O método sintotérmico para engravidar

15 de dezembro de 2018
Sabe-se que na natureza não existem linhas retas. Por isso, esse método pode falhar. Ainda assim, os sinais naturais do corpo feminino são muito precisos.

O método sintotérmico não apenas pode nos ajudar a engravidar, mas também é muito eficaz para que aprendamos a nos conhecer melhor. Nosso ciclo menstrual às vezes pode ser imprevisível, mas geralmente funciona de maneira perfeita.

Cada mulher é diferente no seu organismo e também na sua personalidade. Algumas tentaram de tudo para engravidar e outras desejam muito.

Para todos os casos, é muito conveniente conhecer nosso ciclo menstrual. Em certas ocasiões, esse tipo de sistema ajuda a melhorar outros aspectos da vida.

Aplicando corretamente essas medidas, nos preparamos melhor para conseguir a tão esperada gravidez. Da mesma forma, mesmo quando os resultados não forem os desejados, possuímos dados precisos para aplicar a outros métodos.

Para começar com o método sintotérmico, você deve ser muito observadora, organizada e constante.

Como funciona o método sintotérmico?

Método sintotérmico

Determinar quais são os seus dias férteis é essencial quando você quer engravidar. Possuindo essa informação, é possível focar em gerar seu bebê no momento correto. Além disso, também funciona quando desejamos evitar a gravidez.

Os sintomas que cada mulher sente durante seu ciclo menstrual se repetem. Portanto, é preciso identificar o que significam para poder listá-los quando ocorrerem conosco.

Acompanhando as principais mudanças conscientemente, podemos prever a chegada da menstruação, o dia da ovulação e inclusive a própria gravidez.

“A vida é uma chama que está sempre em brasa, mas acende-se sempre que um bebê nasce”

– George Bernard Shaw –

O método sintotérmico não é muito conhecido, além disso também é um tanto incompreendido. Os preconceitos sobre o tema também estão relacionados com antigas crenças de planejamento familiar.

De toda forma, as variações naturais no ciclo reprodutivo feminino podem nos fazer esse método como uma alternativa contraceptiva.

No entanto, a análise correta da sintomatologia de cada ciclo leva a ótimos resultados quanto à concepção. A metodologia sintotérmica é inquestionável na sua efetividade. No entanto, tudo depende da sua aplicação correta.

Para executar esse sistema, é preciso que cada mulher esteja atenta aos seguintes aspectos:

Temperatura basal

A temperatura basal é aquela que temos no momento em que acordamos a cada manhã. Uma medição adequada implica que seja feita assim que acordarmos, ainda sem sair da cama.

As temperaturas serão menores durante todo o ciclo, menos no dia exato da ovulação.

A elevação da temperatura deve-se ao aumento do hormônio progesterona. Calcula-se um aumento de entre dois ou cinco décimos.

Esses graus se manterão até 24 horas antes da menstruação. Ou seja, quando notarmos que a temperatura diminui, é porque o período está para começar.

Uma execução adequada consiste em realizar os seguintes passos:

  • Programe medir a sua temperatura da mesma forma todos os dias. Na mesma hora, sem nos mover da cama e sem mover o braço. 
  • Anote qualquer possível fator de alteração. Por exemplo ter passado a noite em claro, o consumo de algum medicamento antitérmico, etc.
  • É preciso ser rigorosa nessa medição, pois podemos provocar uma alteração e nos confundir um pouco.
  • Registre sua temperatura diária, com o intuito de descobrir os números reais a cada ciclo.
  • Alguns sintomas precedem os momentos pré-ovulatório e pós-ovulatório. Portanto, é recomendável observar todas as sensações.
    • Alguns sintomas podem ser: sensibilidade mamária, gases na zona ovárica, inflamação do ventre, dor de cabeça ou no abdômen, acne, tontura, entre outros.

Muco cervical

Método sintotérmico

Algumas mulheres podem notar claramente seus momentos secos e úmidos do ciclo. Esse tipo de observação se faz automaticamente, mas para que o método sintotérmico funcione, é preciso registrá-lo.

Ainda que pareça sem importância, é um sintoma que indica nossa fertilidade.

Pegue uma amostra com suas mãos limpas e certifique-se da textura do fluído. De acordo com a sua consistência, pode nos indicar o momento do ciclo.

  • Existe certa secura ao final da menstruação
  • Nos dias seguinte, torna-se viscoso, mais denso e até pegajoso
  • Quando estamos mais próximas da ovulação, o muco cervical torna-se fluido e mais abundante
  • O momento da fertilidade indica um fluido elástico, brilhante, similar a uma clara de ovo.

Abertura e posição do colo uterino

Esse procedimento consiste em tocar a cérvix e avaliar o seu estado. Flexionamos os joelhos e introduzimos o dedo na vagina, a ideia é tocar a parede do colo.

Algumas vezes a localizaremos mais rápido, isso ocorre no começo do ciclo. No entanto, perto do momento da ovulação será mais difícil de alcançá-lo e inclusive de tocá-lo.

Outros sintomas nos ajudarão a comprovar essa análise que pode ser imprecisa porque não sabemos o que tocamos. Notaremos mais suavidade e abertura quando estivermos nos dias férteis. Depois disso, volta a se fechar para proteger o útero.