O que é o atraso do crescimento intrauterino?

· 7 de março de 2019
O atraso do crescimento intrauterino é uma condição vivenciada pelo feto que não permite que ele se desenvolva adequadamente. Descubra o que é esse atraso, assim como as possíveis causas que provocam o seu aparecimento. O objetivo é evitá-lo e fazer todo o possível para ter uma gravidez bem-sucedida.

A fase da gravidez é uma das mais prazerosas na vida de uma mulher. No entanto, também traz riscos e preocupações. Um dos perigos raros, porém digno de ser conhecido, é o atraso do crescimento intrauterino.

Essa complicação faz com que o feto tenha um tamanho abaixo da média. A seguir, vamos apresentar os fatores que a causam e qual é o prognóstico de um bebê com essa condição.

O que é o atraso do crescimento intrauterino?

Esse problema, também chamado de ACIU ou restrição de crescimento intrauterino, é uma condição médica que sinaliza um crescimento do feto abaixo dos padrões. É importante mencionar que não são bebês menores, mas sim que a velocidade do seu crescimento é reduzida enquanto eles estão no útero.

A consequência disso é nascer com baixo peso e ter complicações na hora do parto. Considera-se um baixo peso ao nascer aquele que fica abaixo dos 2,5 kg.

Tipos de atraso do crescimento intrauterino

A classificação do atraso do crescimento intrauterino vai depender, basicamente, da origem da anormalidade. Por isso, é possível sofrer de ACIU simétrico ou intrínseco, próprio de alguns defeitos cromossômicos. Nessa condição, há uma redução do crescimento do corpo inteiro, ou seja, dos membros, do abdômen e da cabeça.

Também pode ocorrer o ACIU extrínseco ou assimétrico, que geralmente acontece devido a uma anormalidade na placenta. Nesses casos, pode ser que a cabeça se desenvolva normalmente, enquanto o abdômen e os membros permaneçam pequenos.

 Tipos de atraso do crescimento intrauterino

Por outro lado, temos o tipo combinado de ACIU, que ocorre devido a fatores tanto internos – do feto – quanto externos, e aquele cujas causas são desconhecidas. Vale a pena ressaltar que nem todos os bebês pequenos sofrem de atraso do crescimento intrauterino.

Nesse sentido, devemos descartar fatores como a genética já que, se os pais forem baixos, obviamente o bebê terá uma constituição pequena. Além disso, o seu tamanho reduzido pode ser causado por outras patologias.

Causas do atraso do crescimento intrauterino

As causas dessa complicação podem ser diversas. Geralmente, ela é atribuída a um mau funcionamento da placenta, o órgão que conecta a mãe ao feto e fornece os nutrientes que ele deve consumir.

Se a placenta não funcionar adequadamente, ocorre o atraso do crescimento intrauterino. Contudo, também existem outros fatores que podem causar essa condição, entre os quais vale a pena destacar:

Condições ambientais

Estima-se que as mulheres grávidas que moram em regiões altas são suscetíveis a dar à luz crianças menores. Isso pode ser causado pela quantidade de oxigênio, que diminui em altitudes mais altas. Algo semelhante acontece com as futuras mães que vivem em grandes cidades poluídas.

O atraso do crescimento intrauterino é uma condição médica que sinaliza um crescimento do feto abaixo dos padrões.

Hábitos nocivos

Os hábitos nocivos da mãe podem ser outra causa de atraso do crescimento intrauterino. Entre eles, podemos mencionar: fumar durante a gravidez, usar drogas ou consumir álcool. Esses vícios podem trazer como consequência bebês com muito baixo peso ao nascer.

Doenças

Doenças tais como a pressão alta, os distúrbios cardíacos e as alterações metabólicas podem reduzir a quantidade de oxigênio, vitaminas e minerais que chegam à placenta. Isso faz com que o feto não consiga se desenvolver adequadamente e, por consequência, ocorre o ACIU.

Além disso, se a gestante for medicada para tratar essas condições, existe o risco de agravar a situação. Do mesmo modo, a desnutrição, ter um trabalho extenuante e a desinformação podem levar a um crescimento abaixo do normal.

Outras causas

Outros gatilhos que podem causar essa condição são as alterações genéticas, como, por exemplo, a síndrome de Down ou a síndrome de Turner. Isso também pode ocorrer devido a malformação dos órgãos do feto, infecções do útero e até mesmo casos de gravidez múltipla.

Como o ACIU é diagnosticado?

Para detectar e diagnosticar essa condição, é necessário fazer exames pré-natais acompanhados por um ultrassom. Nele, é observado se o sangue chega à placenta corretamente, bem como o comportamento desse órgão.

Esses exames são simples e rotineiros, portanto não representam nenhum risco e são essenciais para evitar maiores complicações.

Causas do atraso do crescimento intrauterino

Qual é a probabilidade de sobrevivência de um bebê com ACIU?

Na maioria dos casos, os bebês que experimentam essa condição se recuperam rapidamente ao nascer. Dependendo do peso, recomenda-se observá-lo em uma incubadora até que ele consiga comer sozinho e atinja o tamanho adequado.

Em conclusão, o atraso do crescimento intrauterino é uma condição que pode ocorrer em qualquer fase da gravidez. As causas são diversas e é possível ter um bom prognóstico. O ideal é seguir as instruções do médico e fazer os exames indicados.

  • Vandenbosche, R. C., & Kirchner, J. T. (1998). Intrauterine growth retardation. American Family Physician. https://doi.org/10.1111/j.1479-828X.1983.tb00576.x
  • Sharma, D., Shastri, S., & Sharma, P. (2016). Intrauterine Growth Restriction: Antenatal and Postnatal Aspects. Clinical Medicine Insights: Pediatrics. https://doi.org/10.4137/CMPed.S40070