Polvos de crochê para bebês prematuros

29 de dezembro de 2018
Estas confecções têm a intenção de devolver-lhes um “cordão umbilical” ao qual agarrar-se, algo parecido com o que tinham enquanto estavam no ventre materno.

Os polvos de crochê são artesanatos de linha feitos especialmente para os bebês prematuros.

Você deve saber que as condições excepcionais que os bebês têm no interior do saco amniótico lhes dão segurança, calma e lhes permitem desenvolver-se a seu tempo.

Toda vez que ocorre um nascimento prematuro (antes da semana 37 da gestação), o ambiente muda de forma brusca e os pequenos se veem apressadamente obrigados a se despedir de sua “antiga vida”.

Essa saída ao exterior sem estar completamente preparados causa ansiedade e os deixa nervosos.

Tendo em conta a situação, há algum tempo, as unidades neonatais de alguns países encontraram uma maneira de proporcionar tranquilidade ao estado psicológico que os bebês prematuros desenvolviam.

Para isso, criaram um ambiente com características similares, que os ajudasse a se sentir protegidos. É aí que os polvos de crochê entram na história.

Neste artigo te contaremos.

Polvos de crochê que substituem o cordão umbilical: uma ideia de gênios

Polvos de crochê

Enquanto encontram-se dentro do saco amniótico, os bebês têm, além deles mesmos, um só companheiro com o qual “compartilhar e se relacionar”: o cordão umbilical. Os ultrassons feitos revelam que, muitas vezes, eles seguram, tocam e até brincam com essa estrutura.

Por sua vez, os polvos de crochê são artesanatos de tecido macio com longas patas penduradas que se assemelham, em forma e textura, ao cordão umbilical.

Unindo este conhecimento, a organização Spruttengruppen na Dinamarca, sob o nome The Danish Octo Project, começou a colocar em prática uma ideia engenhosa que proporcionava aos bebês prematuros um cordão umbilical alternativo com o qual se relacionar: os polvos de pelúcia.

Uma vez que os recém-nascidos encontravam as patas do polvo no mesmo bercinho onde estavam deitados, se agarravam a elas igual como faziam dias atrás com o cordão umbilical. Este “reencontro” começou a ajudá-los em seu desenvolvimento.

Voluntários a favor da vida no Poole Hospital de Inglaterra

Baseados na ideia da organização Spruttengruppen, há pouco tempo o Poole Hospital de Inglaterra, emitiu um anúncio peculiar no qual se solicitava a confecção de polvos de crochê para os bebês prematuros que nasciam no hospital.

Essa iniciativa teve como resposta o envio de centenas de pelúcia coloridas que hoje servem para acompanhar os bebês que nascem antes da data nesse país.

Por que as unidades neonatais pedem aos voluntários para fazer os polvos de crochê?

Polvos de crochê

A ideia que a organização Spruttengruppen, da Dinamarca, começou a promover logo seguiu para a Inglaterra e muitos outros países, e finalmente chegou ao Brasil.

O projeto de solicitar voluntários para a confecção manual e a posterior doação de polvos de pelúcia para os hospitais infantis é conhecida em muitos de nossos centros.

Hoje, não são poucas as pessoas que se sensibilizaram com a ideia e se dedicam a tricotar este artesanato conforme as características e os padrões que os próprios hospitais solicitam.

É necessário saber que as pelúcias têm peculiaridades específicas para que não sejam perigosas para os recém-nascidos:

  • A linha a ser usada deve ser 100% de algodão
  • O tecido deve ser apertado para que o enchimento não saia
  • O enchimento deve ser de fibra que possa ser lavado a 60 graus centígrados
  • Os tentáculos dos polvos não podem medir mais do que 22 cm.

Um ato de bondade

Como era de se esperar, em “Sou Mamãe”, decidimos colocar nosso grãozinho de areia a favor da vida e um projeto extremamente humano que zela pela estabilidade dos bebês prematuros.

Sentimos que é nosso dever fazer um chamado para as leitoras e os leitores que nos seguem diariamente para somarmos todos à tarefa de confeccionar polvos de crochê que representem um “gancho”, no melhor sentido da palavra, ao qual os bebês prematuros podem se agarrar.