Picos de produção de leite materno: quando ocorrem?

24 de janeiro de 2019
Sempre surgem dúvidas sobre a amamentação, tanto para as mães de primeira viagem quanto para aquelas que já têm experiência. Por exemplo, muitas se perguntam se têm quantidade de leite suficiente para suprir a demanda do recém-nascido e o que são os picos de produção.

Os picos de produção de leite materno são de grande benefício para o bebê. Quando eles acontecem? A seguir, você vai descobrir como certos hormônios influenciam esse processo. Além disso, você também vai descobrir por que você desempenha, como mãe, um papel fundamental na alimentação saudável do seu filho.

Prolactina: a responsável pela produção de leite materno

A prolactina é o hormônio responsável por estimular as glândulas mamárias a produzir o leite materno. Por consequência, sua atividade aumenta progressivamente desde o primeiro trimestre da gravidez.

No entanto, a prolactina não produz leite imediatamente porque os níveis de progesterona e estrogênio que a placenta produz inibem a sua ação.

Quando a placenta é expelida, a prolactina inicia a produção de leite, que permanece em níveis elevados por meses após o parto. Somado a isso, o aumento do leite é determinado pela frequência com que o bebê mama.

Ou seja, se o bebê fizer isso com muita frequência, os níveis de leite aumentam. Por outro lado, se a criança tomar pouco leite, a quantidade que a mãe tem no peito diminui.

Quando ocorrem os picos de produção de leite materno?

Os níveis de prolactina se multiplicam entre 10 e 20 vezes a cada mamada da criança. Isso permite que os picos de produção de leite materno ocorram.

Esses picos atingem seu nível máximo enquanto o bebê mama no peito à noite, de 20 a 40 minutos após o início do estímulo. Esse aumento no leite pode durar por cerca de 3 ou 4 horas.

Mãe e bebê dormindo na cama

Além disso, o horário em que os picos de produção são atingidos é entre as 2 e as 6 da manhã. Por essa razão, é aconselhável amamentar o bebê durante a noite sempre que solicitado.

Como a ocitocina atua no leite materno?

A ocitocina é um hormônio que exerce sua função durante o parto e a lactação. Ela permite que o leite saia de forma espontânea, assim que o bebê começa a sugar.

Muitas mães conseguem sentir a ação desse hormônio, já que ele causa um tipo de contração e formigamento no peito. É a sensação de que o leite está aparecendo, e inclusive algumas gotas podem sair. Isso é conhecido como a subida do leite.

Os pensamentos da mãe podem estimular a ocitocina. Por isso, eles desempenham um papel fundamental no desencadeamento da saída do leite. De fato, apenas ao ter a intenção de amamentar ou ao ouvir a criança chorar, essa produção já é ativada.

Por outro lado, pensar de forma negativa sobre a amamentação tem um efeito inibidor. Isso pode fazer com que a quantidade de leite seja reduzida ou até mesmo desapareça.

Por que amamentar o bebê à noite?

É aconselhável amamentar à noite porque neste momento a produção de leite materno é estimulada. Além disso, também se permite que o bebê ganhe peso.

Por outro lado, foi comprovado que quando as crianças são amamentadas, elas dormem mais durante a noite. Isso acontece porque a prolactina também tem um efeito relaxante na mãe e no bebê.

Outra razão para dar leite materno à noite é que, dessa forma, o risco de infecções para a mãe é reduzido. Também se evitam obstruções nos seios devido ao acúmulo de leite, um problema que é muito comum quando o tempo entre as mamadas do bebê é prolongado.

“Os picos de produção de leite materno atingem seu nível máximo enquanto o bebê mama no peito à noite, de 20 a 40 minutos após o início do estímulo”

Você deve aumentar a quantidade de leite materno?

Na maioria dos casos isso não é necessário, pois cada mulher está naturalmente preparada para a produção de leite. Além disso, desde que haja estimulação da mama através da sucção do bebê, haverá leite suficiente.

No entanto, existem certas circunstâncias extremas que exigem que a mãe ajude na estimulação da amamentação.

Quais são elas? Por exemplo, se o bebê perdeu muito peso ou se for prematuro, ele precisa de um rápido aumento no leite. Outro fator é a separação forçada de mãe e filho por motivos hospitalares.

 Não é necessário um aumento na produção de leite

Nesses casos, o médico pode prescrever alguns medicamentos com efeitos galactagogos. O mais frequente é a domperidona.

Outra solução é a extração poderosa: essa prática envolve tirar leite por 5 minutos em cada mama.

Para fazer isso, uma bomba para tirar leite é usada a cada hora durante o dia. Enquanto isso, uma pausa de 4 horas é feita durante a noite. Essa operação também ativa a prolactina, o que causa um rápido aumento inclusive nos picos de produção de leite materno.

Em conclusão, os picos de produção de leite materno ajudam seu filho a atender a demanda por leite para um crescimento saudável e rápido. Sem dúvida, esse é um aspecto ao qual todas as mães devem prestar atenção e acompanhar no seu dia a dia.

  • Galvão, M. T. G., Vasconcelos, S. G., & Paiva, S. D. S. (2006). Mulheres doadoras de leite humano. ACTA Paulista de Enfermagem. http://doi.org/10.1590/S0103-21002006000200006