Como saber se seu filho tem déficit de atenção

15 de fevereiro de 2017

 O Déficit de Atenção e Hiperatividade é uma síndrome da nossa era com uma incidência importante entre a geração “multitasking”, ou nativos digitais. Insto é, na modernidade é que se determinou e diagnosticou essa condição de caráter neurológico que impede o desenvolvimento da criança em relação ao que é considerado pela maioria como normal.

Distraídos, esquecidos, retraídos, lentos, hiperativos e impulsivos são algumas das maneiras de nomear as crianças com déficit de atenção.

Contudo, superados esses rótulos, entendemos que se trata de uma maneira diferente de entender o mundo. Nem mais nem menos.

Detecta-se maior incidência dessa condição em meninos do que em meninas. A ocorrência é frequente em homens e tende a se prolongar ao longo da vida. Fatores hereditários e ambientais incidem em seu aparecimento.

Os pais, representantes e professores da criança com déficit de atenção tem a responsabilidade de procurar o especialista no assunto, já que este é quem vai avaliar a criança e determinará se ela tem ou não o distúrbio. Aqui lhe mostraremos apenas alguns sinais que servem, em um primeiro momento, para reconhecer a síndrome e conhecê-la um pouco mais.

A última palavra é sempre do especialista.

crianca-sindrome-500x334

Déficit de atenção ou hiperatividade?

Disfunção neurológica que provoca a imaturidade dos sentidos motores e da atenção das crianças e que gera problemas de falta de atenção de leve a grave, hiperatividade e impulsividade. O déficit de atenção está registrado na classificação de distúrbios mentais da APA (Associação Americana de Psiquiatria) e é diagnosticado na idade escolar, antes dos 12 anos. Por volta de 7% da população escolar possui a síndrome.

Existem variações do transtorno, de eficácia de atenção ou hiperatividade. Os pais devem estar atentos ao desenvolvimento social e de aprendizagem do menino ou menina, e se sua conduta retraída ou dispersa afeta mais de dois aspectos da vida: escolar, social ou familiar. Além disso, deve-se avaliar se o distúrbio não é gerado por uma condição médica.

Como saber se seu filho tem déficit de atenção?

O trabalho de diagnóstico deve ser feito por um especialista em distúrbio de atenção e hiperatividade para que não seja feito, como frequentemente ocorre, um diagnóstico errado. No entanto, há atitudes que facilitam aos pais detectar um problema no comportamento dos filhos. Como se sabe, a detecção precoce é importante para que os tratamentos sejam mais eficazes e possam causar bem estar à criança com déficit de atenção, com o único propósito de que se desenvolva suas capacidades com alegria e liberdade.

menina-atencao-500x335

  • Apresentam problemas para entender os detalhes.
  • Com frequência estão ausentes e distraídos.
  • Têm dificuldade para identificar o relevante em uma cena ou situação.
  • São impulsivos em suas reações e respostas. Não pensam no momento de dá-las e, assim, agem por impulso mais do que racionalmente.
  • Perdem o rumo das tarefas ou atividades. Distraem-se com facilidade. Não são constantes e mudam de tarefa sem ter terminado a anterior.
  • As crianças com a atenção afetada ou hiperativas apresentam dificuldades sociais e escolares.
  • Geralmente, os professores qualificam essas crianças como preguiçosas e apresentam, em algumas disciplinas, notas baixas. Isso, por sua vez, afeta a relação familiar, pois os pais veem o filho a partir do julgamento do professor.
  • É difícil para elas ficarem quietas, mexem-se a todo momento. Estão sempre chamando a atenção por seu comportamento.
  • Falam muito.
  • Perdem objetos.

Se seu filho apresenta mais de cinco dessas condutas e essas estão começando a afetar seu desempenho escolar ou desenvolvimento social, procure um especialista para realizar os exames e estudos para determinar se se trata de déficit de atenção.