costumam se sentir incomodadas e ansiosas ao realizar certas tarefas por medo de errar. Se na família elas são castigadas pelos erros, vão se sentir intimidadas e isso vai gerar, progressivamente, uma desconfiança em relação aos pais. Esse sentimento causa o enfraquecimento da relação.

O medo do fracasso nas crianças as impede de assumir riscos e se dar a chance de explorar o mundo para crescer. Portanto, suas experiências costumam ser pobres. 

Uma criança pode se negar a realizar um projeto por medo de não conseguir ter sucesso. Essa insegurança e falta de confiança em si mesma vai afetar vários aspectos da vida.

Causas do medo do fracasso nas crianças

  • Perfeccionismo.
  • Carência afetiva.
  • Projeções dos pais sobre os filhos.
  • Maus-tratos físicos e psicológicos (ridicularização, castigos, imposições, etc.).

Quando os pais pressionam seus filhos exageradamente para que sejam perfeitos em tudo que fazem, isso cria uma distorção da realidade que os impede de ter uma saúde psicoemocional adequada.

Infelizmente, os meios de comunicação acabaram por incentivar o medo do fracasso nas crianças e na população em geral.

Como? Os meios de comunicação criaram um conceito de que uma pessoa fracassada tem uma aparência ruim, não tem prestígio nem relações sociais, tem poucas capacidades (ou nenhuma) e, em resumo, é uma pessoa perdedora.

A aversão aos erros está estreitamente vinculada com essa imagem. Além disso, o conceito de “vencedor” ou pessoa apta foi reforçado com bens materiais e o efêmero mundo da publicidade e do comércio.

Estratégias para superar o medo do fracasso

Um fracasso não é o fim do mundo. Uma falha ou um erro é uma chance de crescer, expandir a capacidade analítica, aprender, corrigir e seguir em frente muito mais forte e sábio. E é muito importe mostrar essa perspectiva para as crianças.

É essencial ensinar as crianças a superar os medos sozinhas. Para isso, elas contam com o afeto, o conselho e o apoio dos pais. Nesse sentido, devemos fortalecer suas capacidades, orientar, oferecer segurança, respeito e compreensão.

Paralelamente, devemos lembrá-las constantemente de que as falhas podem ser superadas e nem sempre significam uma experiência desagradável. Muitas vezes os erros viram histórias divertidas depois.

Vamos mostrar às crianças que elas conseguem, sim, fazer coisas por si mesmas e devemos ajudá-las quando tiverem dificuldades. Dessa maneira, elas vão conseguir entender que o rótulo de “perdedor” ou “fracassado” não nos define nem nos marca para a vida toda.

O medo do fracasso

Formas de ajudar as crianças

  1. Valorizar o esforço.  Quando não conseguirem tirar nota máxima em uma prova, por exemplo, mas se esforçaram muito e tentaram, é preciso valorizar o esforço e incentivar as crianças a tentar de novo.
  2. Os objetivos devem ser realistas e apropriados.  É importante ensinar a estabelecer objetivos sensatos, que sejam possíveis de atingir. Essa é a melhor maneira de aprender a valorizar posteriormente o esforço realizado para atingir suas metas.
  3. A constância é uma ótima companhia.  Devemos ensinar e incentivar as crianças a perseverar, a não renunciar as tarefas e metas estabelecidas no primeiro erro ou fracasso, ou quando acharem que não vão conseguir realizar. É importante ser realista. No entanto, também se deve insistir que o esforço pode trazer ótimos frutos e experiências.
  4. Os pais devem ser o exemplo. Esse aspecto é de grande importância, pois é a realidade. Como pais, somos um modelo e um exemplo a seguir para nossos filhos, principalmente nos primeiros anos de vida. Portanto, é impossível ensinar ou exigir se nós não dermos o exemplo do que queremos e do resultados que esperamos.
  5. É essencial evitar a superproteção.  Para não incentivar o medo do fracasso nas crianças, não devemos resolver problemas no lugar delas, muito menos fazer tudo por elas. É mais benéfico ensinar as crianças a serem autônomas de maneira que aprendam cuidar de si mesmas. A superproteção causa efeitos realmente prejudiciais e não fazemos nenhum bem aos nossos filhos ao agir assim.
  6. Ser muito permissivo é outro inimigo no combate ao medo do fracasso.  Uma criança, independentemente da idade, precisa de um guia, de modelos e exemplos para fazer as tarefas, para vencer os desafios. E seu melhor modelo e guia somos nós, os pais. Não podemos deixar nossos filhos aprenderem apenas fora de casa. Devemos ser responsáveis por educá-los.