O torcicolo no bebê

· 13 de outubro de 2017

O torcicolo é uma condição normalmente dolorosa, e é possível que alguma vez na sua vida você o tenha experimentado, especialmente após uma noite com alguma postura incômoda enquanto dormia. Geralmente se desenvolve em recém-nascidos por causa de partos difíceis, ou pelo posicionamento inadequado no útero. Esta condição pode ser conhecida como torcicolo muscular congênito, ou torcicolo infantil.

A maioria dos bebês não experimenta nenhuma dor com torcicolo, mas podem sentir a cabeça torta, ou ter dificuldade em virar o pescoço. Felizmente com alguns exercícios simples e/ou mudanças apropriadas de posição, a criança irá melhorar ao longo do tempo. Mas para ajudar um bebê com torcicolo, a primeira coisa a entender é o que é essa condição, quando os bebês são tão pequenos.

 

O que é o torcicolo?

Torcicolo ou “pescoço torcido” é uma condição em que um bebê ou criança tem a cabeça inclinada para um lado, e o queixo inclinado na direção oposta por causa da dor que sente (não pode colocar a cabeça em uma posição normal). É chamado de “torcicolo congênito” se a criança nascer com essa condição. Existem estudos que mostraram que cerca de 1 em cada 250 bebês sofre desta condição no nascimento.

Em alguns casos o torcicolo adquirida pode ocorrer em um momento após o nascimento, com a cabeça e o queixo torcidos na mesma direção. O bebê com torcicolo pode parecer dolorido, mas geralmente não está (embora às vezes sim, especialmente devido a más posturas). O ideal é que se você ver que seu bebê tem a cabeça inclinada, com ou sem dor, recorra ao seu pediatra para avaliar a condição.

Sintomas do torcicolo em bebês

O torcicolo em bebês pode mostrar alguns sintomas que estão relacionados quando o bebê tenta inclinar a cabeça, movê-la, ou mesmo, pode ser notado quando você segura seu bebê em seus braços. Para saber se realmente pode ser torcicolo você terá que observar os sintomas, que são bastante claros nesses casos:

  • Tem a cabeça inclinada em uma direção
  • Olha por cima de um ombro em vez de virar a cabeça completamente para seguir o movimento
  • Prefere a amamentação em um peito, pois pode ter dificuldade no outro lado
  • Tem dificuldade em mover a cabeça completamente em uma determinada direção, e fica frustrado quando não pode fazê-lo

Além desses sintomas existem também outras condições desenvolvidas a partir de torcicolos. É importante saber de que se tratam para poder diferenciá-las e, se necessário, ir ao pediatra o mais rápido possível para avaliar a condição:

  • Plagiocefalia posicional (desenvolvimento da cabeça plana) em um ou em ambos os lados, como resultado de estar sempre deitado em uma posição particular
  • Desenvolvimento de um pequeno nódulo ou nó no pescoço, parecido com um nó em um músculo tensobebê dormindo no colo da mãe em posição inadequada

 

Possíveis causas de torcicolo em bebês

Existem diferentes causas que podem causar torcicolo em bebês, e é necessário saber o que podem causar, para poder consultar o médico e encontrar o tratamento mais apropriado em cada caso.

Embora não seja uma condição comum nos bebês, é algo que pode ocorrer e, portanto, os pais devem estar cientes das causas que o podem provocar.

Estreitamento no músculo esternocleidomastoideo

O torcicolo congênito geralmente se desenvolve quando o músculo que liga o esterno e a clavícula ao crânio (músculo esternocleidomastoideo) se estreita e se aperta.

Essa opressão pode ser devido ao posicionamento anormal no útero (cabeça inclinada em uma direção) ou o músculo pode ter sido danificado durante o trabalho de parto. A condição é chamada de “torcicolo muscular congênito”.

Anomalias nas vértebras cervicais

Menos comuns são as anomalias na formação das vértebras cervicais, que podem ser a causa do torcicolo congênito, uma condição conhecida como “síndrome de klippel-feil”.

Neste caso, os ossos do pescoço podem estar colados juntos, formados anormalmente ou em uma combinação de ambos. Tudo isso pode fazer com que o bebê  tenha torcicolo.

Doenças hereditárias

O torcicolo congênito pode ocorrer em casos raros como resultado de condições médicas graves que causam danos ao sistema nervoso ou músculos, danos ao cérebro, ou tumor da medula espinhal. A condição também pode ser hereditária e, por esta razão, também pode ocorrer em bebês.