Por que você nunca deve falar mal do pai das crianças na frente delas

24 Junho, 2020
Falar mal do pai das crianças na frente delas pode causar danos irreparáveis. No sentido contrário, seu objetivo prioritário sempre deve ser proporcionar uma infância segura e feliz aos seus filhos.
 

O divórcio não é a única situação na qual um dos pais pode falar mal do outro. Também é possível que isso aconteça quando um dos pais nunca esteve presente na vida da criança ou mesmo quando o casal ainda continua junto. De qualquer forma, falar mal do pai das crianças na frente delas pode causar danos irreparáveis. Portanto, você deve evitar fazer isso a todo custo.

Quando sentimos que aquela pessoa que foi o nosso parceiro nos machucou e nos traiu, é normal que surja um desejo incontrolável de expressar a nossa raiva. No entanto, o nosso rancor nunca deve ser dirigido às crianças. Nosso objetivo prioritário deve ser sempre protegê-las e garantir que elas tenham um ambiente o mais saudável ​​possível.

Amar e ser amado

Para uma criança, a sua família nuclear é o seu centro, o seu mundo inteiroMamãe e papai são as suas principais referências, a sua rede de segurança. Através do amor e da confiança que eles proporcionam, a personalidade da criança é formada, e ela começa a se abrir para o mundo.

Por que você nunca deve falar mal do pai deles para os seus filhos

A criança precisa amar sem culpa e ser amada incondicionalmente pelos pais para alcançar um desenvolvimento emocional adequado. A família, por sua vez, é o seu lugar seguro e feliz, aquele que proporciona confiança para ter a coragem de explorar outros territórios.

 

Ou seja, um lugar estável e confortável para recarregar as energias, com raízes firmes que permitem o crescimento sem medo. A importância do núcleo familiar é tanta que precisamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para torná-lo harmonioso e saudável.

Deixe os seus filhos amarem o pai, mesmo que você não faça mais isso

No entanto, as circunstâncias nem sempre são perfeitas. Talvez o pai do nosso filho nunca tenha tentado estar presente na sua vida. Talvez tenhamos tomado a decisão de nos divorciarmos. Ou, talvez, mesmo que ainda estejamos juntos, existam conflitos e discussões que prejudicam o casal.

Todas essas circunstâncias fazem parte da vida e, como adultos, temos que enfrentá-las da melhor maneira possível. Mas, se há uma coisa que devemos ter bem claro, é que isso nunca deve afetar o bem-estar dos nossos filhos, pelo menos enquanto pudermos evitar que isso aconteça.

É óbvio que isso terá um impacto na vida da criança. Mas esse impacto será muito diferente dependendo de como os adultos agirem na vida dos pequenos.

Talvez o pai (ou mãe) do seu filho não tenha se comportado bem, talvez tenha te machucado, traído ou enganado. Talvez tenha até mesmo cometido grandes erros ou negligências como pai (ou mãe). É completamente normal e válido que isso gere emoções negativas, que você sinta raiva, ira ou ressentimento.

Será necessário que você passe pelo seu próprio processo emocional para integrar essas experiências e conseguir perdoar. Mas, sem dúvida, a sua principal prioridade deve ser proteger o seu filho.

 

E isso inclui proteger a visão que ele tem do pai e o vínculo estabelecido com ele. A criança precisa amar o pai e se sentir amada por ele. Tanto quanto precisa de você.

Por que você nunca deve falar mal do pai deles para os seus filhos

Falar mal do pai das crianças na frente delas

Quando você fala mal do pai das crianças na frente delas, você está roubando uma parte fundamental do desenvolvimento delas.

Quando você diz que o pai delas foi embora porque não se importa com elas, porque não quer passar tempo com elas, porque não se preocupa com elas, as crianças não entendem que o pai é um indivíduo negligente. Pelo contrário, elas pensam que são culpadas. Elas começarão a sentir que não são boas o suficiente, que não têm valor, que não merecem amor.

Quando você diz “você é igual ao seu pai” ou “o seu pai não presta, ele é irresponsável, egoísta”, você está colocando as crianças em uma posição muito difícil. Elas serão forçadas a tomar partido, vão se sentir culpadas por amar o pai e vão mostrar de forma evidente a ruptura que você criou no pequeno mundo delas: não haverá mais estabilidade ou harmonia, e sim ódio e confusão.

Talvez você pense que os seus filhos precisam saber como o pai deles é, que você não deve mentir para eles, que eles têm o direito de saber a verdade. Mas, na verdade, eles têm o direito de ser crianças, de se sentir amados e seguros, de não ter que enfrentar situações de adultos.

 

Quando crescerem, seus filhos vão saber, compreender e reorganizar o que vivenciaram a partir de outra perspectiva. Por enquanto, apenas deixe que eles cresçam.

  • Sánchez-Queija, I., & Oliva, A. (2003). Vínculos de apego con los padres y relaciones con los iguales durante la adolescencia. Revista de Psicología Social18(1), 71-86.
  • Nuñez Mederos, C. S., Pérez Cernuda, C., & Castro Peraza, M. (2017). Consecuencias del divorcio-separación en niños de edad escolar y actitudes asumidas por los padres. Revista Cubana de Medicina General Integral33(3), 296-309.