O que fazer se o meu filho só respira pela boca?

8 de março de 2019
Se o seu filho tem tosse, sinusite, ronca e seus dentes estão se desviando, é possível que ele seja um respirador bucal. Não se preocupe, vamos te contar tudo o que você precisa saber sobre essa condição a seguir.

Respirar pela boca não é um hábito normal em uma criança. Em quase todos os casos, isso se deve a obstruções das vias respiratórias, que devem ser tratadas de forma rápida. Por isso, muitos pais se perguntam: “o que fazer se o meu filho só respira pela boca?”.

Respirar é um processo fundamental para a vida. Não respirar corretamente tem efeitos negativos e produz alterações, tais como a apneia do sono, a tosse e o desvio nos dentes, para citar apenas alguns dos problemas que podem ocorrer.

As informações a seguir têm como objetivo fornecer uma introdução a esse assunto para que você aprenda a identificar as causas que geram esse mau hábito e quais são alguns dos tratamentos mais recomendados pelos pneumologistas infantis.

Meu filho só respira pela boca

O sistema respiratório cumpre com diversas funções que ajudam a manter um equilíbrio no organismo, já que o seu trabalho eficiente influencia diretamente para que possamos viver e ser saudáveis.

O caso das crianças que respiram pela boca é especial. Partimos do fato de que aspirar eventualmente o ar por via oral é necessário. Isso não afeta o organismo se o fizermos de forma alternada com a respiração nasal.

No entanto, é um fato que utilizar essa via como a única maneira de inspirar e expirar pode esconder patologias específicas e desencadear outras doenças novas pelo caminho.

O processo do sistema respiratório ligado ao deslocamento do ar dentro dos pulmões é chamado de ventilação. Isso é feito por ciclos, nos quais inspiramos para tomar ar e expiramos para descartá-lo. A base está em um ato automático executado pelos neurônios que, por sua vez, enviam ordens aos nervos para ativar esse mecanismo.

Todos os seres humanos nascem condicionados a fazer o processo de ventilação, principalmente de forma nasal, a título de assistência.

Assim, é possível deduzir de imediato que, se uma criança não consegue executar um processo que o corpo faz de forma inconsciente, deve haver uma obstrução em uma ou em várias partes do sistema respiratório.

Meu filho só respira pela boca

Causas da respiração bucal

As razões pelas quais uma criança respira pela boca podem ser variadas. É possível começar por eventos transitórios, tais como congestão nasal devido a resfriados ou rinite alérgica, até chegar a problemas de obstrução, como por exemplo a hipertrofia das amígdalas.

Estes são alguns dos motivos mais frequentes para o problema:

  • Desvio de septo nasal ou obstruções na área.
  • Problemas de hipotonia dos músculos da face.
  • Problemas na mordida que levam a criança a manter a boca aberta.
  • Hipertrofia de adenoide.
  • Hipertrofia das amígdalas.
  • Causas temporárias: resfriados ou sintomas alérgicos.

Utilizar a via bucal como a única maneira de inspirar e expirar pode esconder patologias específicas e desencadear outras doenças novas pelo caminho.

Consequências

Tendo analisado as causas que podem criar obstruções na ventilação pelo nariz, agora vamos olhar para as consequências mais óbvias da respiração bucal:

  • Episódios de tosse e ronco durante a noite.
  • Apneia do sono.
  • Malformações da mandíbula ou palato estreito.
  • Deglutição atípica.
  • Problemas de audição.
  • Sinusite.
  • Otite.
  • Presença de olheiras.
  • Fraqueza.
  • Lábios secos.

Soluções médicas

Como pôde ser visto nas seções anteriores, a respiração bucal nas crianças corresponde a vários fatores diferentes. E alguns deles, felizmente, são passageiros.

Ao identificar que o seu filho está respirando pela boca, você deve ir ao pediatra para que ele possa determinar as causas e, então, encaminhar a criança para o especialista correspondente. Dependendo do caso, pode ser um pneumologista, otorrino ou ortodontista.

Outro dos cuidados que a criança pode receber para eliminar esse mau hábito é consultar um fonoaudiólogo, especialista em problemas de fala e audição. Com ele, a criança pode fazer dois tipos de tratamento. O primeiro é chamado de terapia respiratória de exercícios passivos e ativos, enquanto o segundo é a terapia miofuncional orofacial.

Soluções médicas

Assim, no primeiro tratamento, a criança vai fazer exercícios que vão permitir reprogramar o seu cérebro para eliminar o padrão equivocado de respiração. Essa alternativa baseia-se em exercícios físicos e condicionamento mental.

A segunda metodologia, entretanto, consiste em corrigir os problemas de hipotonia muscular e deglutição relacionados a problemas oclusais.

Como um esclarecimento final, vale a pena destacar que a respiração bucal afeta a saúde das crianças de tantas maneiras que muitas delas podem até mesmo ter problemas escolares e ser incapazes de fazer exercícios físicos, por exemplo.

  • Freeman, K., & Bonuck, K. (2012). Snoring, mouth-breathing, and apnea trajectories in a population-based cohort followed from infancy to 81 months: A cluster analysis. International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology. https://doi.org/10.1016/j.ijporl.2011.10.019
  • Malhotra, S., Nagar, A., Gupta, V., Pandey, R., & Agarwal, S. (2012). The effect of mouth breathing on dentofacial morphology of growing child. Journal of Indian Society of Pedodontics and Preventive Dentistry. https://doi.org/10.4103/0970-4388.95572