Parto induzido: o que é e quando é aconselhável?

· 7 de fevereiro de 2018
O parto induzido é mais comum do que você imagina. Muitas mulheres passam por esta experiência, por isso queremos te contar tudo sobre como é e quando ele é recomendado.

Antes de mais nada, se você está grávida, é normal que se tenha feito esta pergunta: posso me negar a um parto induzido? Dói mais? É mais difícil se recuperar? Continue lendo e daremos as resposta a todas as suas dúvidas.

Muitas vezes os mitos e as verdades sobre os partos induzidos nos levam a ideias equivocadas sobre eles. Sempre será melhor um parto espontâneo, mas às vezes é necessário provocar o parto para evitar complicações para você e para o bebê.

Quando a natureza se mantém em pausa, os avanços médicos atuam para começar um processo tão importante quanto o de ajudar um bebê a nascer. Os partos induzidos são procedimentos provocados com medicação que forçam o surgimento das contrações. As contrações dilatam e ajudam o bebê em sua passagem pelo canal do parto.

Se esse for ou não o seu caso, te contamos o que é um parto induzido, quando ele é recomendável e em que se diferencia de um espontâneo.

O que é um parto induzido? Passos a seguir

A primeira coisa que deve-se fazer é comprovar se a bolsa onde o bebê está se rompeu. Uma das formas de desencadear o processo pode ser rompendo a bolsa amniótica. A cabeça do bebê poderá, assim, descer pelo canal de parto e exercer pressão sobre o mesmo.

Também deve-se olhar em que situação se encontra o colo do útero. Se estiver limpo, aplicação oxitocina por via intravenosa. A dose vai aumentando até conseguir contrações regulares, assim como aconteceria em um parto não induzido.

Se o colo do útero não estiver dilatado, será necessário o uso de prostaglandinasque são administradas por via vaginal e que ajudarão o colo a dilatar. Depois, se continuar sem contrações, passarão para a oxitocina.

Uma vez que se consiga a dilatação adequada, prossegue-se com o mesmo protocolo que o de um parto espontâneo.

Quando é aconselhável um parto induzido

A razão principal pela qual se realiza um parto induzido é conseguir fazer com que o bebê nasça caso a espera pelo parto natural seja perigosa.

Muitas vezes é necessário provocar o parto para evitar possíveis complicações tanto para a mãe quanto para o bebê.

As causas que podem levar a esta decisão são várias:

  • Se você tem uma gravidez prolongada.
  • Se ocorre uma ruptura da bolsa amniótica, mas não surgem contrações.
  • Uma possível infecção do líquido amniótico.
  • Possibilidade de desprendimento da placenta.
  • Existe sofrimento fetal.
  • Quando a mãe sofre de algum tipo de doença crônica como diabetes, problemas renais ou doenças pulmonares.

Seu médico te colocará sobre aviso diante da possibilidade de induzir o parto e vai te informar as vantagens e os riscos que isso envolve.

Parto natural vs. Parto induzido

Muitas mulheres têm medo do parto induzido porque pensam que pode causar mais complicações para elas ou para o bebê do que um parto natural. Porém, muitas destas ideias carecem de um fundamento real.

  • O parto induzido dá começo ao processo, mas não o controla. Uma vez que já esteja de parto, poderá decidir livremente se quer a epidural e experimentar assim a expulsão assim como resto das mulheres.
  • É certo que a oxitocina intravenosa pode fazer com que suas contrações sejam mais dolorosas, por isso muitas mulheres optam pela epidural.
  • Considera-se que em um parto prolongado é mais comum uma episiotomia, mas na verdade não é assim. O número de cortes não deveria aumentar pelo fato de o parto ter sido induzido.
  • Um dos riscos dos partos induzidos é o bebê não conseguir descer pelo canal do parto. Esta situação pode causar estresse fetal. Neste caso, provavelmente a equipe médica vai preferir finalizar o processo por meio de uma cesárea, com o objetivo de garantir o bem-estar de ambos.

Por último, você deve lembrar que a equipe médica estará sempre ao seu lado para te ajudar. Assim, pergunte tudo o que te preocupa. E lembre-se, se o parto induzido ou programado ocorrer sem complicações, a recuperação será similar a de um parto natural.