O reflexo do pescoço: a sua importância no desenvolvimento infantil

· 27 de março de 2018
Os reflexos do bebê são considerados respostas automáticas involuntárias diante de um estímulo. Conhecer os mais importantes, como é o caso do reflexo do pescoço, ajudará a entender cada reação e postura do seu filho.

Um dos primeiros aspectos que um pediatra presta atenção no momento do nascimento de um bebê são os reflexos. Dessa capacidade de adaptação ao meio ambiente dependerá o controle que o bebê tem sobre o seu corpo.

Essas respostas automáticas se dividem em dois tipos: reflexos primários e reflexos secundários. Conheça o reflexo do pescoço, que costuma estar entre as respostas involuntárias primárias mais importantes de uma criança. 

Reflexo do pescoço: o que é?

O reflexo do pescoço, também conhecido como reflexo tônico do pescoço, pode ser observado quando a criança relaxada volta o rosto para um lado e seu braço se estica. O outro braço fica flexionado no cotovelo, numa aparência de defesa, ou como os pediatras o chamam, em posição de esgrima.

Vale destacar que esse reflexo, no braço para onde a criança dirige o seu olhar, a mão permanece aberta. Ao contrário, no braço flexionado a mãozinha fica em forma de punho, apertando fortemente. Essa resposta involuntária pode ser notada em ambos os lados do corpo da criança.

O reflexo do pescoço: a sua importância no desenvolvimento infantil

Tipos de reflexo do pescoço

Dentro dos reflexos do pescoço é possível encontrar dois tipos:

  • Reflexo assimétrico: consiste em que a criança gire a cabeça para um lado e instantaneamente estenda a extremidade e o braço para o mesmo lado. Um desenvolvimento correto desse reflexo estimula a coordenação mão-olho da criança.
  • Reflexo simétrico: esse tipo de reflexo é uma resposta que vai se integrando à medida que o bebê vai se desenvolvendo e desaparece entre o oitavo e o décimo primeiro mês de vida. Serve como precursor do processo de engatinhar e permite que a criança enfrente os desafios de saber controlar os efeitos da gravidade.

Visão geral do reflexo do pescoço

Os aspectos gerais desse tipo de resposta automática podem ser resumidos da seguinte maneira:

  • O bebê não nasce com esse reflexo. Ele vai se desenvolvendo à medida que a criança cresce.
  • Surge como resultado da integração de outros reflexos, sendo essencial no processo de engatinhar e da acuidade visual.
  • Aumenta consideravelmente o tônus muscular da criança, favorecendo a coordenação mão-olho.
  • Evidencia-se claramente quando a criança fica apoiada sobre os joelhos e as mãos, balançando-se para frente e para trás ou vice-e-versa.
  • Desaparece por volta do sexto mês de vida. 

Uma dificuldade na correta integração no reflexo do pescoço causará problemas no desenvolvimento motor grosso e fino, na lateralidade e na visão. Por tal razão, é melhor deixar que se desenvolva de forma apropriada sem acelerar o processo de engatinhar ou de caminhar.

Benefícios do reflexo do pescoço

Um dos benefícios mais importantes de uma adequada evolução no reflexo do pescoço tem a ver com a preparação para engatinhar. Outros benefícios são:

  • Independência das extremidades para engatinhar.
  • Aperfeiçoamento do tônus muscular na área das costas e do pescoço.
  • Estimula a relação com a gravidade, ajudando o bebê a levantar o corpo apoiado sobre os joelhos e mãos.
  • Permite a realização de movimentos cruzados.
  • Fomenta o desenvolvimento do foco e da visão, assim como a interação entre ambos.
  • Permite uma boa postura ao se sentar, dando liberdade aos movimentos da cabeça.

Sem dúvida, um reflexo indispensável que desaparece quando se começa a andar.

O reflexo do pescoço: a sua importância no desenvolvimento infantil

Sinais de que o reflexo do pescoço ainda está ativo

A função principal dos reflexos, especialmente do reflexo do pescoço, é permitir a evolução de padrões de desenvolvimento próprios de cada idade.

Caso contrário, se se mantiver ativo, servirá como sintoma de imaturidade no sistema nervoso, afetando o desenvolvimento de funções comuns. Os sintomas de que os reflexos do pescoço se mantém ativos são:

  • Má postura ao se sentar; geralmente, os bebês deitam sobre a cadeira ou se mantém recostados sobre a mesa.
  • É possível diagnosticar a criança com síndrome de hiperatividade ou déficit de atenção.
  • Debilidade generalizada nas pernas e braços.
  • Falta de sincronização ao engatinhar.
  • Hipotonia muscular, tendo como consequência crianças lentas com dificuldade na visão, na focalização e na precisão.
  • Dislexia ou dificuldade para a aprendizagem da leitura e da escrita.

Em resumo, os reflexos do pescoço serão necessários para o seu filho. Ajude-o a superar cada etapa do seu desenvolvimento com amor e persistância, mas sobretudo conhecendo cada aspecto do processo.