O que é a pré-adolescência?

· 30 de dezembro de 2017

Para todo pai, ver crescer os filhos é uma das experiências que mais fazem se sentir realizados como pessoas. Isso se torna o combustível que nos motiva a conquistar objetivos e melhorar cada dia em prol da nossa família. No entanto, mais cedo ou mais tarde cada um dos nossos filhos entrará na linda, mas também difícil, etapa da pré-adolescência.

Isso não apenas representa mudanças biológicas em nossos filhos, mas também em nós como pais, no sentido de que como pilares da educação dos nossos filhos somos responsáveis por conhecer quais as mudanças acontecem nessa etapa e temos a responsabilidade de saber responder de forma adequada.

Isso nos permite administrar os desafios dessa idade, assim como guiá-los e inculcar neles, desde cedo, os alicerces para que seu salto em direção à idade adulta se produza como uma pessoa funcional da sociedade, responsável, com ética e, principalmente, com a assimilação de atitudes necessárias para alcançar o sucesso nos objetivos.

O que é a pré-adolescência?

Quando a pré-adolescência começa?

A pré-adolescência é uma fase que acontece normalmente entre os 9 e os 14 anos de idade, em que começam a emergir as características sexuais de cada menino ou menina. Pode ser denominado como o processo de transição à maturidade sexual.

Para qualquer pai e mãe, que mesmo assim também passaram por essa etapa, não é um mistério as mudanças físicas que acontecem durante essa parte do desenvolvimento, como crescimento de pelos em determinadas áreas, alargamento dos quadris nas meninas ou das costas nos meninos, entre outras mudanças.

O que de fato é um mistério para muitos pais é conseguir entender as mudanças emocionais que seus filhos passam, que muitas vezes podem ser difíceis de administrar e entender pelo próprio adolescente.

Em síntese, as mudanças físicas ocorrerão independentemente de qualquer fator externo, mas como pais, é necessário entender a razão da mudança de comportamento nessa idade, já que esse é um ponto que felizmente é possível influenciar. 

Mudanças emocionais da pré-adolescência

Durante a pré-adolescência, a autonomia e as atividades sociais dos nossos filhos começam a passar para um primeiro plano. É durante essa etapa que os jovens começam a construir a identidade, desenvolvendo habilidades de comunicação, controle emocional, resiliência, assim como a própria visão sobre a ética e a moral.

É possível perceber isso através do início da formação de laços de amizade sólidos com outras pessoas, e por sua vez, com o início da atração pelo sexo oposto, sendo essa última não apenas determinada por querer se reproduzir, mas também por ser um meio conhecido para experimentar sensações subjetivas, mas intensas, tais como a paixão e a desilusão.

Durante essa etapa nossos filhos apresentam mudanças hormonais que são caracterizadas por mudanças de humor recorrentes, assim como respostas desproporcionais a diversas circunstâncias, por exemplo, um comentário ou brincadeira sobre algum atributo físico num pré-adolescente pode gerar uma intensa sensação de insegurança.

Recordando a pré-adolescência

Muitas pais esquecem a magnitude das emoções dessa fase, sendo muito comum que tomem qualquer reação emocional do seu filho como uma pirraça típica da idade ou um mau humor passageiro ocasionado por um tema banal.

Isto é verdade. A maioria dos assuntos que mudam para o bem ou para o mal o estado de ânimo e, por fim, a atitude de um adolescente, geralmente são temas triviais que estão longe de representar um problema de verdade.

No entanto, é preciso entender que as emoções que nossos filhos estão experimentando nessa fase não são nada falsas. Sabendo disso, é possível distinguir entre o que é um estado de humor passageiro e o que pode ser o início de um problema real na vida dos nossos filhos.

Mesmo assim, a sensibilidade emocional na pré-adolescência está no seu nível máximo, e é por isso que nessa fase aparece uma janela de fraqueza por onde é possível que adquiram hábitos danosos que podem se transformar em patologias e que, portanto, é necessário saber identificar.

Por exemplo, uma brincadeira com nossa filha pré-adolescente sobre o seu peso por parte dos colegas de escola pode desencadear uma depressão real e profunda, minar sua autoestima, assim como incentivar transtornos alimentícios.

O que é a pré-adolescência?

Conselhos e pautas para a educação de filhos pré-adolescentes

Amplie a privacidade do seu filho

Durante a etapa da pré-adolescência, nossos filhos começam a se transformar em adultos. Portanto, dar espaço para que eles possam exercer a privacidade é algo saudável para o desenvolvimento, principalmente o mental.

Ofereça autonomia em troca de responsabilidade

É normal que nossos filhos pré-adolescentes comecem a se interessar em sair com amigos, adquirir hobbies, começar namoros, etc. Salvo aquelas atividades que por uma consciência comum não devemos permitir que um pré-adolescente realize, é preciso ser flexível e permitir que o seu filho desenvolva a própria autonomia, isso é uma parte básica para que ele adquira habilidades sociais.

No entanto, a autonomia também implica fazer o que deve fazer, ou seja, saber ser responsável. Portanto, é bom fixar horários de chegada, de comunicação, assim como cumprimento de responsabilidades tal como as escolares, de modo que você possa manter um perfeito equilíbrio entre um desenvolvimento saudável e a responsabilidade.

É durante essa etapa que os jovens começam a construir a identidade, desenvolvendo habilidades de comunicação, controle emocional, resiliência, assim como a própria visão sobre a ética e a moral.

Estabeleça um número reduzido de regras

Fazer a cama ao se levantar, lavar o prato depois de comer, limpar o que sujar, organizar o que se usa, etc. Todas essas pequenas e simples pautas podem ser catalizadores de uma mudança para um comportamento organizado em muitos outros aspectos da vida de nossos filhos.

Corrija-o inteligentemente

Se for preciso castigar, faça-o inteligentemente, de modo que possa se tornar uma espécie de extintor que apague determinado comportamento. Por exemplo, se o seu filho fala muitos palavrões, você poderia pensar em suspender a mesada. Isso feito, já que o seu filho não tem nada a perder, essa ação corretiva não extinguirá necessariamente esse comportamento.

No entanto, aplicar de forma gradual a  mesma tática pode fazer que o comportamento negativo do pré-adolescente diminua ou desapareça. Por exemplo, reduzir em 10% a sua mesada cada vez que diga um palavrão fará que ele tente se controlar para não perder aquilo que gosta.

Colocar em prática a técnica anterior a partir de diferentes estratégias e enfoques pode resultar numa ferramenta educativa ideal para extinguir maus hábitos desde jovem.