O transtorno Opositivo Desafiador

· 25 de abril de 2018
Descubra a seguir tudo o que você precisa saber sobre o transtorno opositivo desafiador e como agir para tratá-lo a tempo.

O transtorno opositivo desafiador (TOD) envolve um tipo de comportamento antissocial, que resulta em hostilidade e desobediência. Assim como o próprio nome indica, consiste em contradizer e desafiar toda figura de autoridade. Esse transtorno surge a partir dos 8 anos de idade.

Quando uma atitude desafiadora estiver se manifestando durante seis meses ou mais, pode se tratar de um caso de TOD. Diante da dúvida, o melhor a fazer é consultar um psicólogo.

O transtorno opositivo desafiador pode chegar a prejudicar gravemente o desenvolvimento das crianças. Em outras palavras, ele impedirá que elas se desenvolvam de maneira saudável, seja em casa, na escola ou em qualquer outro ambiente social.

É importante destacar que há certos fatores de risco que devem ser levados em consideração. Por exemplo, o gênero. De acordo com as estatísticas, há uma incidência muito mais elevada de meninos com este transtorno do que de meninas.

Fatores de risco para o transtorno opositivo desafiador

  • Pertencer ao sexo masculino.
  • Antecedentes familiares de uso de entorpecentes e transtornos como o déficit de atenção com hiperatividade, entre outros.
  • Ter sido vítima de negligências ou abusos.
  • Conduta violenta. Incapacidade de manter a disciplina.
  • Crescer em um ambiente de conflito constante e muito estresse.
Sintomas do TOD

Apesar de se desconhecer quais são as causas do transtorno opositivo desafiador, acredita-se que estas podem ter origem tanto hereditária quanto ambiental. Entretanto, há outras explicações possíveis:

Fatores biológicos

Muitas crianças que desenvolvem o transtorno opositivo desafiador têm pelo menos um integrante da família com transtornos psicológicos.

O desequilíbrio de algumas substâncias químicas no cérebro pode alterar o comportamento. Por consequência, considera-se que uma alteração da serotonina pode provocar o surgimento do TOD.

A incapacidade de controlar as emoções e os impulsos pode propiciar um comportamento hostil e violento com as pessoas.

Fatores ambientais

O ambiente onde as crianças passam a maior parte do tempo é um ponto-chave na hora de desenvolver qualquer transtorno. Isto se deve ao fato de que, como todo ser humano, o contexto que as rodeia as afeta diretamente, e ocasiona um comportamento disruptivo. Os fatores ambientais de maior relevância são:

  • Mudança de escola muito frequente.
  • Mudança de cuidador muito frequente.
  • O divórcio dos pais.
  • Instabilidade no lar.

Sintomas do TOD

Nem sempre é fácil ou se consegue distinguir facilmente entre uma criança com personalidade forte e outra com transtorno opositivo desafiador. Entretanto, há certos sintomas que se manifestam no transtorno que ajudam a fazer a distinção.

O TOD aparece invariavelmente em casa. Entretanto, pode ser que na escola não se manifeste de forma alguma. Tudo depende do caso.

  • Baixa autoestima.
  • Falta de concentração.
  • Agressividade generalizada.
  • Incomodar os outros intencionalmente.
  • Incapacidade de controlar impulsos.
  • Sentimentos de rancor e comportamentos vingativos.
  • Resistência para cumprir com regras ou solicitações.
  • Não apreciar o trabalho em equipe, tendendo a se isolar.
  • Rebeldia, desafio da autoridade e falta de respeito aos limites estabelecidos.
  • Colocar a culpa em terceiros por seus erros ou por seu mau comportamento.
  • Mau humor e irritabilidade; por consequência, tendem a se frustrar com facilidade.
  • Abuso verbal intencional e constante. Seu vocabulário está cheio de palavrões e não deixa de usá-los com qualquer pessoa para ofender.
Efeitos do transtorno opositivo desafiador

Efeitos do transtorno opositivo desafiador

Quando o TOD não é tratado a tempo, as crianças crescem e o problema persiste. Quando adultos, podem chegar ao extremo de ter uma completa incapacidade de viver em sociedade. Também têm uma maior inclinação a desenvolver o vício em drogas, o qual agravará o problema ainda mais.

No âmbito escolar, as crianças com TOD que não recebem tratamento, fracassam e abandonam os estudos. Além disso, não conseguem ser aceitos pelos colegas, buscando assim más companhias em outros ambientes.

Da mesma forma, as relações interpessoais e familiares são profundamente afetadas. Com o passar dos anos, será cada vez mais difícil mantê-las, até chegar ao ponto em que afastam todos à sua volta. Infelizmente, a tendência a comportamentos violentos e as diversas formas de maus-tratos constantes não permitem que conservem simpatias ou amizades.

Por isso, uma vez que o profissional tenha constatado que a criança apresenta o transtorno opositivo desafiador, o mais recomendável é iniciar o tratamento de imediato. Quanto mais rápido o problema for tratado, melhor. O objetivo é evitar que o problema persista por mais tempo e afete a sua vida por completo.