Como alcançar a felicidade em uma família reconstituída

03 Maio, 2020
Quando um casal com filhos se junta e cria uma nova família, forma-se uma família reconstituída. E ela pode ser feliz!
 

Quando duas pessoas se casam ou vão morar juntas, elas fazem isso porque existe amor entre elas e elas acreditam que vai durar a vida toda, mas não é sempre assim. Em muitas ocasiões, as famílias se separam por uma infinidade de razões e, na grande maioria das vezes, há crianças nessas famílias que também sofrem com a separação. É assim que começa uma família reconstituída.

As taxas de divórcio estão mais altas a cada ano e há cada vez menos casamentos. Se você e o seu parceiro tiverem filhos de casamentos anteriores, é normal que ambas as famílias se unam e todos morem juntos como uma só família. As famílias reconstituídas enfrentam grandes desafios que uma família que não é reconstituída não precisa enfrentar.

Novas funções familiares na família reconstituída

Uma família reconstituída terá novos papéis familiares e há um delicado equilíbrio entre promover as novas relações e dar às crianças e ao casal o tempo necessário para se ajustarem.

Se você deseja unir duas famílias, ou se você e seu parceiro já estão morando juntos, é necessário considerar algumas dicas para que a felicidade possa ser alcançada nessa nova unidade familiar.

Construir relacionamentos fortes

Como um casal, vocês são os capitães do navio. Como pais e chefes da família, são vocês quem definem o rumo dela. Dediquem algum tempo tanto um para o outro, como também para os filhos. Para ser eficaz, a comunicação deve ser aberta e respeitosa entre todos os membros da família.

 
alcançar a felicidade em uma família reconstituída

Estruturar a casa de uma família reconstituída

Crie a divisão do trabalho doméstico que melhor se adapte às necessidades individuais de cada um. Talvez o seu parceiro saiba cozinhar muito bem enquanto você saiba como lavar a roupa para que tudo fique bem cheiroso.

As crianças mais velhas vão achar gratificante compartilhar essa experiência e cuidar dos irmãos mais novos, por exemplo.

Decidir as regras da casa em conjunto

Ter regras em casa é fundamental para equilibrar a convivência e para que a felicidade possa prosperar. As crianças precisam de regras consistentes.

Assim, chegue a um acordo com o seu parceiro quanto ao que é considerado um comportamento aceitável e as consequências que devem existir quando as regras não forem seguidas. Se as crianças também passarem um tempo na casa do seu ex, será necessário coordenar essas regras o máximo possível.

Falar sobre dinheiro

O dinheiro é uma parte importante da vida das pessoas porque é essencial para prosperar. Mas, ao unir duas famílias, pode haver problemas se não for um aspecto bem gerenciado.

É importante que você compartilhe com o seu parceiro os detalhes sobre a sua renda, os seus bens e as suas dívidas. Encontre pontos em comum sobre como gastar, economizar e investir. Mas mantenham os bens separados.

 

Respeitar as diferenças

Somos todos diferentes e a base da boa convivência e do bom relacionamento interpessoal é o respeito. Há muitas vantagens em trazer mais experiência de vida para você como pai e cônjuge.

Há também a possibilidade de você precisar ajustar ou mesclar os diferentes costumes e hábitos com relação a tudo, desde as férias até a hora de voltar para casa.

alcançar a felicidade em uma família reconstituída

O bem da sua família sempre vem em primeiro lugar

É necessário manter foco total no bem-estar da sua família em geral. Tente conversar e considerar as necessidades de todos e faça ajustes razoáveis ​​para que tudo corra bem.

Como agir com as crianças em uma família reconstituída

É importante que você também tenha um plano com as crianças, para que elas se adaptem umas às outras e para que elas se sintam bem em casa, em um lar completo, e não em um lar temporário. Para fazer isso, lembre-se das seguintes dicas:

  • Entenda o seu papel. Como madrasta ou padrasto, assuma o seu novo papel na família com calma. Lembre-se de que os seus enteados têm os próprios pais. Seja um modelo positivo para eles seguirem.
  • Empatia. Tente ver as coisas a partir da perspectiva dos seus enteados. Valide os seus sentimentos e reconheça-os. Além disso, seja sensível às preocupações sobre como eles se sentem na família que vocês reconstruíram.
 
  • Faça com que cumpram as regras da casa. Explique as regras da casa claramente desde o início. É melhor que o seu parceiro forneça a maior parte da disciplina para os próprios filhos, especialmente nos estágios iniciais do relacionamento.
  • Sempre haverá contratempos. As relações familiares vão flutuar com o tempo. Provavelmente, tanto você quanto o seu parceiro vão aprender por tentativa e erro conforme forem enfrentando novos desafios. As crianças podem experimentar sentimentos conflitantes de lealdade e podem recuar às vezes.
  • Apoie a relação da criança com os avós. Se os avós dos seus enteados ainda estiverem vivos e envolvidos na vida deles, proteja e não interfira nessa relação sagrada. Coloque os interesses da criança em primeiro lugar. Os avós são um recurso precioso que pode proporcionar amor e cuidado incomparáveis.