O que um professor deve fazer diante do bullying?

23 Fevereiro, 2021
A seguir, vamos descrever quais decisões e ações um professor deve adotar para lidar com uma situação de bullying na escola.

Diante do bullying, os professores devem reportar e informar a situação para os demais agentes e profissionais da educação. Dessa forma, será necessário implementar uma série de medidas organizacionais e institucionais, além de ações e decisões, tanto individuais quanto coletivas, que ajudem a erradicar um problema social complexo como o bullying.

O que é o bullying e em que consiste?

O termo bullying é derivado da palavra inglesa bully, cujo significado em português é ‘valentão’. Refere-se ao assédio, à perseguição ou ao abuso psicológico, verbal ou físico produzido entre alunos e tem como particularidade o fato de ocorrer de forma reiterada e prolongada no tempo.

Além disso, uma situação de bullying ou assédio escolar pode ocorrer tanto na escola, dentro da sala de aula e no pátio, quanto fora dela, ou seja, na rua ou através das redes sociais. Uma situação de bullying sempre supõe uma relação de abuso de poder e intimidação por parte de um aluno agressor e outro que é a sua vítima.

Crianças praticando o bullying

Os comportamentos que causam sofrimento às vítimas são variados e incluem ofensas, humilhações, apelidos, insultos e espancamentos. Constituem situações que afetam a vida cotidiana e acadêmica, repercutindo em todas as esferas sociais, pessoais e psicológicas das vítimas. Assim, manifesta-se em dificuldades no desempenho escolar e causa problemas de ansiedade, depressão e isolamento social.

Atualmente, o bullying é um tema de grande preocupação para pais e educadores, e erradicá-lo é um verdadeiro desafio educacional e social. É um problema complexo de ser resolvido e que responde a múltiplas causas e fatores sociais, educacionais e culturais.

Como um professor deve agir diante do bullying?

Caso um professor seja testemunha ou suspeite de uma situação de bullying, ele deve agir imediatamente e empreender uma série de estratégias de intervenção, tanto individuais quanto institucionais.

Em primeiro lugar, o professor deve se informar exaustivamente sobre a possível situação de bullying, o que envolve a coleta de dados sobre o que aconteceu, ou está acontecendo, desde quando e quem são as pessoas envolvidas.

Por outro lado, ele também deve avaliar a gravidade da situação e tomar medidas, tais como falar em particular com o agressor e a vítima ou, de qualquer forma, informar tanto as autoridades escolares quanto os pais dos alunos envolvidos sobre a situação de bullying.

Além disso, é preciso considerar que em muitos casos de bullying é necessário procurar ou encaminhar os alunos e seus familiares para outros profissionais. Nesse caso, seriam especialistas como psicólogos ou terapeutas, capacitados para enfrentar a situação e para identificar e trabalhar as possíveis causas e consequências, uma vez que uma situação de bullying tem um grande impacto na vida, tanto para a vítima quanto para o agressor.

O plano de convivência das escolas e as medidas para lidar com o bullying

Algumas escolas incluem um plano de convivência em seu Projeto Educativo. Trata-se de um documento que estabelece critérios, objetivos e procedimentos de prevenção e ação para a convivência entre os membros da escola. Assim, o plano de convivência especifica as diferentes estratégias e medidas a serem implementadas para lidar com o bullying.

“As crianças têm que respeitar os professores e demais funcionários da escola, assim como o restante dos seus colegas, evitando situações de conflito e bullying em qualquer uma de suas formas, incluindo o cyberbullying”.

O que um professor deve fazer diante do bullying escolar?

Professores, alunos e famílias diante do bullying

Como foi dito anteriormente, existem medidas concretas e específicas que os professores devem tomar para combater o bullying. Porém, uma estratégia fundamental é que os professores implementem situações de ensino-aprendizagem que tenham como objetivo a prevenção do bullying.

Assim, é fundamental o planejamento de atividades para a promoção de valores, bem como de atividades que se aprofundem sobre o impacto do bullying para as suas vítimas em nível físico, mental e psicológico. Nesse sentido, é importante um ensino voltado para o desenvolvimento da inteligência emocional e para a promoção dos comportamentos de denunciar e de ser empático com os colegas que sofrem bullying.

“O mais valioso aliado dos agressores e o pior inimigo das vítimas é o silêncio dos outros”.

Por fim, o que um professor deve fazer diante do bullying é contar com o apoio de todos os agentes escolares e das famílias, pois não é possível enfrentar o bullying apenas com ações e decisões isoladas. Para tentar erradicar o bullying em nossa sociedade, é necessária uma consciência social e uma profunda coordenação institucional, profissional e familiar.